InícioInício  PortalPortal  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Atenção deuses! Há um aviso no Staff Loungue para vocês, entrem e leiam.

Important: Seu avatar é registrado? Ainda não?! Evite levantes, corra aqui: [MENINOS | MENINAS].
EM REFORMA, AGUARDEM! Novidades virão, algo que já estava mais do que na hora, não acham?!

Compartilhe | 
 

 Treino de combate a monstros

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5
AutorMensagem
Thanatos
Deuses Menores
Deuses Menores
avatar

Mensagens : 403
Data de inscrição : 03/05/2012

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Treino de combate a monstros   Sab 08 Set 2012, 10:25

Relembrando a primeira mensagem :


Treino de combate a monstros


A arena é um local onde os campistas podem evoluir suas habilidades, treinarem com armas, lutarem entre si ou contra monstros. Assim como em todo lugar, a arena tem suas regras, as quais podem ser lidas aqui.

Não serão avaliados os treinos postados fora do horário permitido em on. Bom treino.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário

AutorMensagem
Porthos R. Marshall
Filhos de Apolo
Filhos de Apolo
avatar

Mensagens : 23
Data de inscrição : 17/10/2012

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Seg 20 Maio 2013, 19:59

We are the people that can find
Whatever you may need
If you got no money honey
We got your disease ♫♪



--------------------------------







A manhã estava chata! Era como se simplesmente o dia tivesse amanhecido para trazer o tédio. E lá estava eu: deitado em minha cama, entediado. Em alguns momentos daquela manhã eu cheguei a pedir para que o acampamento pegasse fogo... ou que sei lá... alguém resolvesse fazer uma guerra de comida na hora do almoço, só para acabar com o tédio!
Me levantei, finalmente. Acabara de lembrar de meu treino de dois dias atrás. Vesti uma camisa preta qualquer, a primeira que eu encontrei pela frente, uma calça jeans escura, um pouco velha, e meu all star de couro, ou seja, meu padrão de visual.
Abri a gaveta e lá estava minha espada. Ao momento que peguei em seu cabo um brilho clareou todo o chalé. Aquela espada era simplesmente linda... Brilhava como o sol, não tão forte quanto, mas tão bonito quanto. Então me abaixei e passei a mão por baixo da cama, procurando algo, até que tirei de lá meu escudo. Era um escudo simples, porem útil. O escudo era feito de bronze e aço, talvez um pouco grande demais, porem era somente o suficiente. Eu ainda não tinha muita exigência com armas.
Finalmente, meu arco! Fui até uma mesa em um canto do chalé, onde eu o deixava. Lá estava ele, segurei ele e então senti-me calmo, como se algo me protegesse e me desse abrigo. De certa forma, toda vez que eu segurava aquele arco, meu coração se acalmava. Acho que era como se eu estivesse preparado para lançar flechas a qualquer momento. Agitação demais atrapalha um pouco, sabe?

Sai do chalé. O dia estava até que bonito. Até que bonito porque aquela aura entediante ainda pairava, e isso me deixava com preguiça de tudo. A grama parecia pálida, e os poucos campistas que eu ia encontrando no caminho pareciam estar com tanto desanimo quanto eu. O acampamento não parecia o acampamento.
Finalmente cheguei a arena. Alguns campistas estavam treinando esgrima quando eu cheguei, pareciam ser dois filhos de Hermes e um filho de Ares. Depois de algum tempo no acampamento, você começa a se acostumar a conseguir identificar quem é filho de quem, alguns estavam meio na cara, como filhos de Atena, que tinham os olhos cinzas, o que parecia, as vezes, assustador. É claro que o filho de Ares levava a melhor lutando contra os outros dois, porem isso não vem ao caso.
Depois de alguns minutos, os campistas pararam o treino, finalizando-o. Todos estavam suados, e aparentemente cansados, e então saíram da arena, caminhando devagar enquanto conversavam. Sobrou na arena então só um garoto de cabelos loiros.

- Hey... - Disse o garoto, e então veio até mim.
Ele parecia ser mais velho que eu, e com certeza mais experiente... O colar em seu pescoço não negava... 4 conchas. O campista tinha uma cicatriz pequena perto da orelha, e sua expressão era animada.
- Er... Prazer, Porthos Marshall. - Respondi, e então estendi a mão.
- Robert Bought - Respondeu, apertando minha mão - Vai trenar o que hoje? - completou, e então sorriu.
- Não sei... Ainda não me decidi... Talvez arquearia... - Respondi, enquanto olhava para uma arvore um pouco atrás de Robert, e percebia que eu realmente tinha ido até ali, simplesmente com o objetivo de treinar.
- Que tão pegar um monstro? Acho que aguenta uma Dracaenae. - Lembrei então de tudo que tinha lido sobre mitologia grega, pensando em algo sobre Dracaenaes...
- Ah... Okay... - Respondi ainda meio confuso.

Okay... Confesso que me assustei um pouco quando vi o monstro.
Robert tinha se afastado e então gritara ao longe "preparado?" e eu gritara que sim, apesar de não estar lá muito confiante. De algum lugar atrás de uma pilha de alvos, e coisas do gênero, ouviu-se um barulho metálico parecido com som de celas de prisões, em seriados de tv, e então, uma criatura estranha emergiu de lá. Uma Dracaenae é uma mistura de mulher com serpentes... Ela era alta, maior que eu pelo menos, e no lugar das pernas tinham longos e escamosos troncos de serpentes. A Dracaenae se movimentava rastejando... Era o meio do caminho da evolução humana, só que ao invés de virmos dos macacos, vinhamos das serpentes. Em uma das mãos a mulher-serpente tinha uma lança longa, com a ponta de aço, ou pelo menos eu achava que era, e na outra mão, um escudo que... Bem, ele era grande, mas perto dela, parecia pequeno.
A criatura sibilou coisas estranhas... Pelo que eu entendi, era algo como "Ssssssssemi-deusssss maldito vou mata-lo!", e foi ai que ela investiu contra mim.

A Dacaenae não era lenta, pelo contrario, era mais rápida do que pensei, e eu quase fui morto por isso. Quando estava a uma distancia de uns três metros de mim, ela rodou a lança, de forma que, se eu não tivesse me abaixado, o que foi puro impulso, eu teria sido decapitado. Empunhei a espada com a mão direita, e ela brilhava como nunca, enquanto com a outra mão, eu segurava o escudo.
Apesar de espada não ser minha arma favorita, nem a que eu melhor sabia me virar, eu gostava de usa-la... Era como um desafio a mim mesmo. Voltando ao treino... A mulher-cobra não ficou muito satisfeita de não ter me matado com seu primo ataque, então desceu a lamina contra mim, enquanto abaixado. Coloquei o escudo nas costas pra não ter alguns problemas serio, tipo um raladinho nas costas, nada muito exagerado... E então tentei desferir um golpe com a espada nas "pernas" de serpente da Dracaenae, mas não rolou. Ela defendeu com o cabo da lança e então me jogou pra o lado com o impulso. Eu estava atordoado com o golpe que acabara de receber, mais pude ver a lamina descendo em minha direção novamente, em uma estocada. Bloqueei novamente a lamina com o escudo, que fez uma barulho metálico irritante de encontro com a ponta da lança.
Rolei para trás e me levantei rápido, e então a Dracaenae continuou com seus golpes sucessivos. Ela queria me matar a todo custo, comecei a pensar no porque e logo me repreendi... Eu não podia exitar naquela altura do campeonato.
Em alguma hora, um dos golpes dela, que eu defendi com o escudo, passou de raspão no meu braço, fazendo um corte... digamos... consideravel fazendo com que eu desse alguns pulos para trás, me afastando. O meu braço começou a sangrar, ótimo! Mas não podia me dar ao luxo de me preocupar com aquele pequeno corte, se não eu acabaria morto.
Investi contra o monstro. Eu tinha uma estrategia... e me arrependi amargamente de não ter feito nenhum treino de esgrima, ou algo do tipo, porque se tivesse treinado, talvez não me daria tão mal. O escudo se encontrava a minha frente, e a espada estava logo ao seu lado... Posição defeituosa de novo... Só que dessa vez eu não me lembrei de nenhum programa de tv que eu tinha assistido, porque nunca fora lá muito fã de esgrima. Quando cheguei perto o suficiente para desferir um golpe de espada, o fiz, porem, com facilidade a mulher-cobra defendeu meu ataque com o seu escudo, e sibilou algo que talvez fosse uma risada.

- Sssssssssssssemideussssss idiota! Deixxxxxxxxxe-me te comer logo, não gossssssto de brincar com a comida! - Sibilou a Dracaenae.

Então a Dracaenae desferiu um golpe com a lança, girando-a. O golpe acertou meu escudo, porem com tanta força, e eu estava com a posição e pernas tão erradas, que perdi o equilíbrio e quase cai para o lado. Tomei o equilíbrio de novo, e então vi uma lança vindo ferozmente contra mim.
Defendi a estocada do monstro colocando meu escudo a frente do corpo, porem com a força, cai para trás, foi ai que tive uma ideia, que salvou minha vida.
Eu nunca tinha treinado com minha espada, nem com o escudo... Porem eu sabia como usar meu arco. Eu havia caído com o escudo acima do tronco, e então a Dracaenae veio rápida e ferozmente em minha direção. A mulher-cobre usou o cabo da lança para jogar meu escudo pra longe, porem quando ela levantou a lança para acabar com toda aquela enrolação para o seu almoço, foi surpreendida. Sua cara de espanto chegava a ser hilaria, quando ela olhou para o peito, onde gravada havia uma flecha dourada feita completamente de energia. O tempo dela levantar a lança foi o suficiente para que eu sacasse meu arco, que estava preso às minhas costas e então disparasse uma flecha contra o peito da monstra. Para garantir que eu não seria morto, lancei mais uma sequencia de flechas, que a monstra, paralisada com a surpresa, recebeu fincadas em seu peito e então, reduziu-se à pó.

Levantei-me, ainda agitado e limpei minhas roupas. Eu estava suando com o esforço, e um pouco sem folego. De algum lugar, de repente, o semideus Robert apareceu.
-Mandou bem, garoto! - Disse, com um sorriso.
- É? Bom... Tirando a parte da quase-morte - Respondi.
Robert gargalhou, e então se abaixou, pegando a lança e o escudo usados pela Dracaenae, que agora estavam no chão.
Já chega por hoje, pensei. Já havia feito meu treino diario, agora voltaria ao chalé e descansaria, até estar pronto pra outra.


Armas:
 


CODED BY: IG de SA


____

Porthos R. Marshall
T H A N K S ▲
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ártemis
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos
avatar

Mensagens : 48
Data de inscrição : 17/12/2012

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Sex 24 Maio 2013, 20:50

♦ Hora da avaliação - Porthos♦




♦ Ortografia: 8/10 pontos: Novamente, não houve nenhum erro berrante além de "semi-deuses" que insiste em persistir. Fora isso nada mais me chamou atenção a erros de escrita.

♦ Coerência, Coesão, Organização, Conteúdo e Ideias: 27/30 pontos: O post foi bem escrito, narrado. O contúdo foi interessante e as ideias também, embora o os paragrafos poderiam ter sido melhor organizados.

♦ Organização da Postagem: 9/10 pontos: Novamente sobre os parágrafos que ficaram meio confusos, mas nada demais.

♦ Uso Adequado de Linguagem: 10/15 pontos: Houve um certo exagero de reticências desnecessárias que poderiam ter sido pontos finais, mas nada que dificultasse a leitura.

♦ Estratégia e Uso de Armas/Habilidades e Poderes: 10/10 pontos: Ótimo. O treino foi perfeito físicamente e a estratégia para derrotar a dracaenae com as armas foi adequada.

♦ Capacidade Descritiva: 25/25 pontos: Sem problemas aqui.

Experiência obtida em post: 89xp


[center]Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics


♦ Atualizado ♦



____


Goddess Artemis
GIRL!:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Christina R. Lockhart
Filhos de Dioniso
Filhos de Dioniso
avatar

Mensagens : 59
Data de inscrição : 23/03/2013
Idade : 20
Localização : CHB

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Qua 29 Maio 2013, 21:47


Era um dia comum no Acampamento Meio-Sangue. Eu lia uma revista de fofocas de celebridades mortais na sacada da Casa Grande, ouvia música e tomava uma lata de coca-cola diet que consiguira com um amigo do Chalé de Hermes. Campistas de Apolo e Deméter jogavam vôlei, os de Atena liam livros em grego antigo, os de Ares ouviam rock pesado enquanto se matavam, e eu observava tudo isso fazendo um cosplay bizarro de meu pai em versão feminina. 'Nada pode estragar minha tarde', pensei comigo mesma, até que Arianna, minha irmã feia e chata aparecer e reclamar da minha folga. Ela dizia algo sobre o dia estar perfeito para se treinar e eu precisava fazer isso, se não me engano. O fone de ouvido estava alto, por isso não tenho certeza. Só dei conta de que ela não estava brincando quando me puxou pelo braço e me mandou fazer alguma coisa da vida. - Tá bom! Tá bom! To indo! - Eu disse enquanto era praticamente arrastada. Quando ela deu as costas, resmunguei e fiz careta imitando-a.

A pior parte de tudo isso, é que ela tinha razão. Estava um lindo dia, e ele deveria se aproveitado para se treinar e eu realmente estava precisando fazer isso. Me dirigi até a arena de Treinos de combate com monstros e tirei do bolso da calça jeans meu MP3 player mágico, que quando não ativado para uso comum, o mesmo se transformava em uma espada. Era um artefato incrível! Era a primeira vez que eu o usava, e eu tenho certeza que poderia fazer bons estragos com ele . Ali na arena encontrei um escudo de bronze que parecia não ter dono. Eu o recolhi e decidi que o usaria naquele treino e depois devolveria onde encontrei.

Não tive que esperar muito tempo ali até um monstro aparecer. Eu me observava no reflexo do escudo até que dei conta de que uma hárpia me observava atrás de mim. Revirou os olhos com desdém e encarei a hárpia. Uma hárpia? UMA HÁRPIA?! Pelo amor de Zeus, hárpias haviam em todos os lugares ali, principalmente na cozinha, onde eu estive varias vezes cumprindo detenção. Aquela criatura parecia inofensiva para mim, por isso decidi ignora-la e esperar um monstro a minha altura. Ela não gostou disso.

Quando virei as costas e a ignorei, ela pareceu ofendida e voou pra cima de mim, atacando diretamente meu cabelo de surpresa. É claro, fui atacada inesperadamente, gritei como uma louca. Pelo amor de Zeus, justo meu cabelo? Aquela hárpia mexeu com a filha de Dionisio errada. Tombei bruscamente para o lado, fazendo a criatura sair de cima de mim e cair no chão. Fui pra cima dela com a espada e escudo para acabar com ela de uma vez só. Ela tentou revidar com a garra dos pés, porém bloquei qualquer tipo ataque dela com o escudo. - Isso é pra você aprender a não mexer com meu cabelo, sua galinhazinha! - eu disse antes de acerta-la com minha espada. Em um único golpe a harpia fora reduzida a um monte de areia e o único dano em mim fora no meu cabelo.

É claro, eu não pararia por ali. Reduzir aquela criatura em pó não deu nem para suar, por isso agora eu esperaria um monstro a minha altura. Me olhei no reflexo do escudo e ajeitei meu cabelo, que agora estava desalinhado e seco. Não demorou muito até eu perceber que eu havia companhia: Uma dracaenae estava ali, me encarando. Esse sim era um monstro a minha altura! Me posicionei em frente da criatura com a espada e o escudo, esperando que a mesma começasse a atacar. - Vai lá morcega feia, me mostra o que sabe fazer! - A criatura guinchou de raiva e avançou em mim, tentando me atacar usando a calda de cobra. Me defendi com o escudo rapidamente e a criatura caiu ao meu lado. Eu a ataquei rapidamente com a espada. O choque da espada a afez guinchar de dor e cambalear para trás. Essa era minha chance de acabar com isso de uma vez! Avancei em direção a dracaenae sem hesitar. Um só golpe agora e ela seria reduzida em pó. Mas não foi tão fácil assim.

Quando percebeu minha aproximação, a dracaenae abriu a boca, mostrando os dentes pontudos e afiados, o que me fez recuar instintivamente. Ao perceber minha reação, a criatura voltou a investir para tentar me atingir, porém previ seu movimento e fui mais rápida. Enquanto a criatura avançava, atingi seu corpo com minha espada, cortando-a. "Acabou pra você, mané!" pensei antes de dar o último e certeiro golpe na dracaenae que guinchou de dor antes de se dissolver em pó.

Sorri satisfeita e orgulhosa pelo meu treinamento concluido com sucesso. Nem foi tão difícil e nem me cansei tanto assim! Observei minha espada que agora espava completamente suja e pensei "Nada mal!". Sai dali para que eu pudesse voltar aos meus afazeres de cosplay de versão feminina de Dionisio


I'm not perfect... But I try to be
But I'll be perfect in my own way.

____

Christina {Chris} Rolstroy Lockhart
sexyiest Dion's Daughter x Wine's Girl x Baixinha, Invocada & Mandona
*-*:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Lucy M. Davenport
Filhos de Hades
Filhos de Hades
avatar

Mensagens : 59
Data de inscrição : 25/08/2012
Idade : 21
Localização : BUUUUUUU!

Ficha do personagem
Vida:
110/110  (110/110)
Energia:
110/110  (110/110)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Seg 03 Jun 2013, 18:45


Now, fight!

Horário: 10:30 ás 11:25.
Monstro: Uma harpia.

Chega uma hora na vida, que você chega a questionar suas escolhas. E a minha, não fora bem uma opção. Desde que me tornara uma semi-deusa, minha vida num foi à mesma, se isso pode ser mesmo chamar de vida. Aliás, isso está dramático demais até para mim, e se não tivesse cercada de uma multidão de campistas, socaria minha própria cara. Quer saber? O acampamento me deixara bem mais violenta, e se não achasse qualquer coisa na qual não poderia agredir, enlouqueceria. E aqui estava eu, á caminho da arena para exercer mínimas horas de treino. Um pacote de salgadinhos encontrava-se em uma de minhas mãos, era isso ou par de minhas adagas brincando entre os meus dedos. Tinha um mínimo sorriso em meus lábios, e sinceramente, sabia que poucos poderiam vê-lo com clareza, apenas se fitassem meu rosto fixamente. Bem, isso não me importava e pouco pretendia me aproximar das pessoas como antes. Era um dia nublado, o céu estava fechado e parecia que qualquer hora iria chover o tempo perfeito para mim. Para uma filha de Hades, aceitara a escuridão como ninguém, e até a luz do sol me desagradava ultimamente, graças a Zeus. Um anel de caveira pendia em meu dedo indicador, e me deixava ainda mais animada para lutar. O meu rabo de cavalo balançava as minhas costas, roçando em minha pele da nuca. Mordi meu lábio inferior, no mesmo momento que me encontrei na arena. Hora de treinar.

Ouvi passos lentos se aproximando de mim, não costumava ser pega de surpresa. Odiava surpresas. Já erguia uma sobrancelha e peguei em meus anéis de caveira, pronta para ativá-la. Voltei-me para trás antes no mesmo instante, deixando meus cabelos loiros balançarem a minha volta. - Hora se não é a filha de Hades. Não esperava te encontrar aqui tão cedo, o que deseja?- Perguntou um instrutor de cabelos escuros e olhos fixos verdes. Dei alguns passos adentro da arena, olhando em volta e observando um número extenso de semi-deuses em seus treinos. - Surpreenda-me. Não quero nada fácil para hoje. - Disse sobre o ombro, virando-se de costas para o jovem de cabelos escuros. Peguei na minha perna, abaixo do joelho e a apertei contra a lateral do meu corpo. Estiquei os braços para o alto e estralei meus ombros, balançando a cabeça de um lado para outro. Exercitar-se antes era o melhor a se fazer, como posso dizer? Já fazia algum tempo que não treino e me sentia um tanto enferrujada. Minha paciência já estava indo para os ares quando algo chamou minha atenção. Uma criatura sobrevoava os céus, se bem que era bem gorda para sustentar seu próprio peso com aquelas asas moribundas, e pousou há apenas três metros a minha frente. O que era isso? Escassez de criaturas no acampamento? Até as ''tias da limpeza'' estavam nessa. Aquela criatura era uma junção de ave e fisionomia humana, com garras e dentes extremamente afiados, dando-lhe um aspecto sinistro. Ativei meu anel, e no mesmo instante, um par de adagas de ferro estígio encontrava-se em minhas mãos. Eu as admirava tanto, eram minhas armas favoritas e adorava usá-las, como faria agora.

- Hora do jantar. - Anunciou a harpia, com sua voz cortante e lambeu os dentes com sua língua. Podia sentir seu mau cheiro dali, era uma dos monstros mais repulsivos que já enfrentei. Não demorei a me mover, pondo-me em uma posição de ataque. Pisquei para ela, demonstrando o desafio. Movimentei minhas adagas em sua direção, fazendo um movimento na vertical. A harpia avançou com extrema agilidade, com um bater de asas. Suas garras estavam direcionadas a mim e me pareceram ainda mais cortantes. Girei para o lado esquerdo, suas garras roçaram em minha cintura e rasgaram minha camisa laranja. Droga. Aquela harpia era rápida demais, teria que ter toda minha concentração nos movimentos dela. Pisquei, deixando que meus pensamentos e ações ficassem mais claras e seguissem-na. Minha adaga direita roçou em sua perna penosa, cortando-lhe. Em seguida, levei um chute no rosto, desaproximando-se da criatura por alguns centímetros. A harpia grunhiu com o golpe, e pude ver o seu ferimento respingando sangue no chão. Cerrei os dentes e apertei minhas adagas com mais firmeza, com a mesma raiva que a harpia demonstrava. A criatura avançou novamente, ainda mais rápida e letal. Mirei em uma de suas asas, golpeando-a na vertical com força, em seguida, chutei-a na perna na tentativa de afastá-la, antes que pudesse me ferir. E para minha surpresa, a monstra estava preparada. Com golpes consecutivos, suas garras prenderam em meu braço direito e fiz extrema força para manter minha adaga em minha mão. Cravei minha adaga em seu pulso, puxando-a em seguida. A harpia urrou de dor, jogando-me para o lado e insinuando suas presas.

Respirei fundo, olhando para o meu ferimento. Não tinha tempo para ele neste momento, tinha que acabar com essa maldita antes que ela acabasse mesmo comigo. A criatura aparentava estar furiosa, e com uma rapidez que meus olhos mal conseguiram acompanhar, chutou o meu rosto. Desgraçada! Cerrei os dentes, abolindo o gemido que se amontou em minha garganta. Golpeei-a na horizontal, usando uma de minhas adagas. Em seguida, sem ao menos uma pausa, avancei com mais um golpe da vertical com minha adaga esquerda. A harpia esquivou-se do primeiro golpe com um bater de asas, já o segundo, causou um corte vertical em uma de suas asas, que agora, sangrava. Neste exato momento, a criatura soltou um grito de batalha. Antes mesmo de pensar, apenas a chutei para que pudesse se afastar o bastante. Atrapalhei-me com suas pernas horrendas e quase caí ao chão com a monstra. A harpia encontrava-se tropeçando em pleno chão terroso, e chegara a hora de acabar com aquilo que comecei. Não gritei como qualquer um faria em minha situação, apenas tinha um mínimo sorriso malicioso em meus lábios, que já festejam a vitória iminente. Meus cabelos loiros flutuavam a minha volta, e com rapidez, quase pulei para que pudesse ficar acima de seu corpo. Coloquei meu joelho na altura de seu pescoço, apertando-o com força enquanto seus olhos olhavam com raiva para o meu rosto triunfante. Como fim do combatei, cravei-lhe minhas adagas em seu peito, uma em seu coração, outra no lado contrário. Sentia-me ainda mais confiante quando a carcaça da monstra tornava-se pó, voltando para o tártaro onde jamais teria quer ter saído, mas ela voltaria, disso não tinha sombras de dúvidas.

Levou apenas um instante para recuperar o fôlego, voltei a ficar em pé em apenas alguns minutos. Desativei minhas adagas que retornaram a sua forma de anel de caveira, que neste momento, voltaram aos meus dedos. Ignorando a multidão de campistas que ainda treinavam na arena, caminhava em direção à enfermaria pressionando o ferimento profundo que estava em meu braço direito, causado pelas garras da harpia, por mais que custasse admitir, precisava mesmo de cuidados médicos. E agora, perambulava em direção à enfermaria, com o meu objetivo concluído.

Poderes&Habilidade usados:
 

Armas utilizadas:
 

Arena; Harpia, Instrutor; CLOTHES: HERE;
CREDITS @


____

Watch it drop, because I'm in the top
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Aaron Zhang
Filhos de Hécate
Filhos de Hécate
avatar

Mensagens : 31
Data de inscrição : 20/06/2013
Idade : 23

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Sab 22 Jun 2013, 20:38


~Treinando Contra Mosntros...~

Hora:12:30 - 14:00
Monstro: Cães Infernais

Estava tão feliz por ser reclamado por Hécate, que nem pensei, corri para a Arena, queria treinar. Agora já sabia mais ou menos quais são meus poderes, no Arsenal do acampamento eu tinha pegado uma Lança Longa de aço reforçado com bronze sagrado. Era um pouco pesado, por isso foi mais difícil manipula-lo, mas logo eu já o estava manipulando bem. Demorou meia hora para mim conseguir manipulá-lo com firmeza Meus golpes, já tinham mais firmeza. A Arena estava vazia, a não ser pelo carinha que chamei para soltar os cães, talvez fosse ... "como se fala?..." talvez eu estivesse e precipitando demais, pois eu só havia lutado contra um monstro, como Hécate é uma deusa  também do submundo, então achei que seria mais fácil lutar com criaturas desse mesmo lugar. Dou sinal para o semideus para libertar os cães, que começam a latir imediatamente Rodo a lança acima da cabeça, levando a perna esquerda para trás de modo que me de um apoio, caso e precise usar de força para permanecer em pé. Os cães saltam e param a minha frente rosnando e começando a andar em volta de mim, em sentidos contrários, de modo que eu fui meio que cercado, comecei a pensar sobre o que fazer, os cães pareciam sorrir diante da minha falta de opções para fugir ou atacar, Observei que o semideus que os soltou ainda ali estava me observando com um olhar brincalhão. fecho a cara e decido atacar. Me concentro, esperando algo acontecer, e não  consigo usar nenhum poder, um dos cães cansado de esperar salta, capto a visão pelo canto do olho e salto para o lado, virando-me, enquanto o outro cão tenta me atacar, bato em na cabeça do cão 2, que começa a ganir, enquanto o cão 1 se levanta e se vira para me atacar de novo, ele para um instante e corre em minha direção, que fico parado até ele estar a uma distância, da qual ela não conseguiria virar para me atacar e saio do caminho, caindo quase ao lado do segundo cão, que agora parecia estar recuperado, a lança já estava há alguns metros de distância, e eu não teria tempo de pega-la sem ser mordido, ou morto. Num gesto automático lanço a mão ao bolso, e encontro um alfinete dentro, que esquenta e se alonga, transformando-se em um cajado metálico, demoro um pouco observando o cajado, e quando vejo há um cão sobre mim rosnando e babando, sem pensar bato o cajado em sua cara e rolo para debaixo do mesmo, dando um forte golpe em sua barriga, levanto-me e começo a correr até a lança, mas o cão 2 entra na minha frente e sai com outro forte golpe meu contra ele, usando o cajado, ao alcançar a lança, pego-a e viro-me. A lança é fincada dentro da boca do cão, fazendo-o explodir em um pó dourado. o outro me ataca novamente, e desvio-me de seu ataque, tentando acerta-lo com a lança, mas o cajado ainda em minha mão atrapalha, jogo-o ao meu lado. O cão corre para longe, agora sozinho, e se virou, olhando me no olhos. Pelo menos era essa a impressão que dava. Ele parecia ter fogo nos olhos, provavelmente estava com ódio pois eu matar seu companheiro. Ele corre em minha direção, levanto a lança ao lado de minha cabeça e me preparo, esperando pelo ataque, que logo começa com o monstro correndo, e saltando, não sabia se isso era possível, mas o cachorro tinha uma boa noção de força e distância, se eu não atacasse, ele iria cair bem em cima de mim. O tempo desacelerou, minhas mãos pesaram e com esforço taquei a lança, o tempo parece voltar ao normal enquanto a lança passava zunindo ao lado de minha orelha, acertando o peito da criatura, e novamente ouve outra explosão de pó dourado. já cansado ouço uma batida de palmas e vejo o mesmo semideus, saindo da arena, nem ao menos olhando para trás, isso me incomodou um pouco, mais em poucos segundos eu já havia esquecido. Voltei ao arsenal para guardar a lança, pensando se para que para um primeiro treino, em minha auto avaliação, foi ótimo. Guardo a lança e vou embora para meu chalé. Ao colocar a mão no bolso, percebo que havia outro alfinete, tirando o do bolso, percebo que é o mesmo que usei antes, aquele que se transformou. Já ouvira falar de armas que voltavam sozinhas para o dono e se esse cajado fosse uma delas, eu ficaria super feliz, pois eu não era muito bom com coisas, acabava sempre perdendo algo. Voltei ao chalé, onde arrumei minhas coisas e fiquei lá por um tempo.




Template feito por Lockey ... no Terra de Ninguém
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Thanatos
Deuses Menores
Deuses Menores
avatar

Mensagens : 403
Data de inscrição : 03/05/2012

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Sex 28 Jun 2013, 18:14

 Avaliação  


Christina R. Lockhart

Ortografia - 8/10 

Coerência , coesão e organização e conteúdo e idéias - 15/30

Organização do post - 10/10

Uso adequado de linguagem - 15/15

Estratégia e Uso de Armas, Habilidades e Poderes - 5/10

Capacidade descritiva 15/25

TOTAL=68xp

Lucy M. Davenport

Ortografia - 6/10 

Coerência , coesão e organização e conteúdo e idéias - 23/30

Organização do post - 10/10

Uso adequado de linguagem - 15/15

Estratégia e Uso de Armas, Habilidades e Poderes - 8/10

Capacidade descritiva 20/25

TOTAL=82xp

Aaron Zhang

Ortografia - 7/10 

Coerência , coesão e organização e conteúdo e idéias - 20/30

Organização do post - 10/10

Uso adequado de linguagem - 15/15

Estratégia e Uso de Armas, Habilidades e Poderes - 7/10

Capacidade descritiva 18/25

TOTAL=77xp
ATUALIZADO.


Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Dominic L. Kristen
Indefinidos
Indefinidos
avatar

Mensagens : 15
Data de inscrição : 08/07/2013
Idade : 20
Localização : Se você é um idiota mortal, não irá me encontrar nem tão cedo. Mas, se chega a ter pelo menos uma célula de ligação com um ser imortal, poderá me encontrar. Atravesse o guarda roupa, estarei em um mundo desconhecido pelos que não tem imaginação, estarei em Narnia. :3

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Qua 10 Jul 2013, 10:30


Era uma tarde calorosa e a recém reclamada, Dominic, estava entediada em seu chalé. Ansiava ardentemente por um treino, por ver sangue. Nada melhor do que transformar esse desejo em realidade. A garota se levantou após ficar um tempo deitada e foi ao banheiro, ajeitou-se vestindo uma regata preta e um short jeans, adentrou novamente no quarto e foi até o baú que ficava ao lado de sua cama. Ao abri-lo se deparou com os presentes de reclamação que ganhara de seu pai, Ares.

De todos os itens que ali haviam, a garota escolhera o bastão que, poderia se transformar em qualquer arma desejada. Saiu dali carregando-o em sua mão esquerda. A garota andava a passos rápidos e determinados em direção a grande e fabulosa arena.

Quando chegou lá, observou bem. Não poderia se chamar de cheia ou barulhenta pois, parecia que os campistas haviam tirado folga e não avisado para a pequena Dominic. A guria sorriu e foi caminhando ao que se pode chamar de "alojamento de monstros", que era onde se localizavam as jaulas com os monstros a disposição dos campistas. Dominic, não havia chegado a tanto tempo no acampamento, deveria escolher um monstro não muito difícil e, foi exatamente o que ela fez.

Observando as jaulas ela conseguiu decifrar o nome de um monstro com facilidade, pois estava escrito em grego antigo, cão infernal. A garota não exitou, soltou a fera e esta, veio correndo com sede de sangue em sua direção. Esperta a menina desviou do ataque do animal e se apoiou em seu joelho direito enquanto com a mão esquerda ela erguia o bastão transformando-o em uma lança atrativa feita de prata. A lâmina brilhou ao fim da transformação e, a prole de Ares riu voltando seu campo de visão para o cão.

Sem exitar, a guria correu em direção ao cão que, por sua vez corria em direção a ela. O encontro de ambas criaturas presentes na arena não fora muito conveniente pois, devido ao peso do cão, a garota foi levada ao chão. Com o olhar raivoso ela jogou ele dali e disse para si mesma:

"saia daqui sua coisa repugnante..."

O cão pareceu escutar e correu na direção da garota novamente, esta por sua vez, estava preparada com a lança em mãos e atentada a cada passo que a criatura dava. O cão se aproximou e saltou sobre ela, porém ela foi esperta e desviou aproveitando o momento para desferir um corte de arco de 180º no local onde ficariam as costelas da criatura. O cão pousou girando seu corpo rapidamente num ângulo de 60º onde, ficou novamente de frente para a garota que, sorria pelo seu ato recém feito. Ele correu na direção dela com a boca espumando e as garras a mostra. A garota se abaixou e quando o cão saltou ela deslisou por debaixo de sua barriga e levantou sua lança fazendo com que outro corte fosse desferido ali.

Ela se levantou e quando olhou para trás o cão já corria na direção dela novamente e saltou sobre a mesma com resíduos de sangue fresco em seu corpo. A garota além de suja de sangue, foi levada ao chão e teve seu ombro mordido pelas presas aparentes do raivoso cão infernal. Uma dor enorme percorreu seu ombro e, ela afagou o chão agoniadamente a procura de sua lança mas, esta tinha caído um pouco longe dali.

Para se soltar, a garota levou suas mãos aos olhos da criatura e apertou-os até sentir o cão a soltando. Havia perfurado os globos oculares da criatura com sua unha. Rio e foi em direção a sua lança que, agora em mãos brilhava maliciosamente. Ela olhou para o cão que agora estava cego e sem saber para onde ir, caminhou até ele e cravou sua lança perfurando o cranio do mesmo.

Nada mais restava se não o pó amarelo de podre essência da criatura que a pouco estava ali. Transformando a sua lança de volta ao que era, a garota sai da arena e caminha até a enfermaria, embora não muito profundo, o corte de seu ombro iria precisar de cuidados médicos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Dionísio
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos
avatar

Mensagens : 187
Data de inscrição : 04/01/2013
Idade : 21
Localização : Casa Grande

Ficha do personagem
Vida:
99999/99999  (99999/99999)
Energia:
99999/99999  (99999/99999)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Qua 10 Jul 2013, 18:46

♦Avaliado e Atualizado♦




Dominic L. Kristen

Ortografia - 9/10
Coerência, Coesão, Organização, Conteúdo e Ideias - 20/30
Organização da Postagem - 9/10
Uso Adequado de Linguagem - 15/15
Estratégia e Uso de Armas/Habilidades e Poderes - 7/10
Capacidade Descritiva - 20/25

Total: 80xp

Algumas dicas:
→ Tome cuidado com alguns erros comuns. Nada preocupante. Utilizar o Word pode ajudar a evita-los.
→ Senti dificuldade em entender algumas das suas ações. Releia o post antes de postar. Pode ajudar a verificar incoerência.
→ É interessante utilizar cores para diferenciar a narração do pensamento e das falas.
→ Parabéns. Mesmo sendo uma novata, vejo potencial no seu post.




Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics

____

Dionísio
Senhor para você • Deus do Vinho • Deus da Loucura • Deus da orgia e prazeres carnais •Thanks Larissa Sant @ Sugar Avatars


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Emily S. Grey
Filhos de Nêmesis
Filhos de Nêmesis
avatar

Mensagens : 13
Data de inscrição : 16/07/2013
Idade : 22
Localização : Chalé de Nêmesis

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Sex 19 Jul 2013, 15:37

Emily S. Grey escreveu:
The injustice that is done to one is a threat to all that is done.

O acampamento estava quieto, porém, a noite estava bela e parecia que ainda era possível ter um pouco de agitação por entre a calmaria que emanava da noite. A lua brilhava intensamente no céu e algumas vezes uma brisa leve entrava pelas janelas do chalé de Hermes.

Após o treino de algum tempo atrás estava extasiado. Cocei os olhos com os punhos cerrados e caminhei até o banheiro para realizar a minha higiene pessoal. Mal podia esperar para treinar logo, era 21:45 da noite. Tomei um bom banho para afastar quaisquer resquícios de sono e então vesti a mesma roupa do dia anterior, iria enfrentar algum monstro pela primeira vez. Sai do chalé de Nêmesis levando comigo minha espada da justiça e meu manto sobre os ombros.

(...)

Cheguei à arena e percebi que estava vazia novamente, como de costume a essa hora da noite. Observei as sombras dançando sobre os archotes e "caminhando" pelo chão, analisando o lugar com olhos vazios. Não demorou muito para que eu pudesse avistar uma mulher galinha ou harpia - um pouco gordinha com a cara chupada, longas asas repletas de penas e garras que pareciam ser bem afiadas por sinal -, dando a impressão de estar altamente esfomeada, pois atacando sem piedade algum resto mortal de um animal na arena. Minha mão suava frio, mas meu rosto não transmitia medo e então saquei minha espada da vingança para começar a batalha contra a harpia.
Andei alguns passos a frente e pisei em algo que parecia ser um galho seco, realizando um ruído que chamou repentinamente a atenção da mulher galinha em minha direção. A Harpia lambeu os lábios sujos de sangue e fitou-me como se eu fosse o próximo lanche a ser degustado. Olhei sem expressão e com um olhar vazio para a Harpia. Tecnicamente eu não transparecia medo, mas estava assustada com a situação.

- Vai ficar só olhando? - A harpia esboçou um sorriso cínico os lábios sujos de sangue e logo voou em minha direção, apontando suas enormes garras que pareciam bastante afiadas. Senti um leve frio na barriga quando as garras afiadas passaram de raspão em minha orelha esquerda quando me esquivei. Assim que voltei a posição de batalha, ergui a espada até a altura do tórax e desferi um golpe em diagonal contra a sua asa direita. O golpe passou no vácuo, pois no ar, a criatura era muito rápida o que era estranho por parecer ter muito peso. Praguejei, respirando fundo e flexionando os joelhos enquanto retornava a posição inicial, fixando o olhar contra a mulher-alada.
A Harpia se aproximava mais uma vez para outro golpe, o que me fez instintivamente erguer a espada e esperar tempo suficiente para dar uma estocada perfeita. Acertei o tórax da criatura, soltando um pouco de sangue e penas. O monstro soltou um urro de dor e parecia ficar mais furiosa por questão do golpe. Acelerou os batimentos de suas asas e contra-atacou com um rasante diretamente em meu rosto, me fazendo ficar tonta e cair sentada. A criatura usufruiu de sua velocidade aérea e deferiu outro corte em meu braço que segurava a espada, provocando um talho leve que escorria um fino filete de sangue.

Franzi meu rosto pelo leve corte. A sensação era a mesma da noite passa, na floresta, quando ele dissera aquelas palavras duras. Eu já deveria ter me acostumado com as mesmas assim que perdi meu pai, mas não. Levantei-me e brandi a espada novamente. Olhei ao redor procurando a Harpia, mas ainda meio aturdida perdi ela de vista senti assim sentindo pequenas lufadas de vento vindo do alto, os archotes estavam sendo apagados pela criatura, o que ela não sabia era que isso não iria me atrapalhar. A Harpia realizou outro rasante, o que me fez segurar a lâmina na horizontal e a bloqueando, desferindo um empurrão com o corpo e a espada travada entre nosso corpos e a lançando à um pouco para longe. Firmei meus pés no solo, enquanto ela veio com uma saraivada de chutes aéreos sobre mim. Levantei a espada a altura da cabeça e os cotovelos frente ao rosto, sentindo o peso dos chutes e dos cortes sobre meus braços, deixei a espada preparada e empurrei a Harpia com a lâmina num momento de descuido da mesma, desferindo uma estocada no seu pé direito que descia para mais um ataque. O sangue jorrava sobre meu rosto e a Harpia se movia para longe mexendo o pé ferido.

Aproveitei a situação e cravei no chão firmemente a base da lâmina e limpei o sangue do meu rosto com a mão, levantando a palma da mão em seguida em direção a criatura alada, concentrando-me na base do corpo da mesma. Respirei fundo, pensando nos piores momentos que já passara e principalmente os fatos da noite anterior. Meu primeiro dia no acampamento, meio deslize em meio a meus sentimentos. Tudo. Minhas mãos se ascenderam num brilho avermelhado, seguindo diretamente em um filete que 'marcou' o tórax da Harpia com um símbolo de "✤". Ela estava marcada pela justiça. Agora seria mais fácil lutar contra a mesma e teria certa vantagem. Aproveitei o momento que ela se desestabilizou devido a Marca da Justiça e realizei uma finta com a espada, a girando e puxando-a em seguida para trás. Empurrei a Harpia, fazendo com que uma de suas garras se partisse ao chão. Ela, furiosa,  deu outro rasante buscando acertar meu rosto. Abaixei-me e  saltei numa cambalhota para frente. Me pondo de joelhos, limpei o suor que escorria pela testa e me ajoelhei com a espada em base. Estava respirando normalmente, meu corpo ficava frio em vez de quente, o que era estranho. A Harpia sentia se movimentava para trás com pequenos calafrios. Levantei-me e entrei em posição ofensiva, enquanto a Harpia me olhava com receio.

- Frio? Gosto de comida quente - Proferiu certas palavras com mais assombro que veracidade. A Harpia recuava lentamente. Deveria estar perdendo a fome, ou, apenas estava com medo. Arquejei para frente e iniciei uma corrida em sua direção. A Harpia tremeu e se desiquilibrou no ar enquanto recuava e não viu a espada cortando sua asa destra com um forte horizontal, fazendo-a cair feito peso de papel. A Harpia levantou-se, me encarando preocupadamente, mas eu não esboçava nenhuma expressão. A marca da vingança funcionara e agora, a luta era justa com ambos os participantes em terra. Ela avançou, desferindo alguns cortes e tapas com a única asa que lhe restara, mas era facilmente bloqueada por minha lâmina que se encontrava com suas garras e penas em pleno ar, prensando-a. Senti que estava tendo vantagem e descuidei-me, dando espaço para a Harpia que cravou suas garras no meu braço que segurava a espada. Ogolpe foi profundo e expeliu muito sangue, formando um hematoma terrível exposto. Senti o braço latejar da dor causada pela golpe, mas iria aguentar a pressão até o término da luta. "Posso aguentar até lá". Pensava enquanto fintava com o corpo de suas investidas. Eu precisava encorajar a continuar enquanto focava meus olhos nos olhos da Harpia, que sempre desviava o olhar com pequenos calafrios devido a seus ferimentos.

Avancei alguns passos, pronto para desferir uma forte estocada no tórax da besta alada, mas ela conseguiu desviar com passos para trás e atacando-me com um tapa em minha face, o que passou despercebido por minha defesa e ocasionou em um leve corte em minha bochecha, no qual um pequeno filete de sangue percorria pelo queixo e pingavam no solo arenoso da arena. Senti uma pequena queimação no local atingido mas não esboçava nenhuma expressão de dor. Girei a lâmina da esquerda para a direita, flexionando minhas pernas e dando um impulso contra o corpo da Harpia, desestabilizando-a e atingindo-a Harpia no tórax, cravando minha espada até empalar a criatura por completa e a mesma explodir numa nuvem de poeira dourada. Cai ao chão, agonizada pelos ferimentos e clamando por uma ajuda a alguém, mesmo sabendo que ninguém estaria ali para me ajudar. Estava sozinha e agora só podia sentir meu corpo estremecer, sem nenhum músculo sequer responder a minha imensa vontade de me por de pé e continuar. Tudo ficou escuro e logo, desmaiei adentrando na escuridão imensa de meu subconsciente.


Arma Utilizada:
 
Habilidade Utilizada:
 

____

Emily S. Grey

Filha de Nêmesis | 17 Anos | Sexy Sem Ser Vulgar -q

credits @
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hefesto
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos
avatar

Mensagens : 33
Data de inscrição : 06/04/2013

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Sab 20 Jul 2013, 14:40

♦Avaliação♦



Emily S. Grey





♦ Ortografia
 - 10/10 pontos

♦ Coerência , Coesão,Organização, Conteúdo e Ideias - 26/30 pontos

♦ Organização da Postagem - 10/10 pontos


♦ Uso Adequado de Linguagem - 15/15 pontos
 
♦ Estratégia e Uso de Armas/Habilidades e Poderes - 9/10 pontos  

♦ Capacidade Descritiva - 25/25 pontos
 

Total = 95


 Atualizado.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Lilian Froze
Filhos de Nêmesis
Filhos de Nêmesis
avatar

Mensagens : 120
Data de inscrição : 28/04/2012
Idade : 20
Localização : Longe de tudo.

Ficha do personagem
Vida:
148/158  (148/158)
Energia:
128/158  (128/158)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Ter 30 Jul 2013, 00:10



so do you need

the red and warm liquid...?




Há quanto tempo eu me trancafiei no meu próprio mundo? 


Lilian... Será que você pode sair logo do banheiro? – era Stefan, seu enchedor de paciência particular. A chamada bufou, abrindo a porta do banheiro, ainda amarrando seus cabelos do modo que sempre fazia.

– Você é apressado – comentou, colocando o manto e pegando seu mangual, saindo do chalé da deusa da vingança.

Não tenho certeza, mas eu tinha me esquecido de como o brilho do sol é irritante.
Suponho que... Somente o sangue não saiu de minha cabeça. 


Ela estava em um claro estado de abstinência, mesmo que não o mostrasse em palavras, suas olheiras e sua pele doentiamente pálida a denunciavam. Parece que tinham trancafiado-a em seu chalé para que problemas futuros não fossem causados. Obviamente, esse tempo em cativeiro não funcionou, Lily só desejava mais sangue.

Por isso, foi diretamente para a arena, invadindo a parte de treino com monstros. O sátiro responsável tentou pará-la enquanto ela adentrava a parte dos cães infernais, em vão. Os olhos rosas brilhavam de vontade em conseguir sua droga mais uma vez, e não seria ele a impedir.

Duas asas negras apareceram nas costas da garota quando ela avistou o monstro. Este estava dormindo calmamente antes de sentir a presença da filha de Nêmesis. Um sorriso sádico passou pelo rosto da rosada e o mangual brilhou com as chamas do monstro.

O cão infernal deu um uivo antes de investir contra Lilian, correndo rapidamente em sua direção. A campista alçoou voo quando ele chegou perto demais, já abrindo seus braços. Riu consigo e bateu suas palmas, lançando vários dardos contra ele. Aproveitou a chance para apontar para ele, com os olhos semi-cerrados, dando-lhe a marca.

Ele foi rápido, mas nem tanto. Vários dardos o atingiram, ainda mais lerdos que a marca. O símbolo da balança ensanguentada estava na aura do animal antes dos objetos pontiagudos. Foi então que finalmente, ah, finalmente, Lily encontrou-se mais uma vez com seu amado líquido rubro...!

Este escorria do couro do cão, exalando aquele cheiro delicioso...
E a cor... A mais linda de todas!

Infelizmente, antes que pudesse perceber, uma bola de fogo atingiu-a, derrubando-a do ar. Tossiu algumas vezes e teve um pouso relativamente bom, proporcionado pelas asas. Ansiosa, assim que seus pés tocaram o solo, Lilian ativou os dois lados de seu mangual, correndo como uma maníaca em direção dele, deixando as asas em uma posição aerodinâmica.

Atingiu-o em cheio com ambos os lados, perfurando-o. Em câmera lenta ela enxergou seu tão amado sangue saindo dele. O sorriso foi sendo formado em seus lábios a medida que ele gemia de dor. 

Foi arremessado para longe ao mesmo tempo que ela alçava voo e fazia um rasante contra ele, rindo. O impacto do golpe anterior dela tinha deixado-o cambaleante, principalmente pelos poderes que ela tinha utilizado, então ele ainda estava se levantando quando ela o atingiu pela última vez.

Fora bem agressiva nesse golpe, que além de ter retirado a vida do monstro, sangue espirrou em seu rosto. Como ele ainda pegava fogo, Lilian continuou sendo queimada enquanto tocava os rubis derretidos. Se não fosse por alguns sátiros que foram reunidos pelo que cuidava da área, teria virado tostadinho.

Armas Utilizadas:
 
Poderes Utilizados:
 



TAGGED: Stefan & Satyr. WEARING: dark robe and camping clothes. NOTES: none

• by Mari from OPS!&TdN •

____


Lilian {Takuto} Froze
Once upon a time :: I've loved someone :: But today... :: I want you all to disappear
Thanks Thay Vengeance@ Cupcake Graphics

...:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hipnos
Deuses Menores
Deuses Menores
avatar

Mensagens : 18
Data de inscrição : 05/01/2013

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Qui 01 Ago 2013, 06:09

♦Avaliação♦



Lilian Froze





♦ Ortografia
 - 9/10 pontos

♦ Coerência , Coesão,Organização, Conteúdo e Ideias - 22/30 pontos

♦ Organização da Postagem - 10/10 pontos


♦ Uso Adequado de Linguagem - 12/15 pontos
 
♦ Estratégia e Uso de Armas/Habilidades e Poderes - 10/10 pontos  

♦ Capacidade Descritiva - 18/25 pontos
 

Total = 81 xp


 Atualizado.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Lyra Daiamonts
Filhos de Quione
Filhos de Quione
avatar

Mensagens : 8
Data de inscrição : 25/06/2014
Idade : 19
Localização : Chegando em Vancouver

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Fiz um Novo Amigo   Seg 30 Jun 2014, 14:26

Bom hoje meu treino vai ser mais avançado, já que vou fugir de noite, eu entrei na arena de combate contra monstros proucurei o responsável pela arena naquele dia e o encontrei olhando uns papéis:
-Ah, com licença?
-A sim, perdão eu estava concentrado...
-Não precisa me esclarecer nada, a vida é sua, não é de minha conta saber o que estava fazendo.
-Ok, então o que a traz aqui?
 -Quero lutar contra um monstro.
-Algum de sua preferência?
-Não, qualquer um serve.
-Tudo bem.
Ele  me conduziu ao centro da arena antes eu peguei um arco e flecha, e uma espada ambos da arena pois eu ainda não recebera meus presentes de reclamação, joguei a espada no canto e preparei o arco, o garoto soltou o monstro, fiquei parada o observando, era um belíssimo Dragão, acho que não tinha coragem de mata-lo, eu fui salva por um dragão quando pequena,  o campista ficou me olhando, eu fiz uma coisa muito estranha, corri até a fera e a abracei, o dragão me abraçou com as asas e eu consegui entende-lo, ele disse que fugiria comigo,  fiquei olhando aqueles olhos vermelhos.
-Ahhh, Lyra?
- Sim.
-Achei que tivesse vindo aqui para treinar e não para abraçar seu adversário.
-Desculpe não consigo matar Dragões,  esse é meu defeito mortal.
-Então eu vou prende-lo e...
-NÃO! Quer dizer, deixe-o livre.
-Eu não posso fazer isso.
O dragão me disse que tudo bem, e pediu que eu voltasse para busca-lo antes de partir, eu concordei e deixei que o prendessem.
-Bom já que não quis matar o dragão que tal matar um cão  Infernal?
-Pode ser.
Ele soltou a fera e eu peguei a espada, aquela coisa queria me dar uma patada mas eu consegui dessvia-la com a espada  cortando suas garras, isso o deixou mais furioso e ele tentou me morder em vez de mim ele mordeu a lâmina da espada e aquilo fez um de seus dentes cair, eu peguei a presa gigante e guardei no bolso, o animal voou para cima de mim e eu ergui a espsda que perfurou sua garganta, primeiramente escorreu um pouco de sangue, que eu guardei ne um frasco depois ele se dissolveu em pó dourado, eu adoro quando isso acontece! Sai andando e passei na casa grande, quando cheguei lá não havia ninguém mas deixei um bilhete pedindo permissão para ter o dragão como pet e assinei meu nome, então voltei para o chalé.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Henk Morgan
Filhos de Dioniso
Filhos de Dioniso
avatar

Mensagens : 18
Data de inscrição : 04/01/2013
Idade : 21
Localização : Acampamento

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Seg 30 Jun 2014, 15:29




Fight! And Fight Again!

Gostou das minhas garras?♥

"


Aquela era a primeira vez que resolvi atender ao chamado do acampamento... Tinha chegado ali a alguns dias já, mas claro que como sempre nunca tinha feito nada de útil... Treinos, limpar os estábulos... Nada.
Porém, aquele era um dia onde decidi que tudo ia ser diferente.
O dia ainda estava meio escuro por o sol não ter nascido completamente.
Eu estava deitado olhando para o teto, tinha perdido o sono ao sonhar com o incêndio em minha casa. Devia ser por volta as seis e meia, um bom horário para começar a me arrumar.

Me levantei em silêncio evitando acordar alguns meios-irmãos e caminhei até onde minhas roupas ficavam. Coloquei uma calça jeans com uma bota e uma camiseta branca em seguida colocando meu casaco de leopardo por cima, por ser um pouco cedo ainda estava fazendo frio graças ao orvalho.
Voltei a cama e agarrei o tirso, era somente disso que precisava, e então me dirigi a arena.
Meus passos pareciam ser os únicos no momento, ninguém parecia ter acordado junto a mim, o que me deixava mais tranquilo visto que era meu primeiro treino.

Ao chegar no local parecia ter chegado junto com o instrutor, era exatamente sete da manhã e ele estava abrindo o local, logo percebeu minha presença.
-Ei... Uma das raras vezes que alguém chega junto comigo... Ninguém gosta muito de treinar tão cedo assim.
Começamos a entrar no local que claramente estava vazio.
-É... Nunca treinei, preciso mudar o ritmo de algumas coisas aqui. -Tentei parecer simpático enquanto me sentava no chão de terra esperando ele.
-Pra ser sincero, nenhuma luta aqui vai ser igual a uma luta lá fora, mas com o tempo da pra ter uma noção. -Ele caminhou até um amontoado de caixas e empurrou uma até o centro da arena. -Pronto?

Claro que ele não esperou minha confirmação e puxou a tampa da caixa.
Me levantei agarrando o tirso e ficando na posição de guarda. Logo um barulho começou a sair da mesma, algo como um síbilo de cobra que dizia; "Semideus... Cheiro de semideus"
Não demorou muito e uma calda reptiliana escorreu pra fora da caixa, e então duas. Mais rápido do que podia reparar o monstro já estava todo do lado de fora.
Duas caudas se uniam ao tronco de cobra e uma cabeça de mulher. Segurava um escudo e uma lança e seu corpo era todo verde.
-Que diabos é isso, porra?
Esperei que o treinador respondesse, mas nada aconteceu. Eu estava sozinho ali.
O monstro veio pra cima de mim e tentou espetar minha cintura com sua lança. No exato momento desviei para o lado e rodei o tirso na direção dela, o que teria sido um corte perfeito se ela não brandisse o escudo. Novamente me preparei e ela atacou com a lança, dessa vez desviei para o lado errado e o monstro socou o escudo em meu rosto me fazendo titubear um pouco, isso foi o suficiente.
Senti uma sensação agonizante em meu abdômen e o monstro riu colocando a língua para fora quando sua lança perfurou minha barriga.
Me afastei e cuspi um pouco de sangue quando sua lança saiu de meu corpo e eu me pus de joelhos no chão sentindo o sangue escorrer e levar consigo minha energia vital.
Fiquei ali um pouco enquanto o monstro me rodeava como se fosse um urubu pronto pra atacar a carniça. Ela empurrou meu corpo com a lança me fazendo cair no chão enquanto minha visão se embaçava mais. Aquele bicho estranho cujo não sabia o nome continuava rindo.
-Algum pedido, filho de Dioníssssssio? -Ela empunhou a lança pronto para me perfurar mais algumas vezes no abdômen.
-Sim... -Falei tossindo e sentindo o sangue que saia da boca me sujar todo. -Me mate com a lança em minha testa.
Ela riu concordando com a ideia e se concentrou em meu rosto, o que foi seu erro.
Meus olhos púrpuras encontraram os dela e a mulher cobra começou a se enrolar com as duas caudas e pra minha surpresa caiu em cima de mim.
Ela fazia força para se levantar, mas já era tarde demais.

Ativei meu casaco de leopardo e senti meu corpo se arrepiar. Meus sentidos foram aumentados, sentia o cheiro nojento dela bem mais forte e senti minhas garras.
Abri os punhos e então comecei a cravar as duas mãos várias e várias vezes em sua barriga sentindo o bicho se debater em cima de mim. Ela grunhia e urrava sentindo as grandes garras atravessarem seu corpo.
Então para acabar com aquilo cravei a mão em sua gargante e subi a mão até atravessar seu maxilar e arrancar sua língua que saiu em minhas garras. Em seguida a mesma explodiu em um pó dourado e seiva nojenta.

Me levantei com o apoio do tirso e então o treinador voltou.
-Ei, conseguiu matar a dracaenae? -Ele sorriu me ajudando a andar.
-Claro. -Evitei sorrir e continuei caminhando quando mostrei a perfuração em meu abdômen. Ainda sentia raiva por ele ter me deixado ali sozinho.
-Vamos pra enfermaria, isso dai vai ser resolvido rapidamente, relaxa.
Ele me apoiou me levando até a enfermaria para que cobrissem o ferimento logo, antes que inflamasse ou algo assim.


Poderes e Armas:
 



____


Son Of Dinísio ❦ Como o vinho, Forte e Seco  ❦ Chenk♥️


FOR YOU, BABY:
 

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hades
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos
avatar

Mensagens : 50
Data de inscrição : 17/07/2012

Ficha do personagem
Vida:
0/0  (0/0)
Energia:
0/0  (0/0)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Qui 03 Jul 2014, 14:30



  Avaliados & Atualizados 



Lyra Daiamonts

† Ortografia — 8/10 pontos 
† Coesão, Coerência, Organização, Conteúdo e Ideias — 12/30 pontos
† Organização da Postagem — 8/10 pontos
† Uso Adequando da Linguagem — 10/15
† Estratégia, Uso de Armas/Habilidades e Poderes — 4/10
† Capacidade Descritiva — 15/25
Total = 57


Obs: Sua ortografia não deixa a desejar, porém tive que levar em consideração alguns deslizes de pontuação e palavras. Mas nada que uma revisada antes de postar resolva, além de indicar que escreva no Word. Em relação a sua coerência, substitua algumas vírgulas por pontos, criando períodos, pois você cria parágrafos enormes ligando uma ideia na outro, dificultando o entendimento da narração. Com a coesão, evite repetir muitos "eu" até porque usar verbos no pretérito perfeito da primeira pessoa do singular já trás a ideia de que as ações se referem a sua pessoa. No momento de organizar seu texto, utilize mais as pontuações ao seu favor e abra mais espaço entre os parágrafos. O conteúdo narração foi fraco. Você poderia ter explorado mais, detalhado mais as coisas ao seu redor. Nas ideias, você viajou demais. Fora que abraçar um dragão é fora de lógica e contexto, você deveria ter morrido com tal ato. Lyra, você poderia ter buscado mais recursos para enriquecer o texto. Outro item que você deixou a desejar foi não ter investido em mais estratégias para combater o cão, foi uma luta rápida e mal desenvolvida. E, como, antes, você poderia ter descrito mais. Na próxima, cite as emoções da personagem; como ela se sente. Boa sorte na próxima.


Henk Morgan


† Ortografia — 9/10 pontos
† Coesão, Coerência, Organização, Conteúdo e Ideias — 28/30 pontos
† Organização da Postagem — 9/10
† Uso Adequando da Linguagem — 15/15
† Estratégia, Uso de Armas/Habilidades e Poderes — 10/10
† Capacidade Descritiva — 23/25
Total = 94


Obs: Serei breve já que você não precisa de uma avaliação mais rígida. Alguns erros que podem ser consertados com uma revisão antes de postar. Tente juntar alguns períodos em parágrafos um pouco maiores e dê espaço entre eles para que, quem for ler, não se perca entre uma linha e outra. Em relação ao último tópico, você poderia ter descrito mais o ambiente, as emoções e entre outras coisas.

____



Hades, Lord of the Underworld

the fucking perfect god Chuck, Arya, Ellen e Lucy ~ Meus pulguentos
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Treino de combate a monstros
Voltar ao Topo 
Página 5 de 5Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5
 Tópicos similares
-
» Arena para Combate contra Monstros
» [Treino 02] Combate II
» Hora do treino. A Rota 2
» — Maze Runner (Treino Trimestral: Perséfone, Hades, Melinoe, Thanatos)
» • The Prism - Treino Coletivo para filhos de Afrodite, Eos e Íris - Terceiro Trimestre de 2014 •

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Acampamento Meio-Sangue :: Arenas :: Treino de Combate à Monstros-
Ir para: