InícioInício  PortalPortal  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Atenção deuses! Há um aviso no Staff Loungue para vocês, entrem e leiam.

Important: Seu avatar é registrado? Ainda não?! Evite levantes, corra aqui: [MENINOS | MENINAS].
EM REFORMA, AGUARDEM! Novidades virão, algo que já estava mais do que na hora, não acham?!

Compartilhe | 
 

 Treino de combate a monstros

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte
AutorMensagem
Thanatos
Deuses Menores
Deuses Menores
avatar

Mensagens : 403
Data de inscrição : 03/05/2012

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Treino de combate a monstros   Sab 08 Set 2012, 10:25

Relembrando a primeira mensagem :


Treino de combate a monstros


A arena é um local onde os campistas podem evoluir suas habilidades, treinarem com armas, lutarem entre si ou contra monstros. Assim como em todo lugar, a arena tem suas regras, as quais podem ser lidas aqui.

Não serão avaliados os treinos postados fora do horário permitido em on. Bom treino.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário

AutorMensagem
Derek F. Fredrich
Filhos de Éolo
Filhos de Éolo
avatar

Mensagens : 10
Data de inscrição : 10/12/2012
Idade : 23
Localização : Nos seus sonhos

Ficha do personagem
Vida:
110/110  (110/110)
Energia:
110/110  (110/110)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Dom 17 Mar 2013, 23:22

"Estou agora disposto a treinar sozinho "


-BOM diiia Sol Acabei gritando e percebi que quase acordei meus irmãos chalé ,me levantei suavemente
Pois não gosto de Balbúrdia ...
pensei comigo treinar hoje ?? concerteza eu vou , me olhei no espelho acho melhor me Arrumar pois sou um dândi e não ando de qualquer geito , escovando os meus dentes percebi que estavam cantarolando no chalé comecei a rir pois conhecia a musica e percebi que alguns deles eram sonambulos,terminei de escovar meus dentes e fui para o meu armario ,peguei meu Arco de Ouro Branco ,ao pegar fui em direção da arena .



Chegando na Arena...
Logo ao chegar percebi que não avia muitos campistas treinando ,
-Fazer oque né vou treinar assim mesmo ...
Comecei a me aquecer pois não queria ter problemas na batalha .
Um pouco triste pelo meu ultimo treino ,mas feliz por ter oportunidades de montão ,
Vi que Quiron ja estava por lá e me Aproximei do mesmo
-Ola Quiron estou pronto para um novo treino. aguardando atentamente por sua resposta
-Assim que eu gosto. me respondeu Quiron com um quase sorriso
-filho de Éolo,realmente seu deus esta nos castigando hoje sinta a força dos ventos. Agora sim ele abre um sorriso muiito grande
-realmente Quiron,mas tenho certeza que e para me deixar mas forte.Eu estava rindo muito com Quiron
Rapidamente ele olho pra min e disse :
-Então se prepare pois ja iremos começar.
comecei a me prepara coloquei meu arco em mãos e vi que Quiron ainda estava em duvida ao escolher um monstro pra me
enfrentar ,aguardando atentamente por sua escolha
5 Minutos Depois ...
-Oque ouve Quiron ?? Com um certa indignação
-Desculpe me e que estou o cupado mas ja vou liberar seu monstro
-Muito obrigado Quiron
-E tenho uma coisa pra falar cuidado pois não existe monstros Inócuos
-Tudo bem vou me cuidar Quiron
-Pronto encontrei. Exclamou Quiron
-Esta pronto ?
-Sempre pronto .
-Então vai enfrentar um Esqueleto, observarei você caso precise de alguma ajuda .

Olhei para o esqueleto me bateu um medo mas a corajem era bem maior
Apontei meu arco para o esqueleto e lancei a flecha ,vi que tinha acertado porém não tinha feitos muitos estragos
ele veio para cima e eu me esquivei pois o esqueleto era sem geito.
Novamente preparei meu arco eu estava mas perto do que da ultima vez
Lancei a flecha acertando a perna do esqueleto percebi que consegui fazer um estrago maior
e me aproximei do esqueleto que estava no chão ,achei que ja estava ganha a luta
mas sendo o esqueleto um guerreiro de Hades levantou a espada e acertou meu braço me fazendo caminhar para traz
ele ficou de pé com dificuldade mas eu sabia que aquele ferimento iria me trapalhar um pouco comecei a lancar uma quantidade de flechas em cima dele porém minha mira não estava legal e acabei errando a maioria
Logo em seguida percebi que ele desviava das flechas ,mesmo sem geito ele conseguia desviar, Achava eu que por causa do meu ferimento no braço afetava a minha velocidade ,Lancei mas uma em direção a sua perna contudo rapidamente utilizei o poder que meu Pai Éolo me concedeu Aerocinese o fazendo cair ,me aproximei rapidamente dele e deu um chute em sua espada ,e vi seu braço indo junto ,chutei um das suas perna e ele ja não podia ficar em pé preparei mas uma Flecha mirando diretamente em seu peito ...
E lancei vi ossos vuando para Tudo que e lado estava realmente cansado e ferido porém feliz por ter terminado meu treinamento
Quiron novamente me observou...
-você foi bem mas tem muito oque melhorar.
Respondi - obrigado e sei que tenho muito a evoluir. ...
Armas utilizadas:
 
Legendas:
 
Poder utilizado:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Selly Wittels. Chthon
Filhos de Dioniso
Filhos de Dioniso
avatar

Mensagens : 18
Data de inscrição : 15/03/2013
Idade : 20
Localização : Por aí q

Ficha do personagem
Vida:
105/105  (105/105)
Energia:
105/105  (105/105)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Ter 19 Mar 2013, 20:18

Ventava um pouco naquele dia. Havia tido uma chuva no dia anterior, e isso ainda era notável pela grama úmida. Selly caminhava lentamente e fazia espirrar água para todos os lados toda vez que pisava na grama ainda molhada. O sol parecia esconder-se atrás das nuvens cinzentas e carregadas, protegendo a pálida pele da filha de Dionísio dos nocivos raios. A garota carregava uma espada qualquer que achara no chalé 12 e um escudo que lhe fora emprestado por um de seus meio-irmãos. Ela recém tinha chegado ao acampamento; não tinha muitos dracmas, assim não podendo comprar suas próprias armas, mas a vontade de treinar era enorme. Enquanto não pudesse comprar e usar as suas, ela pegava "emprestado" de seus companheiros de chalé. Uma mochila preta surrada, que lhe foi dada de presente de aniversário, estava pendurada em seu ombro esquerdo. Dentro dela, pequenas porções de néctar e ambrosia, para depois do treino. Ela sabia que ia se machucar. Não que não tivesse confiança em si mesma, pois tinha -até de mais-, mas nunca lutara de verdade com monstros. Somente uma vez, em seu antigo internato, mas aquilo fora pura sorte. E Sellena aprendeu que semideuses não costumam ter tanta sorte assim.

Chegou ao campo de treinamentos com os cabelos bagunçados e levemente de pé, devido ao vento. A arena estava vazia. Nenhum sinal de monstros ou campistas. Selly segurou a alça de sua mochila, um tanto nervosa. Onde estavam os monstros, afinal? Ela olhou em volta. Aquele parecia ser o lugar certo; era o lugar que seus irmãos lhe indicaram. Será que era uma pegadinha? Sellena sentiu a irritação subindo-lhe a cabeça, deixando suas frias orelhas vermelhas. E então ela ouviu um som. Virou-se em direção às árvores, de onde o som havia vindo. As folhas balançavam, mas a garota acreditou que talvez fosse devido ao vento. Ouviu um som de passos, e estava próximo. Virou-se para o outro lado. E lá estava o tão esperado monstro. Branca como giz, olhos completamente vermelhos. Dentes enormes, que mais pareciam presas. -Olha só o que temos aqui. - E lançou um sorriso maldoso em direção à filha de Dionísio. Essa, tremeu levemente, mas escondeu tal coisa com um sorriso irônico. O monstro avançou em sua direção, e foi então que Selly notou nas suas pernas. A esquerda era marrom e estranhamente peluda, com um casco de burro em vez de pés. A direita tinha o formato de uma perna humana, mas era feita de bronze. -Belas pernas. - Disse a filha do deus do vinho, e soltou uma risadinha tímida; provocação. Aquilo pareceu enfurecer o monstro, que a garota se lembrava chamar empousa. Ela pouco entendia de lutas, mas lembrava-se de muita coisa sobre mitologia grega, heróis e monstros, devido ao tempo que passara estudando e decorando cada nome desses na escola particular.

A empousa atacou Sellena, que só desviou por pouco. O monstro pareceu irritado. Veio de novo na direção da morena, que deu um pulo habilidosamente para a direita. Mas os dentes da empousa pegou no ombro de Selly, e este começou a doer. Ela evitou olhar para o ferimento, pois esse ardia e, ela tinha certeza, sangrava um pouco, e ela tinha pânico de sangue. -Não olhe, não olhe. - Ela sussurrava para si mesma. Era, de certo modo, um medo um tanto bobo, mas ela tinha verdadeiro pavor de ferimentos. A empousa riu ao fitar o ombro da filha de Dionísio. -E isso é só o começo, cria do vinho. - Selly pensou em como ela sabia quem era seu parente divino, mas quando o monstro investiu, resolveu deixar isso para depois. Ergueu a espada de seu irmão e investiu contra a criatura. Acertou-a na coxa peluda, fazendo um pequeno corte, mas que era fundo, e fez jorrar pó dourado para fora. Sellena estremeceu de leve. -Que nojo. - Disse, e atacou de novo. Acertou o estomago do monstro, fincando sua arma ali, mas o corte foi, infelizmente, superficial demais. Ela hesitou, e isso bastou para ser atacada de novo. Desta vez, na perna direita. E este corte foi fundo. Sellena vê seu sangue sair e sente o estômago embrulhado. A empousa ri. -Cadê a coragem agora, filha de Dionísio? - Ela riu de novo. Ela a empurrou, e Selly caiu, espada ainda em punhos. A morena não reagia. Fitava seu ferimento, tonta. A criatura prosseguiu. -Para que tentar fazer isso? Não vai conseguir. Não é boa o bastante. - E riu mais, pisando no pé esquerdo da garota. Ela gemeu de dor, e ergueu a espada, acertando-a num ponto que acreditava ser o coração da empousa. Essa gritou, e se desfez em poeira dourada, que pousou nos cabelos morenos de Sellena. Ela levantou e foi, mancando, até sua mochila, e tomou um pouco de néctar. Ficou de pronto curada, mas sabia que não seria o suficiente. Recolhendo tudo, saiu do campo, indo em direção ao seu chalé.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Ter 19 Mar 2013, 21:51

Treino de Combate a Monstros *u*

Estava com bastante raiva, o ódio queimava dentro de meu corpo e meu coração palpitava muito rápido, estava no meio da floresta sentado em baixo de uma árvore lendo um pouco sobre alguns monstros, comecei a ler e a folhear o livro, eu já esperava que algum monstro viesse me atacar, eu tinha cortado um pedaço do meu braço com minha Adaga, cheiro de sangue atraia Dracaenaes e mais alguns monstros, pelo que eu estava vendo naquele livro eram chamados de Manticoras... Eles eram horripilantes, tinha cabeça de um homem, por vezes com chifres , três afiadas fileiras de dentes de ferro e com voz trovejante, corpo de leão e cauda de escorpião, tinham o tamanho de um leão ou até mesmo de um cavalo, era realmente incrível. Do nada, percebi que algo se movia ali na mata, que provavelmente havia sido atraido pelo sangue. Subi em cima da árvore e usei meu poder de cura para sanar o ferimento no meu braço, mas pelo visto já era tarde demais.

Uma pata atingiu o meu rosto e cai de cima da árvore direto no chão, fiquei um pouco tonto pois o impacto da minhas costas no chão foi forte, logo que recobrei a consciência vi que era um Manticora, rolei para o lado. A garra dele por pouco não atingiu meu rosto. Pelo que eu vi os dentes dele eram de ferro, ele era do tamanho de um cavalo, um dos mais velhos provavelmente, eu já sabia o que deixaria os dentes dele um pouco mais irritados e que poderiam até amassá-los, aço, ele veio me atacar. A cauda dele era de um escorpião, aquilo podia me matar, pois até onde eu sabia que o veneno daquele monstro era bem forte. Eu olhei para a cauda dele e fiquei impressionado, ele veio para me atacar e eu me defendi, o meu escudo não aguentaria muitos ataques daquela Manticora.

Eu estava com bastante raiva, aquilo não me preocupava nem um pouco, se eu morresse não estava nem ai, eu queria mesmo era esquecer de tudo, fiquei um pouco mais irritado e comecei a dar vários ataques naquela Manticora, acertei um bem na pata daquele monstro, ele veio e tentou me atacar com sua cauda, eu rolei pro lado e consegui desviar, ele deu mais um ataque com sua cauda, conseguiu acertar o meu braço, o ataque dele foi tão forte que conseguiu atravessar o meu braço, meu braço estava sangrando demais, larguei o meu escudo, e percebi que aquele machucado começou a fechar sozinho, eu estranhei, mais não estava nem ai, depois meu braço começou a formigar, eu percebi que era o veneno se espalhando através das minhas veias, joguei um pouco de Ambrósia que tinha dentro do bolso no machucado e meu braço foi voltando ao normal. Minha cabeça começou a doer, então eu voltei e fui correndo em direção à Manticora para acertá-la na pata e tentar arrancá-la. Corri em sua direção para atacar mas não adiantou, do nada ela levantou voo. Percebi que ela também tinha asas então lancei minha lâmina bumerangue em direção a asa da Manticora torcendo para que não pegasse de primeira, ela se esquivou e eu fiquei feliz, depois ela veio em minha direção e conseguiu me atacar fortemente.

Bati de costas em uma árvore e minha boca começou a sangrar, ela ainda estava voando , a minha lâmina bumerangue voltou e acertou uma de suas asas, depois quando ela caiu eu soltei um sorriso e agarrei a lâmina bumerangue, eu estava um pouco machucado e não estava conseguindo levantar rápido, usei meus poderes de cura enquanto a Manticora se rebatia no chão, me levantei e ataquei a outra asa dela rapidamente com uma espada de prata celestial que peguei no acampamento. Tive uma ideia, atacaria os dentes dele com minha espada e certamente arrancaria todos.

Esperei ele se levantar e fui diretamente em direção a ele,corri e comecei a acertar seus dentes, minha espada ricocheteou e eu percebi que com minha espada não conseguiria arrancar os dentes daquela Manticora, pensei em o que fazer, corri em direção a ela e tentei acertar sua pata, mais ela a levantou e arranhou fortemente minhas costas, senti como se uma lâmina cortasse minhas costas, ela estava sangrando demais, em questões de segundos, meu corpo estava coberto de sangue, eu estava perdendo sangue demais, mais eu não estava nem ai, eu queria mesmo era matar aquela Manticora, sorri e corri em direção a ela, acertando um ataque forte em sua pata, mais para ela foi apenas um corte de ele, os ossos daquele monstro eram bem fortes, eu devia confundir ele, mais ele parecia bem esperto.

Não custava tentar, subi rapidamente em uma árvore e fiz algumas sombras para eu ganhar um pouco de tempo e descansar, fiquei respirando lentamente lá em cima, mais aquela Manticora era esperta demais. Ela começou a bater na árvore e como eu estava distraído, cai pra trás e bati minhas costas no chão, sorri e logo me levantei no estilo matrix, levantei e logo fiquei em posição, posicionei meu pé fortemente no chão e corri em direção a Manticora, lhe dando um ataque bem forte, finalmente eu consegui dar um ataque preciso, consegui com que ela sentir um ataque na pata, mais aquilo não foi grande coisa, minha cabeça estava doendo e minhas costas sangrando muito, o chão daquele local estava coberto de sangue, o que podia atrair mais monstros, mais pelo que eu saiba, as Manticoras não gostam de dividir alimento, se é que ela vai ter um alimento.

Aquilo havia se tornado um jogo, ou eu virava alimento dela ou ela virava alimento de outros, eu comecei a andar pro lado e fiquei pensando bastante em o que fazer com aquela besta, fui em direção a ela e comecei a dar vários ataques, eu apenas estava me preocupando com a cabeça dela e esqueci de sua cauda, senti uma picada em minha panturrilha e percebi que aquela Manticora tinha enfiado apenas a ponta de sua cauda na minha perna, e começou a soltar seu veneno. Dei um pulo pra trás e senti a minha perna doer bastante, então evoquei duas cobras para me ajudarem e vocalizei umas palavras em grego enquanto as cobras distraiam a Manticora.

Curei minha perna e fiz com que as serpentes voltassem voltassem, corri em direção a Manticora e comecei a atacá-la com bastante precisão e força, depois dei dois mortais pra trás e voltei a guarda, eu estava um pouco tonto, pois o seu veneno ainda corria em meu sangue. Sorri cínico e fui em sua diração, dando um ataque preciso em seu pescoço e o arrancando. Sorri aliviado e fui em direção a enfermaria. Chegando na porta, entrei e dei um sorriso meio tonto e desmaiei.

Acordei com um monte de marcas de agulhas em meu braço e percebi que deu tempo dos médicos retirarem o veneno da Manticora do meu braço e dar alguns pontos em minhas costas, ainda doloridas. Quando terminei de tomar o soro, fui andando em direção ao meu chalé mancando. Chegando lá, tomei um longo banho e dormi de bruço.


Filho De Hécate *u*



Voltar ao Topo Ir em baixo
Administração SO
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos
avatar

Mensagens : 284
Data de inscrição : 23/04/2012
Idade : 20
Localização : Troninho Sagrado do Olimpo 'o'

Ficha do personagem
Vida:
9999/9999  (9999/9999)
Energia:
9999/9999  (9999/9999)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Qua 20 Mar 2013, 20:33

♦Avaliações♦




Derek F. Fredrich

♦ Ortografia: 5/10 pontos: Você pecou muito em sua ortografia, repetindo letras em algumas falas e escrevendo com letra maiúscula em locais que não deveria.

♦ Coerência, Coesão, Organização, Conteúdo e Ideias: 10/30 pontos: Sua batalha não foi muito coerente, já que seria muito complicado acertar um esqueleto utilizando um arco, já que ele não tem nenhum local certo para a flecha fincar, com a exceção de sua cabeça. E você não conseguiu organizar muito bem suas ideias, me deixando confuso.

♦ Organização da Postagem: 5/10 pontos: O template não ficou muito bom, acabando por estragar o corpo de seu texto, ele é bonito, mas tome cuidado nisso.

♦ Uso Adequado de Linguagem: 5/15 pontos: Não foste bem nesta categoria, devido aos erros de português gritantes que encontrei ao decorrer do texto e ao uso de gírias..

♦ Estratégia e Uso de Armas/Habilidades e Poderes: 5/10 pontos: Há alguns erros aqui, porém você soube utilizar suas armas e poderes de forma sábia, mas tome algum cuidado ao usar x equipamento em x monstro..

♦ Capacidade Descritiva: 15/25 pontos:Precisa melhorar muito neste quesito, Derek, descrever melhor suas emoções, movimentos, local onde estava e as pessoas que estava contigo.

Experiência obtida em post: 55xp

Selly Wittels. Chthon


♦ Ortografia: 10/10 pontos:

♦ Coerência, Coesão, Organização, Conteúdo e Ideias: 25/30 pontos:

♦ Organização da Postagem: 10/10 pontos.

♦ Uso Adequado de Linguagem: 14/15 pontos:

♦ Estratégia e Uso de Armas/Habilidades e Poderes: 6/10 pontos:

♦ Capacidade Descritiva: 20/25 pontos:Precisa melhorar muito neste quesito, Derek, descrever melhor suas emoções, movimentos, local onde estava e as pessoas que estava contigo.

Experiência obtida em post: 85xp

Aaron Rouch Salvatore


♦ Ortografia: 10/10 pontos:

♦ Coerência, Coesão, Organização, Conteúdo e Ideias: 25/30 pontos:

♦ Organização da Postagem: 10/10 pontos.

♦ Uso Adequado de Linguagem: 14/15 pontos:

♦ Estratégia e Uso de Armas/Habilidades e Poderes: 6/10 pontos:

♦ Capacidade Descritiva: 25/25 pontos:

Experiência obtida em post: 90xp

Atualizado.

Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics
[/quote]

____

The seductive god of forges Cool
Hefesto
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://santuarioolimpiano.forumeiros.com
Lucas S. Granbry
Filhos de Ares
Filhos de Ares
avatar

Mensagens : 15
Data de inscrição : 21/07/2012

Ficha do personagem
Vida:
42/115  (42/115)
Energia:
42/115  (42/115)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Sex 22 Mar 2013, 22:32





Estava fazendo uma linda noite no acampamento, eu vendo a lua e as estrelas deitado, não conseguia dormir a alguns dias, pensando em quem era aquele garoto encapuzado que eu tinha visto na Quadra Poliesportiva, aquela pergunta estava sem resposta no momento. Dei um suspiro e me levantei da minha cama, olhei para o relógio e era exatamente 23h00 (Onze) horas da noite; Meu bastão das armas estava desativado e estava com forma de um anel e eu tinha colocado ele no meu anelar direito, que seria fácil de tirar, caso alguma coisa me atacasse. Então comecei a ficar com calor e fui ao banheiro, tomei um banho um pouco demorado, depois vesti uma camisa preta do AC/DC e um All Star preto. Tinha pegado minha Trombeta de guerra, e saí do chalé e fui andando para a Floresta Negra para pensar um pouco ali, já que era tarde e quase ninguém ia ali porque tinha boatos que existiam monstros na floresta.

Eu achava que aquilo tudo era uma baita lorota já que monstros não podiam entrar no acampamento, mas por precaução eu levei dois dos meus presentes de reclamação, quando estava entrando na floresta ouvi um tipo de rugido, mas não dei muita importância para o mesmo pois poderia ser só o vento; E me sentei em baixo de uma árvore, a brisa batia levemente no meu rosto enquanto chacoalhava os galhos das árvores, estava fazendo um pouco de frio, então ouvi uma respiração bem do meu lado, olhei para a esquerda e bem ali tinha um Leão, gigantesco, um leão nemeiano, do pelo dourado com uma mancha redonda branca no seu olho direito, apesar de ser perigoso ele era muito belo.
Mas eu aposto que ele queria me comer, então tirei meu Anel devagar e o leão deu um rugido feroz e abriu sua boca, neste momento dei uma cambalhota para frente, e o mesmo mordeu o ar. Me levantei rapidamente e joguei meu anel para o alto e o transformei em um chicote com espinhos elétricos, e acertei ele no chão fazendo um estralo que ecoou por toda a floresta.
Então olhei nós profundos olhos do leão e ele nos meus, e tentei acertar a cara dele com o chicote mas só consegui acertar a pata do mesmo, então vendo que eu não era muito bom com chicotes transformei o chicote em uma faca elétrica e segurei ela na minha mão direita e minha adaga de bronze na minha mão esquerda e joguei a adaga contra o olho dele, o leão deu um pulo para trás na tentativa de desviar e conseguiu.
Enquanto o leão estava desiquilibrado toquei minha trombeta de batalha e invoquei 1 (Um) espartano para me ajudar.
-{Lucas}Vem cá gatinho...
Quando eu disse isso o leão dei um rugido que quase me deixa surdo e vem correndo em direção a mim, olhei para os lados e vi uma árvore a minha direita; Fui correndo em direção a ela e o leão bem atrás de mim então quando estava perto o suficiente da árvore dei um pulo para trás e o leão se bateu na árvore.
Neste momento por extinto ativei a minha habilidade “ Golpe Poderoso” e transformei a faca elétrica em uma foice de ferro estigio e tentei encravar ela no pescoço do leão; Mas ele era mais rápido do que eu e consegui-o me da um coice e eu voei alguns metros olhei para o espartano e disse:
-{Lucas}Não vai fazer nada não?
Quando disse isso o espartano deu uma gargalhada e ficou de costas para o leão, que aproveitou que ele estava daquele jeito e deu uma mordida nas costelas do espartano e o leão comeu o mesmo.
Me levantei e corri em direção ao leão quando uma voz diz:
-{???}[color-red]Precisa de Ajuda?[/color]
Olhei para esta pessoa e vi que era um rapaz, tinha um pouco de neblina no local e não deu de reconhece-lo.
-{Lucas}Não, tenho tudo sobe controle!
Então corri em direção ao leão e pulei nas costas dele, com a foice na minha mão, mas ele começou a pular e a se “requebrar” e eu cai das costas dele.
-{???}É, você tem tudo sobre controle...
Então esse rapaz tirou um anel de seu dedo e jogou para cima e esse se transformou em uma espada envenenada e foi correndo pra cima do leão, o garoto fez um corte na pata direita do leão.
Aproveitei esse momento de descuidado do leão e em um movimento rápido consegui fazer um corte na pata dianteira dele então transformei a espada envenenada em um chicote de espinhos e acertei a outra pata dele e os espinhos feriram mais ainda ele.
-{Lucas}Estou sim!
Transformei o chicote de espinhos em uma foice e pulei nas costas do leão mais uma vez, ele começou a pular mais segurei firme nos pelos dele e com minha habilidade “Força” e dei um golpe no pescoço do leão, foi certeiro, arranquei a cabeça dele e depois de alguns minutos o leão virou pó.
Olhei para os lados para vê o menino mais ele tinha desaparecido, então saí da floresta indo em direção ao meu chalé...

Poderes e Armas:
 

Treino de Combate a Monstros
template by: MM's GIRL on Tdn!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Dionísio
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos
avatar

Mensagens : 187
Data de inscrição : 04/01/2013
Idade : 21
Localização : Casa Grande

Ficha do personagem
Vida:
99999/99999  (99999/99999)
Energia:
99999/99999  (99999/99999)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Dom 24 Mar 2013, 11:11

♦Hora da Avaliação - Lucas♦



♦ Ortografia: 7/10 pontos: Você deve fazer ideia do quanto melhorou em questão da ortografia, e isso me deixou orgulhoso, nada de letra maiúscula e palavras inventadas. Agora o próximo passo para perfeição deve ser o concerto dos pontos e vírgulas, na sua narração ele foram muito mal posicionados e, como a ocorrência de tais erros foi grande e persistente eu descontei mais pontos. Da próxima eu acredito que você supere isso, você está começando a ser lapidado.

♦ Coerência , Coesão,Organização, Conteúdo e Ideias: 18/30 pontos: Aqui você deu muitos vacilos, desde mudanças climáticas até a ajuda das várias tranformações da sua arma, seja coerente e calmo, arrancar a cabeça do Leão com um golpe foi muito "apelão" e até mesmo enfrentá-lo, esse Leão deveria ser enfretado por um level 10 ou 15. O ultimo erro, mas nem por isso o menos grave foi que, em plena quase madrugada você estava na floresta, isso no Acampamento é impossível, existem harpias comedoras de cabeça em todo o ambiente, e matam qualquer semideus que não esteja fora do seu chalé. Se a luta fosse travada na Arena na mesma hora, não iria contar como um erro.

♦ Organização da Postagem: 10/10 pontos: Conseguiu organizar tudo nos devidos conformes!

♦ Uso Adequado de Linguagem: 15/15 pontos: Tudo perfeito por aqui.

♦ Estratégia e Uso de Armas/Habilidades e Poderes: 8/10 pontos: A ajuda do menino dificultou o ganho dos pontos nesse quesito, já que o "serviço" não foi todo feito por você. Você usou tudo muito bem e conseguiu dificultar sua própria vida quanto a batalha com o montro super poderoso. Mas atenção na próxima e tudo se acertará.

♦ Capacidade Descritiva: 23/25 pontos: Você descreveu bem, mas deixou coisas no alto. Da próxima descreva mais o fim!

Experiência obtida em post: 80xp

Observação: Lucas, você teve um avanço ENORME! É assim que eu quero ver, um diamante sendo lapidado e caminhando a perfeição. Use minhas críticas não como algo ruim e sim como uma ponte para crescer. Ok?
Atualizado!


Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics

____

Dionísio
Senhor para você • Deus do Vinho • Deus da Loucura • Deus da orgia e prazeres carnais •Thanks Larissa Sant @ Sugar Avatars


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Anna Coletti
Filhos de Apolo
Filhos de Apolo
avatar

Mensagens : 2
Data de inscrição : 22/03/2013
Localização : Aonde tenha SOL

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Ter 26 Mar 2013, 01:24

13:30 ás 14:15 > Treinamento com Monstros
-♦-♦--♦-♦-


Eu havia chegado a menos de uma semana no acampamento, e para falar a verdade, tudo aquilo me assustava, o fato de que eu poderia adentrar a arena e sair sem minha cabeça, era algo aterrorizante aos meus olhos.
Estava sentada á beira do lago, quando começo á refletir sobre tudo o que vem ocorrido, e como esse fato de eu estar em lugar tão estranho como o acampamento meio-sangue só requer uma adaptação da minha parte, eu precisava mesmo tentar me acostumar á tudo aquilo, já que era irremediável a minha permanência por lá.
Então decidi ser um pouco mais valente e enfrentar tudo isso de frente. Ainda receosa eu comecei a caminhar em direção a área das arenas, enfim cheguei á uma. Essa que era a Arena de Treinamento com monstros, tá, se era pra enfrentar o medo, vamos de uma vez ao que mais me faz sentir o mesmo. Monstros, o que ontem costumava a assombrar minhas noites de sono, hoje está a minha frente, pronto para ser decepado.
Estava quase recuando, mas uma força que emanava da minha mente, obrigou meu corpo a seguir para a Arena, eu precisava provar aquilo, provar que era mesmo capaz de tudo, afinal, eu sou mesmo a garota das coisas impossíveis. Sorri para mostrar valentia, e comecei a andar em direção ao instrutor, esse que me encarou imediatamente:
- Ah filha de Apolo, então enfim veio treinar? – Disse o mesmo em um tom impressionado, encarei a Arena certo tempo, pensando se faria mesmo aquilo, bufei recuperando a coragem.
- Claro, mas só se prometerem colar minha cabeça de volta no lugar. – Falei em tom nervoso.
- Hmm tem certeza que queres começar com monstros? – Disse o instrutor, arqueando uma sobrancelha.
- Se é pra fazer, temos que fazer do jeito certo, então se é pra enfrentar o medo, vamos logo ao mais difícil... O que tem ai? – Disse apontando a suposta porta na qual a besta sairia.
- Uma Lamia, acha que consegue? – Eu já havia visto um treino com um bicho desses uma vez, não que eu tenha entendido todas as táticas dele, mas vamos dizer que eu conhecia os truques.
- Veremos. – Disse pulando dentro da arena, assim ouvindo os gritos daqueles que assistiam.
Tomei em minhas mãos uma flecha e o meu arco (Raio de Sol, qual ganhei na reclamação), deixando a adaga em meu cinturão, o que daria mais facilidade de acesso à mesma. Ouvi sonso de patas, o que pareciam mais galopes, soando atrás da tal porta. Enfim abriram-se as tais portas, dando assim passagem a besta.
Meu corpo estremeceu ao me deparar com a Lamia.
Vamos Anna, seja mais corajosa, é você ou ela-.
Cerrei os olhos em direção à fera, essa que veio em rápidos galopes a minha direção, rolei pelo chão, assim me desviando do primeiro golpe da abominação. Ouvi risos soando de algum lugar, mas não dei importância, afinal, eu devia me concentrar no treino.
Arrumei a minha adaga que escapava do cinturão, e segui em direção á Lamia, ela mirou o arco para mim, porém mesmo com certa dificuldade eu consegui me desviar do mesmo. Ela mirou mais um, esse que por puro vacilo da minha parte atingiu meu rosto de raspão, deixando um corte horrível.
Coloquei minha mão instintivamente por cima do corte, assim abaixando a guarda. A besta se aproveitando desse meu momento de distração veio galopando em alta velocidade para mim, sempre carregando um olhar debochado. Quando enfim ela ia realizar o ato de me esfaquear, eu fui mais rápida, assim montando em seu dorso.
Por puro impulso, minha mão foi levada a uma das orelhas da criatura, e com a minha adaga, eu a arranquei.
A Lamia deu um grito de pura dor, perante a esse meu ato. Ela se empinou para trás, me fazendo bater com o rosto na poeira do chão. O que para falar verdade, não doeu nenhum pouco.
Virei-me rapidamente em direção a ela, que vinha furiosa á mim, pus minha mão no cinturão, a fim de pegar na adaga, mas para a minha surpresa, a mesma não estava lá. Olhei para os arredores, logo me deparando com ela, jogada a alguns metros de mim.
A Lamia se aproximava de mim, e eu sem saber o que fazer fiquei imóvel, esperando alguma idéia, e aquilo estava me apavorando.
- Vamos Anna, não deixe ela te vencer! – O instrutor gritava durante esse tempo.
- Anna! Anna! Anna! – O público também gritava o que ainda cooperava para o meu desespero.
O que eu faço? O que eu faço?... – Naquele momento eu só conseguia pensar e me apavorar.
Enfim o monstro me atingiu, ela me deu um coice com as patas dianteiras, tão forte que me jogou á mais de três metros de onde eu me encontrava anteriormente.
Dei de cabeça no chão terroso do lugar, ainda ouvindo galopes fortes. Meus olhos lutavam para se manterem abertos, até ouvi algo bufando próximo a mim, era ela, a Lamia que se posicionava para o seu último golpe, ela levantou as duas patas dianteiras em direção ao meu rosto, aquela criatura iria amassar meu crânio. E quando enfim ela iria realizar o golpe, consegui tomar meu arco nas mãos, força para isso? Eu não sei de onde consegui.
Mirei rapidamente a flecha na garganta da fera, assim a acertando em cheio, seu último grito pode ser ouvido por todo acampamento, creio eu, logo a Lamia caiu em cima de mim.O sangue que a Lamia havia me tirado escorria pelo meu rosto ao meu abdômen. E ela por vez, se fez em pó.
Suspirei aliviada e fraca, meus olhos lutavam para ficarem abertos.
- Anna, está bem? – Senti braços tomando o meu corpo, então mirei para a face da pessoa que me segurava, era o instrutor.
Sorri fraco ao vê-lo, mas logo disse:
- Eu sabia que conseguia.
- Eu também sabia minha pequena. – Falou o mesmo, me pondo no chão, e me dando apoio para permanecer de pé.
Levantei meu braço sinalizando assim que estava viva, e então todos os espectadores começaram a aplaudir, somente sorri e comecei a caminhar em direção á saída da arena acompanhada pelo instrutor.
- Quero algo mais difícil na próxima. – Disse baixo, para ele que me encarava descrente do que acabara de ver.
- Primeiro se recupere dessa. – Falou o instrutor, apontando para a enfermaria. – Cuide disso, ou terá uma cicatriz para estragar esse rostinho lindo. – Completou sorridente, então apontando corte feito pela Lamia.
Só assenti e fui caminhando em direção a enfermaria.


COM; Lamia, Instrutor, e alguns desconhecidos LOCAL; Arena de Combate á Monstros VESTINDO; http://www.polyvore.com/cgi/set?id=76737786&.locale=pt-br OUVINDO;Enter Sandman
Legenda :
Pensamentos
Narração
Instrutor
Espectadores
Falas de Anna

____

When The Night Has Come, and the Lawn is dark, and the moon is the only light you see...
Anna Coletti
CG
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Lucy M. Davenport
Filhos de Hades
Filhos de Hades
avatar

Mensagens : 59
Data de inscrição : 25/08/2012
Idade : 21
Localização : BUUUUUUU!

Ficha do personagem
Vida:
110/110  (110/110)
Energia:
110/110  (110/110)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Ter 26 Mar 2013, 17:32


{
}
Stand up
You've got to manage
I won't sympathize
Anymore
Kill the monster!


Treino Matutino ~ 10: 00 ás 11:30~
~ Treino de combate contra monstros~

O tempo estava nublado, não dava para ver o céu azul, muito menos o sol radiante e quente. Parecia que iria chover a qualquer momento, mas este fato não impedia que os campistas parassem com os treinos. Aquela era uma época difícil, não poderia adiar um dia sequer de treino pelo mal tempo. Sai do chalé de Hades um tanto infeliz, havia tantas coisas acontecendo, e bom, não era hora para aquilo. Em passos largos e precisos, caminhava em direção a arena, desejando que desta vez, houvesse um desafio mais difícil, um monstro. Ao chegar à arena, reparei que havia um número menor de campistas. Era um pouco tarde, umas 3 horas da tarde no mínimo. Por volta daquele horário, era para estar cheio, mas tudo bem era bom estar vazio, poucas pessoas como platéia. Avistei uma garota loira, á alguns metros, talvez fosse uma instrutora. Andei em direção á garota, sabia que poderia me ajudar. Ela se virou, ao notar minha presença, com um sorriso em seus lábios.

- Olá. - ela me olhou, ainda sorrindo. - Sou Lucy, filha de Hades - me apresentei, dando um meio sorriso. - Sou Meredith, filha de Apolo. - ela se aproximou de mim. Notei que era uma garota bem animada, me senti um tanto desconfortável, pelo meu humor. - Deve estar em busca de desafios, o que acha de uma dracaenae?- aquilo devia estar escrito em minha testa, dei um meio sorriso, tão animada quanto ela. Meredith se encaminhou ao meio da arena, com a mão em meus ombros. - Divirta-se! - a ouvi dizer, minutos depois me encontrava sozinha. A criatura se aproximou á minha frente. Uma mulher reptiliana, que no lugar das pernas tem duas caudas de cobra vinha em minha direção. Usava um escudo e uma lança. Não parecia ser um dos monstros mais perigosos, mas ainda sim, seria um desafio acabar com aquela dracaenae. Corri em sua direção, com as adagas em mãos, golpeei uma de suas caudas. Ela grunhiu, virando-se em minha direção - Ssemi-dessa tola vou te matar! - A dracaenae exclamou, me atacando com sua lança, me deixando com um pequeno corte superficial em meu ombro direito, me golpeando com seu escudo para o lado.

Cambaleei sem equilíbrio, com dificuldades para me levantar novamente. Sem se abalar, a dracaenae me acerta com sua lança em minha cintura, um ferimento profundo. Arfei de dor, caindo de lado. - Tão fraca - disse a dracaenae, me fitando com um meio sorriso em seu rosto horrendo. A criatura avançava os poucos metros que nos distanciava, eu fechei os olhos, esperando pela dor quando sua lança me atingisse. Abri os olhos, fitando as adagas que se encontrava em minha mão esquerda, de ferro estígio. Dei um sorriso malicioso para a dracaenae, que a mesma estava com surpresa, pela minha arma. Ao me levantar, golpeei um de suas caldas, que foi decepada, se tornando pó dourado, a dracaenae deu um grito de dor. Dei um giro com as adagas com minhas mãos.

Com um tilintar, passei a ponta das minhas adagas no escudo da dracaenae. Avistei seus pontos desprotegidos. Comecei com uma série de golpes em sua cauda, dei um chute em seu peito, a criatura caiu no chão. Sua lança passou de relance em meu lado direito, quase ferindo meu rosto. Ignorei-a, avançando em seu escudo, o tirei de suas mãos. - Como oussa semideusa, vou... - sua frase foi interrompida por um novo grito de dor. Minhas adagas se encontrava cravada onde se localizava seu coração, ou pelo menos, onde estaria. A dracaenae se dissolvia em pó dourado, até não sobrar mais um grão. Ao largar as adagas ao meu lado, me desabei no chão, completamente exausta. Após alguns segundos, empunhei minhas adagas novamente. Tinha que fazer uma oferenda para minha mãe, mais tarde. - Se divertiu, Lucy? - ouvi uma voz me chamar, Meredith não tinha dúvidas. Levantei-me no mesmo instante, colocando minhas adagas no bolso do jeans. - Muito - respondi num tom rouco e cansado - Preciso de um bom descanso - completei, batendo em seu ombro. Caminhei em direção á enfermaria. Precisaria de uma boa dose de néctar.

Armas&Itens usados:
 

clothes: Non ~ Thanks, Baby Doll at etvdf!

____

Watch it drop, because I'm in the top
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Administração SO
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos
avatar

Mensagens : 284
Data de inscrição : 23/04/2012
Idade : 20
Localização : Troninho Sagrado do Olimpo 'o'

Ficha do personagem
Vida:
9999/9999  (9999/9999)
Energia:
9999/9999  (9999/9999)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Qua 27 Mar 2013, 14:53

Hefesto escreveu:
♦Avaliações♦




Anna Coletti

♦ Ortografia: [color=indigo] 9/10 pontos: /color]

♦ Coerência, Coesão, Organização, Conteúdo e Ideias: 20/30 pontos: .

♦ Organização da Postagem: 8/10 pontos: .

♦ Uso Adequado de Linguagem: 14/15 pontos:

♦ Estratégia e Uso de Armas/Habilidades e Poderes: 9/10 pontos

♦ Capacidade Descritiva: 20/25 pontos:

Experiência obtida em post: 80xp

Lucy M. Davenport


♦ Ortografia: [color=indigo] 10/10 pontos: /color]

♦ Coerência, Coesão, Organização, Conteúdo e Ideias: 30/30 pontos: .

♦ Organização da Postagem: 9/10 pontos: .

♦ Uso Adequado de Linguagem: 14/15 pontos:

♦ Estratégia e Uso de Armas/Habilidades e Poderes: 10/10 pontos

♦ Capacidade Descritiva: 24/25 pontos:

Experiência obtida em post: 97xp

Atualizado.

Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics
[/quote]

____

The seductive god of forges Cool
Hefesto
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://santuarioolimpiano.forumeiros.com
Louise V. Williams
Filhos de Poseidon
Filhos de Poseidon
avatar

Mensagens : 726
Data de inscrição : 24/09/2012
Idade : 21
Localização : Um Williams sempre paga suas dívidas.

Ficha do personagem
Vida:
130/130  (130/130)
Energia:
130/130  (130/130)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Seg 01 Abr 2013, 21:01

Destiny...



Treino das 14:00 ás 15:30.

Após o almoço no refeitório , decidi que naquele começo de tarde, treinaria. havia acordado um pouco mais tarde, passará algumas horas acordadas a noite, lendo um livro sobre mitologia grega, esperando que aprendesse alguma coisa. Carregava no bolso do jeans pretos minha gota azul, que na verdade, era uma espada de ouro que me ajudava a matar monstros. O tempo se encontrava estável, o céu estava limpo de nuvens, o sol radiante estava ao pino no céu azul. Era um dia caloroso, que não ajudaria em nada. Marchei em direção a arena, como alguns outros campistas. Ao chegar a arena, observei alguns campistas lutando entre si, ou mesmo com monstros.

Observei um dos instrutores vindo em minha direção, prestativo. Era alto, loiro e musculoso, não fazia meu tipo. - Olá jovem semi-deusa!- apresentou-se ele, com um sorriso gentil no rosto. Revirei os olhos, olhando-o - O que tem para mim? Que seja um monstro.- disse, poupando-me o tempo. Ele não se afetou, gesticulando para que o acompanhasse. Em passos rápidos, seguimos para o outro lado da arena, onde encontrava-se um grupo de semi-deuses, com uma criatura enorme entre eles. Olhei o gigante de um olho só, dava para perceber que ainda não era um ciclope adulto, tinha menos de três metros de altura, não deveria ter a mesma força de um adulto, mais ainda sim, forte o bastante.

- Esta é muito pequena para me alimentar!- exclamou a criatura, com sua voz grotesca, dando uma risada gutural. Logo estava solto de suas correntes, os semi-deuses se afastaram, dando liberdade para o ciclope. Ativei minha espada de ouro rapidamente. O monstro estava apenas á alguns metros de mim, com seus pés grandes, com apenas alguns passos estaria á minha frente. Avancei em direção á criatura, direcionei a lâmina da espada em seus pés feiosos. Girei para desviar de um chute, atingindo a canela do monstro com a espada - Desgraçada!- vociferou, com um gemido de dor. Abri um meio sorriso, avançando novamente para o monstro. Agora, mais esperto de minhas ações, o ciclope defendeu-se com os braços, em um movimento rápido, fui arremessada para trás, jogada á alguns metros de onde estava o ciclope.

Levantei-me no mesmo instante, por sorte, não havia me machucado gravemente. Segurava a espada com força, não cansaria até ver aquele monstro morto. Em passos decidios e rápidos, comecei a atacá-lo com uma série de golpes com a espada, sem poupá-lo por um segundo. Dei alguns passos para trás, indo ás costas do monstro. Que agora, urrava de dor, suas pernas e pés estavam cheios de cortes superficiais e profundos, tinha que admitir que aquele ciclope era pra lá de resistente. Dei um pulo em suas costas, segurando em seu farrapo velho que usava. O ciclope apalpava suas costas, tentando me tirar dali. Dei um impulso, segurando em seu ombro largo. O monstro pegou em meu pé, tentando me puxar para baixo, resisti com força, tentando atingir sua mão com a espada, apenas causando cortes artificiais.

Logo, com o pé solto, subi em seu ombro. Deveria ter uma fraqueza, aquele ciclope era resistente e forte, como poderia atingir de tal maneira que assim o matasse. Pensei em uma das poucas histórias que ouvira no acampamento, uma ideia brotou em minha mente, o olho. Com a espada empunhada em minha mão esquerda, firmemente, desviei de suas mãos pesadas e fortes, á procura de espaço para atingir o seu olho horroroso. Rapidamente, com agilidade, apoiei em seu ombro com um dos pés, cravando minha espada no seu único e grande olho. Cai de costas novamente, agora a dor veio realmente veio. Minha espada foi jogada a alguns centímetros de onde eu estava. Um dos pés do monstro esbarrou em mim, enquanto ele gritava de dor e tapava o olho com as mãos, de onde saia um liquido viscoso. Ele ainda estava de costas para mim, agora cego, se tornaria mais fácil causar a morte do gigante.

Me ergui, agora mais decidida em acabar logo com isso, peguei novamente minha espada, ignorando o liquido que ainda grudava na lâmina. Tratei de golpear suas pernas, teria que derrubá-lo para matá-lo, não subiria novamente nele. Cravei minha espada em sua panturrilha. Mais gritos de dor romperam pela arena, ignorei-os. Atingi mais uma vez, queria que ele caísse, a qualquer custo. Logo, o monstro se desequilibrou, caindo para trás. Direcionei minha espada para onde estaria coração, esperando que assim rompesse suas camadas de pele, até chegar ao coração, depois disso, o peso de seu corpo estaria sobre o meu, ou transformaria em pó dourado, quando qualquer monstro se tornava após matá-los.

Senti o peso do corpo do gigante, minha espada, cravada em seu coração. Por um momento, achei que iria ser esmagada, assim, morta. Uma camada de poeira dourada me cobria a minha pele, tossi para o pó sair de minha boca. Apalpei o chão ao meu lado, pegando uma gota azul, a espada de ouro que me ajudara a matar aquele ciclope. Levantei-me com dificuldade, percebendo meu pé torcido. Cansada, machucada precisaria de tratos medicinais rápido. Ignorei alguns semi-deuses e o instrutor que observaram minha luta, com a expressão preocupada. Dei um suspiro, mancando até a enfermaria.

Armas utilizadas::
 



____

I am confused, fighting myself Wanting to give in, needing your help. Outside I don't know you, but inside I'm fucked.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Mnemósine
Deuses Menores
Deuses Menores
avatar

Mensagens : 384
Data de inscrição : 23/04/2012

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Qua 03 Abr 2013, 22:27

♦ Ortografia: 8/10 pontos

♦ Coerência, Coesão, Organização, Conteúdo e Ideias: 20/30 pontos

♦ Organização da Postagem: 10/10 pontos

♦ Uso Adequado de Linguagem: 10/15 ponto

♦ Estratégia e Uso de Armas/Habilidades e Poderes: 7/10 pontos

♦ Capacidade Descritiva: 15/25 pontos

Experiência obtida em post: 70xp

Cuidado com pontuação, acentuação e grafia. Use um revisão de textos, e releia sempre. Houve confusão de tempos verbais também, misturando passado e futuro. Faltam conectivos no texto, com o uso abusivo de vírgulas. Ainda na parte do texto, repetição de termos, e algumas incoerências - o início ficou confuso, dando a entender que todos que estavam na arena lutariam com o ciclope, mas no fim você foi a única que o enfrentou. Há também uma ênfase na força descomunal da criatura no início, mas isso parece ser ignorado no decorrer da luta, a personagem sofrendo pouco com os golpes - era de se esperar mais, considerando o quanto frisou o poder do monstro. Outros pequenos detalhes, como o salto nas costas do monstro [3m, oi?] e a confusão com algumas palavras [artificiais/ superficiais]. Preste mais atenção em postagens futuras.

____

A.k.a.:
 


“Um povo sem memória é um povo sem história. E um povo sem história está fadado a cometer, no presente e no futuro, os mesmos erros do passado”.
(Emília Viotti da Costa, historiadora)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hela Stratford
Filhos de Dioniso
Filhos de Dioniso
avatar

Mensagens : 2
Data de inscrição : 16/03/2013
Idade : 19
Localização : Nárnia

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Sex 05 Abr 2013, 00:10


Combate á Monstros - 20:15 ás 20:45

Eu nunca havia ficado tão animada com algo quanto eu fiquei ao saber que já estava bem para treinar. Nos últimos dias tudo o que eu havia desejado era poder fazê-lo, afinal, eu cheguei ao acampamento machucada, e não pude iniciar meus treinos normalmente.
Levantei-me rapidamente da cama, e olhei para o despertador, já era tarde. Pulei da cama e me dirigi até o banheiro, lá fazendo minha higiene e me trocando. Tudo teve que ser muito rápido, pois havia um horário certo para os treinos.
Sai do chalé apressada e torcendo para que desse tempo, a passos largos eu ia despercebida pelas pessoas, cheguei à arena que se encontrava cheia de campistas, eu queria mesmo espectadores.
Segui com um leve sorriso no rosto até o instrutor, tendo com ele um pequeno dialogo:
- Vim treinar. – Ele arqueou uma das sobrancelhas em sinal de descaso, arregalei os olhos perante tamanha ignorância.
- Acha que consegue contra um homem-escorpião? – Indagou o mesmo em um tom tanto quanto debochado.
- Acha que ele consegue contra mim? – Soltei um riso descontraído, afinal, dane-se ele e sua ignorância. Ele me acompanhou nos risos, mas logo me mandou ficar preparada.
Adentrei a arena, confiante de mim mesma, coisa que não era surpreendente vinda da minha pessoa. Carregava amarrado em minha cintura o Chapéu ‘’O Bobo da Corte’’ juntamente a minha adaga de bronze, enquanto minhas mãos seguravam com firmeza a Vinícula.
Ouvi barulhos por de trás dos portões de onde o monstro sairia, e foi nesse momento que toda a minha coragem começou a padecer, pela primeira vez desde a minha chegada a arena eu me sentia amedrontada. Enfim os portões são abertos para o meu desespero. A besta caminhava tranquilamente com uma expressão desafiadora para a minha pessoa, nunca que a deixaria perceber o meu medo, então comecei a corresponder com os mesmos olhares.
Suas garras e seu ferrão eram coisas apavorantes, mas bem, eu consegui controlar tal pavor, ela veio rapidamente em minha direção, sim, era uma ‘’mulher-escorpião’’, não sabia o que fazer então rolei pelo chão, assim me desviando da mesma. Os espectadores vaiavam, de certo esperavam que eu decepasse no primeiro golpe.
Lancei sobre tal criatura os Olhos Insanos, assim a vendo começar a tontear na arena, aproveitei que sua guarda estava mais do que baixa e corri até a mesma, dando um salto sobre seu dorso e lhe fazendo um corte profundo no mesmo, o que a levou á um dos mais escandalosos gritos que puderes imaginar.
Corri até um dos cantos para tomar impulso, logo me dirigindo em grande velocidade para cima da besta, lhe cravando a ponta da minha Vinícula, incrementando ainda mais a sua confusão.
- Chega de brincar! – Gritou a Mulher-Escorpião, com um ar furioso. Mirei sua face enrugada e vermelha de tanta raiva. Suas pernas cooperavam muito para a sua velocidade, enquanto eu reles semideus tentava me virar com as únicas duas que meus pais haviam me dado.
Não demorou muito para que tal me alcançasse, e assim que isso aconteceu, eu vim a sentir suas garras em torno da minha cintura, a me puxar para perto da mesma. Seu rosto estava encharcado por suor, e um sorriso perverso parecia querer tomar seus lábios. Seu ferrão se aproximava de meu rosto lentamente, parecia mesmo que tal aberração se divertia com meu desespero.
Mas eu ainda tinha uma cartada, quando enfim ela iria cravar seu ferrão em meu rosto, eu empunhei a adaga e o cortei fora, afinal, meus braços estavam livres.
- Nããããããão! Você pagará por isso. - Sua voz se alterou rapidamente, e agora sim eu havia passado a mostrar medo.
Ela vinha praticamente correndo com as oito patas para cima de mim, o efeito do veneno não havia passado totalmente, pois eu ainda a percebia tonta. Não vendo outra opção, eu acabei por apelar ao uso do Chapéu ‘’Bobo da Corte’’, o vesti rapidamente, logo sentindo certa euforia me tomando, meus lábios soltavam risos esganiçados e insanos, enquanto meus pés corriam ligeiramente pela arena.
- Volte aqui maldita, me enfrente. – Gritava a besta, com a voz banhada de fúria. Enquanto eu? Continuava a correr desajeitada pela arena.
De repente uma mistura de raiva e mais euforia me tomou, então virei-me instintivamente para a aberração, soltando um riso tanto quanto psicopata, Segui para tal ainda em passos rápidos e estranhos (Passos de capitão Jack Sparrow). Montando-me inconsequentemente em seu dorso, ela gritava para que eu descesse de lá, mas não havia força que conseguia me fazer sair.
Uma enorme vontade de sangue tomou conta de mim, e com um sorriso estranho eu me pus a tentar arrancara a cabeça da Mulher-Escorpião com as mãos, minha força parecia ter se triplicado, pois a mesma gritava desesperadamente.
Tentando me tirar de cima das suas costas, então eu empunhei a minha adaga e perfurei o inicio da nuca da pobre coitada, que esperneava de tanta dor. Com uma das garras a mesma tirou a arma de sua nuca e a fincou no meu ombro direito, mesmo não estando completamente dentro dos sentidos, eu acabei por gritar também.
- Maldita! Morra logo! – Gritava o instrutor que assistia nervoso a tudo aquilo.
Cai na área banhada de vermelho, e fui rolando por ela, tentando fugir da criatura irada que ainda se recuperava dos golpes para vir a me atacar. Levantei-me com certa dificuldade, mas a loucura que me tomava ainda me fazia rir exageradamente, pois é, meu rosto se encontrava em um misto com lágrimas, sangue, e gargalhadas.
Comecei a rumar tonta para a minha Vinícula que se encontrava jogada a alguns metros de onde eu estava. Ainda que falho eu começo a ouvir os gritos furiosos da criatura se aproximando.
Quando ela ia enfim realizar o seu último e talvez fatal golpe, eu lhe cravo a vincula no céu da boca, fazendo a lança perfurar todo o crânio da criatura. Isso que dá, vir correndo de boca aberta.
Não pude ouvir seu último suspiro, pois meus risos atrapalhavam, só me lembro da mesma ter dado a cara ao chão e virado pó.
Quanto a mim, bem, eu cai na areia ainda gargalhando, até que o instrutor veio até mim, retirando o chapéu. Mirei sua face pela última vez aquele dia por que depois eu segui diretamente a enfermaria, seriam mais algumas semanas sem treinos para a Hela.
Legenda:
 


♦ The White Swan ♦ @ CG

____


HelaStratford
Fun |Crystal Eyes |Singer |[/color]Crazy Girl

credits @
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://otemplodeodin.forumeiros.com/
Rock Lewins
Filhos de Poseidon
Filhos de Poseidon
avatar

Mensagens : 2
Data de inscrição : 17/03/2013
Idade : 20
Localização : É impossível achar o esconderijo de um mentiroso.

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Sab 06 Abr 2013, 18:28

art is a fuckin way of expression
15 ● Monster ● Rock ● Poseidon


Eu não achei meu primeiro treino muito produtivo, tanto que no dia seguinte, mesmo com a perna enfaixada e ainda latejando um pouco, desafiei a mim mesmo a voltar na arena, mas dessa vez não para lutar contra outros campistas, e sim, contra monstros.

Provavelmente esse seria mais desafiador do que o treino com espada e escudo, campistas tem consciência de que não podem matar, mas com monstros de diferente... Bem diferente.

Eu ainda ficava surpreso de ver como aquela arena era enorme, mesmo já estando um pouco acostumado com ela.

Olhei ao redor da entrada da construção, tinha apenas eu e um supervisor. Ele mandou eu me aproximar.

Ok... Parece que só vai vir você hoje então... Vou fazer um resumo: Entre na arena e tente derrotar o monstro. – Achei bem resumido da parte dele.

Não tive outra escolha a não ser entrar na arena. A espada dos mares estava amarrada as minhas costas, porém achei mais conveniente tirá-la de lá e segurar a bainha na mão esquerda, usaria a mesma estratégia que usei contra aquele filho de Atena.

Eu estava no meio da arena, esperando, quando o supervisor gritou:

Ah sim... Não ha garantia de que você fique vivo...

Como é que é...? – Tentei gritar de volta, mas minhas palavras foram abafadas por um ruído metálico vindo do outro lado da arena.

Um cara bem grande saiu de uma sala, ele segurava um porrete e tinha os dentes bem grandes. Eu não conseguia ouvir o barulho dos pisos dele, foi aí que eu percebi que o chão da arena foi coberto com areia.

Desembainhei a espada dos mares e esperei a coisa se aproximar.

Um porém.

A medida que aquilo se aproximava, maior ela ficava, acho que a extensão da arena havia enganado meus olhos. A um metro de distancia aquela coisa tinha cerca de três metros de altura, a única opção que tire foi pular para o lado, deixando ela passar direto enquanto ela se esforçava para frear.

Oe! Como eu mato esse troço?

Um Lestrigão é bem difícil de matar, tente acertar as pernas e desviar de TODOS os ataques deles, acho que um golpe de você vai ficar muito debilitado.

O Lestrigão voltou a se virar para mim e correu na minha direção, brandindo aquele porrete no ar, girando-o de um lado para o outro, na mesma hora me veio a mente aquela manobra de avançar contra o inimigo grande e passar por debaixo de suas pernas.

Menos de dois metros, tomei impulso com uma das pernas para me jogar por de baixo do monstro. Calculei errado a velocidade e ele me pegou, sua mão tinha o comprimento de todo o meu tronco.

O ar desapareceu de meus pulmões, respirar parecia ser a coisa mais difícil de se fazer naquele momento, a força que aquele monstro tinha para me espremer era imensa.

Minha visão começou a escurecer lentamente, senti minha vida se desprendendo de mim lentamente. Foi aí que a terra se abriu. O monstro, da cintura para baixo, foi engolido pela terra. Eu e ele ficamos surpresos com o fato.

Foi eu quem fez aquilo?

Acho que não, no meu conhecimento, filhos de Poseidon não podem abrir a terra...

Bem, ignorando o fato de aquela fenda ter sido aberta para me salvar por alguém ou alguma coisa, suspeito que foi o supervisor... Bem, o que importa é que eu estava livre e podia respirar novamente.

Quando Lestrigão me pegou, deixei cair minha espada e sua bainha, ao sabiam onde estavam agora. Eu cometi outro erro ao ficar procurando minhas armas... Esqueci que o o tronco do Lestrigão ainda estava livre. Ele me pegou novamente e me jogou contra a parede.

Não lembro o que aconteceu depois disso. Só de acordar na enfermaria com muito hematomas, alguns curativos no rosto e um gesso no braço esquerdo.




KYOO. @ OPS

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Aiden Scherbítsky
Filhos de Perséfone
Filhos de Perséfone
avatar

Mensagens : 3
Data de inscrição : 07/04/2013

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Dom 07 Abr 2013, 15:33

A arena estava em silêncio, todos os campistas presentes aguardavam por aquilo. Não se sabia ao certo como seria, mas aquele era o primeiro combate de um novato, um filho de Perséfone. Agora saberiam se ele seria, de fato, um guerreiro... Ou então, se seria apenas mais um campista a morrer em um de seus primeiros combates. Era uma tarde de descobertas, de performances, e talvez... De glória.

"Aposto que ele perderá, não se houve falar muito sobre os filhos de Perséfone... Talvez ele seja meio serpente." - Dizia um campista na arquibancada.
"É verdade, vamos ver se ele luta bem... Eu não sei ao certo, ainda não o vi. Dizem que ele ficou na sala de Quíron da hora que chegou até agora." - Respondeu o filho de Íris ao lado garoto, dava para saber quem era seu progenitor pela tatuagem que ele possuía... Um arco íris.

Enquanto isso, na arena, voava uma pequena Harpia, não aparentava ser muito forte. Deviam ter escolhido-a propositalmente, ninguém espera que um novato vença um titã em seu primeiro combate, normalmente eles mal sabem usar seus poderes. Enfim, a harpia se volta para a entrada, parecia estar atenta a algo... Será que o campista finalmente havia aparecido?

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

- Bem, eu não sei ao certo como dizer... Mas... Eu sou um semideus, eu acho. Foi isso que eles me disseram, e eu acho que seria uma atitude coerente não discutir com um homem cavalo. Como posso continuar? Então.... Esse é o meu primeiro dia como semideus, ou não... Eles disseram que eu sempre fui um semideus, por isso preferem que eu me refira a isso como "O primeiro dia de uma nova vida". Sei lá, é estranho pensar que agora eu vou lutar com um bicho que eu nem acreditava existir...

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

O semideus entra na arena, alguns sussurros eram audíveis, mas aquilo não despertava o interesse do rapaz, afinal, ele tinha uma harpia para enfrentar. Todos na arena podiam ver que ele vestia uma armadura negra, mas não sabiam que ele tinha outros equipamentos. Ele pega um anel de bronze que estava em seu dedo, e logo aquele se transforma em um escudo, que logo é posto na mão esquerda. Em seguida, Aiden aperta o botão de sua caneta, e ela logo se transforma em um chicote. Agora o semideus estava preparado para o combate.

A Harpia voa para cima, ficando cada vez mais alta, e chegando a um ponto que não podia ser vista, devido a claridade do local que impedia-nos de olhar para cima. Em seguida ele desce a toda velocidade, com um poderoso "rasante" ela tentava atingir o semideus e joga-lo para longe. De fato, aquela não era uma boa ideia, afinal ele trajava uma armadura sobre as roupas... Contudo, devido a inexperiencia do garoto, ele acaba se jogando para o chão, num impulso desesperado de esquivar-se do ataque daquele ser.

Ela passa perto... Extremamente perto, de modo que ele pôde sentir uma das penas das asas da Harpia encostar em seu rosto. A Harpia sobe novamente, planejando mais um de seus vôos. Enquanto isso, o garoto tentava se levantar, não conseguia se movimentar com liberdade, pois não estava acostumado a trajar uma armadura... Era um dia de novas experiências. Ela volta a descer, justamente quando o garoto conseguia se levantar, o único problema... Era que ele estava de costas para a Harpia, e nem imaginava que ela estava atacando-o novamente... Resultado? Ela acertou-lhe as costas, protegidas pela armadura. Ele é atirado para a frente, e agora a Harpia voava em sua frente.

Furioso consigo mesmo, Aiden se levanta, dessa vez muito mais rápido que as outras, parecia ter uma destreza dez vezes maior do que a que havia apresentado até o momento. Ele corre na direção da harpia e tenta desferir um golpe com o chicote, todavia, por sua infamiliaridade com a arma, acaba deixando-a escapar. Ela voa pela arena e agora se encontrava atrás da criatura.

- Droga... Preciso pegar aquilo de novo...

Ele corre na direção da Harpia, em resposta ela avança em sua direção. A arena estava quieta, ninguém sabia o que o garoto pretendia e a Harpia não mostrava interesse em recuar. No momento do impacto, ele se joga para trás e levanta sua perna direita, acertando a criatura no peito que é jogada para cima [na verdade a Harpia realiza um movimento parabolar]. O garoto se levanta e corre em direção ao chicote.

Agora, com o chicote em mãos, o agora o segura firmemente e executa dois ataques, formando um X no ar, de modo a aprender como a arma era utilizada, e percebe uma certa familiaridade com a mesma.

- Ei... Alguém aí na arena, como chama essa parada aqui? - Dizia o garoto erguendo o chicote.

"Chicote" - Respondeu a arquibancada em coro.

A Harpia, novamente ataca o garoto voando em sua direção, mas agora... Ele já sabia como utilizar daquela ferramente. Aiden gira, assim efetuando um golpe giratório com seu chicote, que acerta bem no olho da Harpia, fazendo com que ela perca o equilíbrio enquanto voa, e não consiga se manter no ar. Aproveitando a oportunidade, ele desfere mais dois golpes com o chicote, dessa vez efetuando um X. O sangue da Harpia mancha o chão da arena, mas, decidida, ela consegue se levantar, e voa contra o garoto. O semideus tenta usar o chicote para se defender, mas a Harpia já esperava aquilo, e consegue desviar com perfeição.... Aproveitando a brecha na defesa do garoto, ela crava suas garras na panturrilha do garoto, o único lugar que não estava protegida. Por fim, ele bate com seu escudo na cabeça da Harpia, o golpe estava fraco, devido a dor que sentia, mas era o suficiente para desmaia-la.


OBS: O motivo para "Harpia" estar escrito com H maiúsculo deve-se ao fato de ela não ter nome.

Código:
Chicote de rosas - Chicote com o punho na forma da flor, é cravejado de espinhos, maleável, como um cipó, mas resistente, sempre exala um perfume forte de rosas quando ativado. Quando desativado pode ficar simplesmente na forma de uma flor ou na forma de um anel em formato de rosa [para as garotas] ou uma caneta com filigrama de gavinhas [ para os meninos]
Escudo outonal - escudo de bronze sagrado, na cor das folhas do outono. Quando ativado é redondo, decorado com folhas e filigramas nos formatos de diversas espécies de plantas, e sua superfície também é cravejada de cravos. Na forma desativada é uma pulseira decorada com pingentes de folhas [para as garotas] ou um anel de bronze, comum, com filigramas discretas [para os garotos].
Armadura Negra [Uma armadura negra feita de prata, tingido de preto, Protege perfeitamente a região do peito e da coxa]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hefesto
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos
avatar

Mensagens : 33
Data de inscrição : 06/04/2013

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Dom 07 Abr 2013, 17:14

Administração SO escreveu:
Hefesto escreveu:
♦Avaliações♦




Aiden Scherbítsky

♦ Ortografia: [color=indigo] 7/10 pontos: /color]

♦ Coerência, Coesão, Organização, Conteúdo e Ideias: 23/30 pontos: .

♦ Organização da Postagem: 6/10 pontos: .

♦ Uso Adequado de Linguagem: 13/15 pontos:

♦ Estratégia e Uso de Armas/Habilidades e Poderes: 9/10 pontos

♦ Capacidade Descritiva: 18/25 pontos:

Experiência obtida em post: 86xp



Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics
[/quote]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ártemis
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos
avatar

Mensagens : 48
Data de inscrição : 17/12/2012

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Sab 13 Abr 2013, 17:37



Hela Stratford


♦ Ortografia: 9/10 pontos

♦ Coerência, Coesão, Organização, Conteúdo e Ideias: 15/30 pontos: .
O post foi interessante, a escrita e expressão de ideias também, porém pecou no pouco diálogo sem muitos detalhes e no exagero e repetição de letras para se expressar gritos e outras ações.

♦ Organização da Postagem: 8/10 pontos: .
A organização de paragrafos poderia ter sido melhor e mais organizada, porém não foi algo que dificultou o desentendimento do post.

♦ Uso Adequado de Linguagem: 12/15 pontos:
Novamente se tratando da repetição de letras para expressar gritos, o que poderia ser expressado apenas com um "Não!" ou "NÃO!"

♦ Estratégia e Uso de Armas/Habilidades e Poderes: 10/10 pontos
Sem problemas por aqui

♦ Capacidade Descritiva: 25/25 pontos:
Perfeito. Você narra os detalhes muito bem, o que não torna o post cansativo.

Experiência obtida em post: 78xp




Rock Lewins


♦ Ortografia: 9/10 pontos

♦ Coerência, Coesão, Organização, Conteúdo e Ideias: 20/30 pontos: .
A escrita, coerência e vocabulário usado foi ótimo, mas pecou no counteúdo e ideias, no qual você falha em seu treino.

♦ Organização da Postagem: 10/10 pontos:
Organizado, coerente e fácil de se ler.

♦ Uso Adequado de Linguagem: 15/15 pontos:
Pefeito.

♦ Estratégia e Uso de Armas/Habilidades e Poderes: 2/10 pontos
Não vi muito do personagem em ação no post, tanto que o mesmo foi derrotado por seu oponente. Não hove muito uso de habilades e ataques além da manobra de de passar por de baixo do adversário (que não deu certo também).

♦ Capacidade Descritiva: 20/25 pontos:
Poderia haver mais detalhes sobre cada ataque seu e de seu oponente, já que o treinamento em si acabou antes do imaginado.

Experiência obtida em post: 67xp

____


Goddess Artemis
GIRL!:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Travis Cooper Smith
Filhos de Zeus
Filhos de Zeus
avatar

Mensagens : 238
Data de inscrição : 24/01/2013
Idade : 21

Ficha do personagem
Vida:
95/140  (95/140)
Energia:
90/140  (90/140)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Sab 13 Abr 2013, 19:37



Treno de combate a monstros ♛
20:00 às 21:00



Já fazia um bom tempo em que Travis não ia à Arena, pois estava muito envolvido com missões externas e internas, tanto quanto adquirindo mais experiências para a sua vida de semideus. Precisava praticar um pouco, já que estava meio sem utilidade nesses últimos tempos. Precisava estar mais pronto e preparado para uma batalha, e a Arena era o local perfeito para isso.


Naquele dia, o filho de Zeus não fizera nada de mais. Seguira sua rotina normal, sem nada de diferente. De manhã fora ao Refeitório, onde tomou seu café da manhã. Depois, voltara para seu chalé, arrumando suas coisas e participando da inspeção mensal que Damon, o monitor do chalé, fazia. À tarde, fora para a praia curtir o belo dia que fazia com seus amigos. Enfim, reservou a noite para seu treinamento. Vestiu uma flanela vermelha com preta e uma calça jeans, colocando por cima a sua armadura de Águia, que protegia mais seu peito e sua cabeça. Colocou sua adaga verde em sua cintura, presente de Dionísio por uma missão que havia feito, e pegou seu relógio que virava uma espada elétrica, para o caso de um ataque não planejado pelo monstro que enfrentaria.


Como já era noite e as harpias do Acampamento já estavam certas do toque de recolher, Travis teria que tomar toda a cautela possível para que não fosse visto por elas. Pegou seu anel branco, presente de sua mãe, colocando-a no seu dedo. Orou para seu pai, Zeus, baixinho, pedindo para que ele o protegesse se estivesse em apuros. Então, verificou se estava com tudo e saiu do chalé lentamente para não acordar os seus irmãos e nem chamar a atenção das harpias. Tomou rapidamente à vista dos outros chalés e se tudo estava calmo, para que ele pudesse saber onde estavam suas ‘amigas’. Sabia que haviam outros campistas que saiam naquela hora para ir treinar, como ele, e esperava que não fosse pego pelas vigilantes do acampamento.


Digiriu-se, aparentemente, sem problemas até a Arena, mas sempre ouvindo alguns gritos das harpias mais próximas avistando alguns campistas, que o semideus sempre achava que era ele. Quando abria a imensa porta da Arena sem fazer muitos barulhos, pode avistar uma harpia gorda que ia em sua direção, berrando. Por sorte, conseguiu fechar o portão rapidamente, não deixando chances para a criatura. Ele riu, e rapidamente todas as luzes do imenso local foram acesas. De repente, a voz metálica de um instrutor, que fora gravada para o treino noturno, fora ouvida. Ele apresentava o treino e as criaturas que Travis poderia enfrentar, e perguntava muitas vezes como o semideus havia conseguido chegar ali sem ser pego pelas harpias, e falava que ia ser penalizado se fizesse aquilo novamente.


O filho de Zeus, sem perder tempo e não ligando para a inconveniência da gravação, sorriu e escolheu uma velha, mas não menos perigosa Dracaenae para enfrentar. Acionou seu relógio-espada e a cor de seus olhos mudou para um verde claro, pela excitação do momento. Ouviu-se um ‘boa sorte’ da gravação, e rapidamente uma porta atrás do semideus abriu-se, revelando a criatura. Ela deu um imenso berro, e correu na direção dele, fazendo com que Travis corresse pela Arena, com ela atrás dele. Seu plano era cansá-la até o ponto dela não aguentar mais, mas sabia que isso não ia acontecer, pois ele se cansaria também em poucos minutos.


Continou correndo mesmo assim, dando voltas sem parar. Ela parecia bastante cansada já, e dava berros a cada vez que ele corria. Ele sorria rapidamente, mas já estava um pouco cansado. Então, resolveu começar logo seu treinamento, indo na direção oposta que estava correndo, ao encontro da criatura, que berrava ainda mais. Ao chegar perto dela, tentou atacá-la com sua espada, sem sucesso, pois ela virou-se para o lado na hora que ia cortá-la. Ela, por sua vez, já havia entendido o recado, e examinava Travis todo o tempo, procurando seu ponto fraco. Ele então, atacou-a novamente, mirando em seu pescoço. A criatura, esperta, movimentou-se com rapidez, fazendo com que o semideus caísse no chão. A dracaenae pegou seu braço e enfiou sua garras afiadas nele, fazendo com que o mesmo gritasse de dor. Sem perder tempo, e já com raiva do monstro, atacou sua perna, pois ela segurava o seu braço, acertando-a. De seu corte, meio profundo, saía um líquido dourado, tanto quanto a perfuração que a criatura fizera em seu braço. Havia um empate, e Travis estava louco para desempatar.


A criatura, que urrava de dor ainda mais, logo recompou-se, indo em direção ao filho de Zeus, que levantava-se lentamente, sem ter noção que ela estava perto demais. Então, a dracaenae preparou-se para atacar, soltando uma gosma verde de sua boca que cheirava a vômito com comida estragada, que vez o semideus quase vomitar. Ela, por sua vez, jogou o semideus do chão e atacou-o mais uma vez, agora enfiando as suas garras venenosas em sua perna, provocando mais um grito. Ele chutou-a rapidamente, posicionando-se em pé com certa dificuldade. Então, resolveu dar um fim naquela situação, concentrando-se em sua espada elétrica, e mirando-a na direção da criatura. Preparou-se para acioná-la, fechando os olhos. Mas nada aconteceu.


Ele ficou parado por alguns minutos esperando que a espada funcionasse, mas nada. A dracaenae, prevendo a sua vitória, correu na direção do semideus, ficando mais feia do que o normal. Travis apertou sua espada fortemente, orando por seu pai. Precisava que aquilo funcionasse, mas nada acontecia. Estava ferrado. Então, ela chegou ao seu encontro, enfiando suas garras novamente em seu braço. O semideus deu um imenso berro e pegou a sua adaga verde, fincando-a no pescoço da criatura, fazendo com que a mesma berrasse. Então, afastou-se dela com dificuldade, acionando sua espada, soltando uma imensa energia contra a dracaenae, que rapidamente virou um imenso pó dourado. Ouviu-se os parabéns da gravação, e Travis recolheu sua coisas rapidamente, saíndo da Arena mancando. Foi em direção à Enfermaria, para que fosse cuidado pelos Curandeiros. Tomou cuidado para que não fosse visto pelas harpias, correndo ás vezes. Estava à salvo, pelo menos por enquanto.






Armas levadas:
 

Itens levados:
 

Poderes utilizados:
 

travis wears Click Here music: Fun. - We Are Young Click humor: normal note: ~tsc~

____


Travis Cooper Smith

Don't need reason, don't need rhyme Ain't nothin' that I’d rather do Going down, party time My friends are gonna be there too I'm on the highway to hell On the highway to hell
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Dionísio
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos
avatar

Mensagens : 187
Data de inscrição : 04/01/2013
Idade : 21
Localização : Casa Grande

Ficha do personagem
Vida:
99999/99999  (99999/99999)
Energia:
99999/99999  (99999/99999)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Dom 14 Abr 2013, 15:52

♦Travis Cooper Smith♦



♦ Ortografia: 10/10 pontos: Muito bom!

♦ Coerência , Coesão,Organização, Conteúdo e Ideias: 24/30 pontos: Treinos a noite e a gravação, foram coisas sem coesão, isso não existe e colaborou para a perdade pontos nesse quesito. Fora isso tudo muito bom.

♦ Organização da Postagem: 10/10 pontos: Muito bom.

♦ Uso Adequado de Linguagem: 15/15 pontos: Tudo perfeito por aqui.

♦ Estratégia e Uso de Armas/Habilidades e Poderes: 10/10 pontos: Muito boa, ótima estratégia inicião e bom "problema" narrado para tentar se livrar.

♦ Capacidade Descritiva: 25/25 pontos: Descrição impecável, muito bom mesmo, continue assim!

Experiência obtida em post: 96xp


Atualizado!



Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics

____

Dionísio
Senhor para você • Deus do Vinho • Deus da Loucura • Deus da orgia e prazeres carnais •Thanks Larissa Sant @ Sugar Avatars


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Christina R. Lockhart
Filhos de Dioniso
Filhos de Dioniso
avatar

Mensagens : 59
Data de inscrição : 23/03/2013
Idade : 20
Localização : CHB

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Dom 14 Abr 2013, 16:03

Come and Get It

Tá ligado esses domingos tediosos em que você não quer fazer nada, porém esse nada é tão nada que chega a te incomodar? Então, era um desses mesmo quando eu estava esparramada na varanda da casa grande tomando uma lata de coca-cola (não, não era diet), observando ali o movimento do acampamento, fazendo um cosplay bizarro de meu pai. Apesar do silêncio ali chegar a ser irritante, eu estava bem ali como estava, e nada poderia estragar aquela tarde... a não ser Paulo surgindo do nada gritando "Chriiiiiiiss!". Observei atentamente a expressão de animação exagerada ao me ver no rosto da criatura que chamava de irmão e respondi com o mair tom de indiferença que pude - Quié?. O garoto pareceu ofendido. Talvez porque não correspondi sua alegria sem motivo e não gritei seu nome, mas em momentos de tédio pessoas felizes me deprimiam. O garoto se aproximou e com uma bundada (sim, a bunda dele é maior que a minha) me retirou da espreguiçadeira onde estava, que era a mesma que meu pai havia adquirido há um tempo atrás para que pudesse fazer nada com mais conforto. "Vá treinar e fazer algo útil da vida, sua chata! Vá aproveitar o dia lindo!" ele disse e tomou a coca-cola de minhas mãos. Nem preciso dizer que ele era mais forte do que eu, então nem valeria a pena lutar pela latinha - na qual havia menos da metade de seu conteúdo total. Sai dali encarando-o com a maior cara de desprezo que pude, prometendo mentalmente que aquilo teria troco.

Embora o ocorrido, Paulo tinha razão. O dia estava lindo, também porque não estava um sol escaldante, o que o tornava perfeito para um treinamento, já que assim você não suaria como um cachorro molhado após conclui-lo. Rumei até o chalé 12 e depois o deixei levando comigo minha Espada das Videiras. Junto dela rumei para a arena de treino com monstros, onde o Centauro Quíron instruia semideuses bem mais ativos e animados do que eu. Quíron pareceu um tanto quanto surpreso ao me ver, o que não era pra menos, já que eu nunca treinava. "Christina, que surpresa em ve-la. Vai se juntar a nós no treino?" ele disse sendo simpático. - Sim - respondi enquanto observava um campista de Zeus deixar a arena. Adentrei a mesma examinando o local - capricha no monstro, ok? Não precisa pegar leve - murmurei agora de costas para Quíron, que em seguida respondeu um "Pode deixar". Em seguida, os portões da arena se abriram lentamente. Apertei com força o punhal da espada em minhas mãos e semicerrei os olhos a fim de tentar indentificar o monstro que havia ali. De repente, uma Benevolente se revelou das sombras. Aquilo não deveria ser problema para mim. Apertei o punhal da espada novamente para me certificar de que minhas mãos não estavam suadas. Eu estava pronta.

Brandi a espada em minhas mãos e corri em direção da criatura que ali estava. Era um golpe tão óbvio que chegou a ser um erro. Quando eu estava perto o suficiente, a criatura levantou voo, fazendo-me atacar o nada e cair de cara no chão. Era minha imaginação ou eu podia ouvir o riso da criatura e até mesmo o riso disfarçado de Quíron pelas minhas costas? Não, eu não estava ficando louca. "Caralho, essa porra ri!" pensei antes de me levantar enquanto raciocinava a melhor forma de atacá-la. Raciocínio: Esse não é e nunca será o meu forte. Como eu atacaria uma criatura alada sendo que eu tenho um pouco mais de um metro e meio? Naturalmente ela repetiria o feito e eu continuaria a atacar o chão. Então, eu deveria esperar ela atacar e aproveitar tal oportunidade, mas para isso eu precisaria provocar um ataque. Hm.

- Sabe, até que você é uma fúria bem legal, acho que vou te chamar de Paulo - Foi o melhor que pude pensar. Não sei se a criatura entendeu, mas ela pareceu ofendida. Arreganhou suas presas numa expressão assustadora que por um segundo me fez arrepender do que havia dito. A veio em minha direção com as garras dos pés(?), como se fosse arranhar a minha cara ou talvez agarrar a minha roupa e levantar voo comigo. Não esperei para ver seus planos. Brandi minha espada, que graças aos deuses não era pesada, no exato instante em que ela se aproximou o suficiente. Consegui acertar suas pernas(?) com a espada, cortando-os fora. As garras, juntas de um bom pedaço da perna da criatura, cairam no chão da arena ainda se mexendo, jorrando icor escuro (BI-ZA-RRO!). Eu não diria que aquela foi uma cena legal de se ver, então voltei a observar a criatura que agora voava sem equilibrio devido a falta das pernas, gritando e dor. Aquela também não foi uma cena legal de se ver, deu até pena.

Depois de um tempo tentando manter o equilibrio no ar sem as patas e evidentemente sentindo muita dor, sem sucesso a benevolente caiu no chão, ainda gritando de dor. Pelo amor dos deuses, cadê a vingança da criatura? Podia pelo menos tentar me atacar por ter feito aquilo com ela, mas não, ela continuava gemendo de dor, o que me fez pensar entre terminar com aquilo ou pedir pra alguém leva-la para a enfermaria. Dei um breve olhar de "Que porra é essa?" para Quíron, e apenas com um olhar percebi que deveria acabar com aquilo e que estava sendo lerda. Me aproximei da criatura e simplesmente finquei minha espada em seu peito, acabando com seu sofrimento. Examinei a arena e dei graças aos deuses pois não seria eu quem limparia aquela bagunça e sujeira de icor. Desci dali enquanto ouvi Quíron dizer "Nada mau, Chris" ouvi Quíron dizer e agradeci com um aceno. Em seguida rumei de volta para a casa grande junto da minha espada suja de icor, a fim de sujar Paulo com ela.
Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics

____

Christina {Chris} Rolstroy Lockhart
sexyiest Dion's Daughter x Wine's Girl x Baixinha, Invocada & Mandona
*-*:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Mnemósine
Deuses Menores
Deuses Menores
avatar

Mensagens : 384
Data de inscrição : 23/04/2012

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Qua 17 Abr 2013, 17:42

♦Christina R. Lockhart♦



♦ Ortografia: 9/10 pontos: Muito bom!

♦ Coerência , Coesão,Organização, Conteúdo e Ideias: [color=indigo]15/30 pontos: Benevolentes não são coo monstros comuns, elas servem diretamente à Hades, e são mortes d/color]emais para alguém do seu nível lutar contra, além de que, em geral apenas cumprem missões específicas. Uma harpia seria mais adequada. Além disso, foi um treino fraco em termos de reação do monstro - omeçou bem, mas no fim ficou forçado, dando a entender que a semideusa é uma versão feminina do Kratos.

♦ Organização da Postagem: 10/10 pontos: Muito bom.

♦ Uso Adequado de Linguagem: 14/15 pontos: Apenas alguns detalhes - seria punho da espada - punhal é outro tipo de lâmina. No mais, ostei do estilo irreverente

♦ Estratégia e Uso de Armas/Habilidades e Poderes: 8/10 pontos: Básico, mas efetivo

♦ Capacidade Descritiva: 25/25 pontos: Descrição muito boa do que se propôs - as falhas foram apenas em coerência.

Experiência obtida em post: 79xp


Atualizada!



Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics

____

A.k.a.:
 


“Um povo sem memória é um povo sem história. E um povo sem história está fadado a cometer, no presente e no futuro, os mesmos erros do passado”.
(Emília Viotti da Costa, historiadora)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Derek F. Fredrich
Filhos de Éolo
Filhos de Éolo
avatar

Mensagens : 10
Data de inscrição : 10/12/2012
Idade : 23
Localização : Nos seus sonhos

Ficha do personagem
Vida:
110/110  (110/110)
Energia:
110/110  (110/110)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Sab 27 Abr 2013, 19:16

[quote="Derek F. Fredrich"]
Derek F.Fredrich

Vivendo no Limites2 de Tudo



Era inicio de noite estrelada. A Lua branca e sua luz gélida não era capaz de refletir a vermelhidão de meu Ódio. Caminhava pela floresta, sem rumo, a procura de um desafio digno de um filho de Éolo.
Caminhava devagar por entre as árvores, e olhava para o Céu uma única vez. A magnitude das árvores, bloqueava a luz da Lua e das Estrelas, tornando o cenário mais sombrio do que o usual, pois a unica luz era a que passava entre a copa das Árvores, e a Luz do Destino Sangrento que esperava alguém nessa noite.
O vento gélido da noite , apontava o caminho e eu seguia esperando que ao final encontrasse o fim da agonia que sentia... Esperando que o Sangue que jorraria lavasse minha alma, levasse consigo toda a ira que pesava e pouco a pouco me amaldiçoava.
A Floresta permanecia obscuro contudo silenciosa,Nada se movia além do que o ventos pudera Mover, pouco a pouco pensava se esta era opção plausível para descontar minha raiva.
Me direcionava ao chalé com o frustante pensamento de não obter o que queria, mas ao chegar a porta sofro uma epifania: "A Arena"!
Caminhando em direção a arena, se não me frustaria novamente ,as chamas da tochas que iluminavam a arena estava a se apagar, Pensava eu "Alguma regra deveria me proibir de estar aqui".
Chegando a arena caminho em direção ao centro, onde iniciaria o treinamento a espera de algo que trouxesse o sentido que eu esperava para essa noite. Não poderia dormir tranquilamente enquanto o sangue de algum inimigo não brotasse do chão como uma fonte de água de nasce, trazendo fertilidade ao lugar.
Alguma coisa estava diferente no vento dessa noite... Não era tranquilo e pacífico como o habitual. Dessa vez, ele entoava uma canção rebelde de morte, um prelúdio para uma batalha que deveria começar logo. E eu deveria ouvi-lo... Afinal, as coisas são imprevisíveis na Arena. Ou melhor, as coisas são imprevisíveis desde que descobri minha real Ascendência divina.
De repente, ouço sons de golpes em metal. Algo havia se libertado e tentava sair para a Arena, a noite finalmente daria a mim tudo aquilo que eu desejava... A sensação de Controle absoluto, o poder de manipular a vida ou a morte de alguma criatura. E o Escolhido seria um Minotauro.
O Minotauro não possuía armas ou armadura, mas deveria ser fisicamente forte, já que arrebentou as correntes e destruiu um portão sólido para estar aqui. E então, sacando minha Espada, girando-a estilosamente entre os dedos, caminhando mais para o centro da Arena, esperando que o mesmo fizesse o primeiro movimento. Fecho os olhos e respiro fundo, abrindo um olhar determinado, decretando o final do Minotauro.
Logo que o Minotauro me vê, urra, em sua fúria destrutiva, até mesmo ele já havia percebido que precisaria me matar para passar. Então, inclinando seu corpo para frente, iniciando uma veloz corrida em minha direção. Girando minha Espada uma ultima vez, espero pacientemente, contando cada segundo até o Minotauro chegar a 4 metros da distância. Assim que o mesmo chega nessa distância, giro sobre meu próprio eixo, saindo da rota de colisão com o Minotauro, que por sua estrutura física não poderia controlar sua velocidade, ou seja, não seria capaz de mudar de direção. Então, ergo minha Espada na diagonal, a altura da cintura do mesmo, que iria ao encontro da própria morte, ao ter seu corpo separado em dois pela lâmina de minha Espada.
Me levantando, afastando-me alguns metros, vejo as duas fatias que um dia formaram um Monstro, começarem a se desintegrar, formando poeira dourada. Então, com um sorriso satisfeito, saio da Arena de volta para o Chalé.

Armas utilizadas:
 
Armas utilizadas:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Diego Stark
Filhos de Hades
Filhos de Hades
avatar

Mensagens : 83
Data de inscrição : 23/03/2013
Idade : 21
Localização : Colina meio sangue

Ficha do personagem
Vida:
140/140  (140/140)
Energia:
140/140  (140/140)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Dom 28 Abr 2013, 18:26

Treino de combate a monstros. 13:25 às 13:46.
Era começo de tarde e eu estava conversando com minha amiga Alicia, filha de Hermes, sobre treino com monstros na praia. Ela tentava me convencer de que não era tão perigoso quanto eu pinçava, que tinha um instrutor para nos ajudar em casos extremos.

-você vai gostar, acredite em mim-disse ela- pra iniciantes são monstros fracos, você certamente pode dar conta.
-ok, você me convenceu- falei rindo- depois eu volto pra falar como foi, ou melhor, quantos ossos eu quebrei.

Ela riu e ficou me olhando deixar a praia. O tempo não estava tão quente como costumava estar naquele horário. Eu vestia um short verde escuro, uma camisa do acampamento e um sapato preto velho. Minha caminhada até a arena foi rápida e quando eu cheguei ela estava lotada. Campistas de vários chalés treinavam com espadas, arcos e flechas e divisas armas. No canto mais distante da sala se encontrava Quiron e eu fui até ele.

-ah, você por aqui? À uma hora destas? Em que posso ajudar Diego?- perguntou surpreso.
-bem, eu estive pensando em treinar com algum mostro, mas que não fosse muito perigoso, é que é meu primeiro treino deste tipo- falei olhando para o corpo de cavalo dele, que a proposito eu ainda não havia me acostumado.
-entendo-disse Quiron pensativo-acho que tenho algo perfeito pra você- Ele foi até uma porta dupla atrás dele e entrou nela, neste meio tempo eu havia ido buscar uma espada e um escudo no arsenal e já estava voltando quando ele reapareceu saindo da porta, atrás dele vinha um cão infernal rosnado e de olhos vidrados em mim.
-ei-protestei- assim não vale. eu disse algo fácil.
-mais fácil do que isso só se eu botasse você pra batalhar contra uma galinha.
-boa ideia. Eu fico com a galinha- ele sorriu e se afastou um pouco.

O cão não tirava seus olhos pequenos e vermelhos de mim, seu pelo era tão negro que no escuro, se ele fechasse os olhos, ninguém o veria. Segurei mais firme a espada e me preparei para um ataque a qualquer momento. Ele ficou parado fitando cada movimento que eu fazia e quando eu menos esperei ele pulou em minha direção. Com meu escudo bati em sua cabeça e ele caiu meio tonto no chão, mas logo se levantou tentando fazer o mesmo ataque só que desta vez pulei para a esquerda e ele passou direto.

O medo, que antes me dominava, passou e agora eu sentia só confiança. A cada pulo que ele dava eu me desviava. A batalha já estava parecendo toureio na qual eu era o toureiro e ele era o touro. Decidi parar de me esquivar e tentar um ataque, mas a criatura não era tão burra quanto eu pensava, meu golpe de espada atingiu uma pilastra de madeira quando ele pulou para a direita. Tentei soltar a espada, mas ela não saia, e quando ele atacou fui obrigado a me desviar me distanciando um pouco da pilastra.

Eu já sabia oque fazer. Quando o cão infernal se preparou para me atacar eu coloquei meu escudo na frente de meu corpo e corri em direção a ele que pulou em uma evasiva, mas era exatamente oque eu queria que ele fizesse. Quando ele desviou eu bati na espada que caiu com o choque me fazendo perder o equilíbrio caindo do lado dela. Essa era a oportunidade do cão, ou pelo menos era isso que parecia. Quando ele correu em minha direção, com a boca aberta pronto para dar uma grande mordida eu o rebati com o escudo e em seguida, com a espada já em minhas mãos, eu decepei sua cabeça.

Olhei para Quirom e ele me fez um sinal de aprovação.

-não disse que era fácil. Você que complicou um pouco a vitória- falou se aproximando de mim.
-que nada. Já estava tudo planejado, desde o começo- falei me levantando do chão.
-mais é claro. Como eu pude não perceber- sorriu ele.

Minhas roupas estavam imundas e logo depois de me despedir de Quiron eu fui tomar um banho, pois depois contaria pra Alicia como eu heroicamente matei dez cães infernais, ou pelo menos era isso que eu contaria a ela.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Mnemósine
Deuses Menores
Deuses Menores
avatar

Mensagens : 384
Data de inscrição : 23/04/2012

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Dom 28 Abr 2013, 19:07

♦ Derek F. Fredrich ♦



♦ Ortografia: 7/10 pontos: Muitos erros de pontuação e uso de maiúsculas. Tente usar um corretor e reviar antes de postar

♦ Coerência , Coesão,Organização, Conteúdo e Ideias: [color=indigo]10/30 pontos: De batalha mesmo, houve apenas um parágrafo. Diminua a introdução e concentre-se no objetivo da postagem. A impressão que passou é que tudo ali foi "enrolação". Também tome cuidado - minotauro não é um monstro fraco, e você o enfrentou com facilidade excessiva. Qualquer oponente é um personagem também - eles não farão ações estúpidas ou ficarão a espera da morte. Na postagem, você ignora a resistência do animal - não é fácil cortar algom e ainda assim, você descreve a decapitação com um golpe, como uma faca quente cortando manteiga. Incoerente.

♦ Organização da Postagem: 10/10 pontos: Muito bom.

♦ Uso Adequado de Linguagem: [color=indigo]13/15 pontos: Aqui ok, apenas cuidado com a repetição excessiva dos termos.

♦ Estratégia e Uso de Armas/Habilidades e Poderes: 8/10 pontos: Básico, mas efetivo

♦ Capacidade Descritiva: 15/25 pontos: Descrição de prelúdio ótima, mas de treino inexistente. Foque-se no objetivo, e evite apenas preencher espaço, até por que, capacidade está claro que você tem.

Experiência obtida em post: 63xp


Atualizado!



Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics


♦ Diego Stark ♦



♦ Ortografia: 5/10 pontos: Muitos erros de pontuação e uso de maiúsculas - já apontados antes. Tente usar um corretor e reviar antes de postar

♦ Coerência , Coesão,Organização, Conteúdo e Ideias: [color=indigo]5/30 pontos: A introdução foi boa, direto ao treino, mas foi incoerente. Cães infernais, pelo menos o padrão, são gigantes - lembrando que Percy várias vezes descreve sua cadela, dizendo que ela ocupava toda a sua sala. Então, apenas trombras com ela, mesmo que conseguisse de defender, faria você ser atirado no chão. Novamente, ainda nesse quesito, decapitar o animal não seria fácil. Leve isso em consideração futuramente, e pense nos poderes do monstro - porque ele faria um ataque direto se pode se teleportar pelas sombras? Nada impede, por exemplo, de você modificar algo - dizer que era um filhote, por exemplo, mas nesse caso cite no texto e/ ou coloque em spoiler/ code no final, como uma observação.

♦ Organização da Postagem: 7/10 pontos: Melhorou bastante, com o uso de codes e espaçamento, mas ainda deixa a desejar - a impressão que passa é que você posta muito rápido, não revisando.

♦ Uso Adequado de Linguagem: [color=indigo]13/15 pontos: Aqui ok,vocabulário normal. Só insiste na questão ortográfica, e bem ou mal isso influencia.

♦ Estratégia e Uso de Armas/Habilidades e Poderes: 10/10 pontos:Sendo um indefinido, não tem muitos poderes, então, nãao há o que considerar - você realmente usou tudo o que tinha

♦ Capacidade Descritiva: 10/25 pontos: Nesse ponto percebi uma melhora sensível. Contudo, ainda pode se aproveitar mais - você descreve que o treino é na praia, mas não usa o ambiente ao seu favor. Também faltou um pouco na batalha, tornando-a repetitiva e ignorando as habilidades do oponente, mas teve diálogos bem inseridos, e isso deu um pouco mais de cor ao texto. Tenho certeza que com mais treino poderá se tornar um ótimo postador!

Experiência obtida em post: 50xp


Atualizado!



Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics

____

A.k.a.:
 


“Um povo sem memória é um povo sem história. E um povo sem história está fadado a cometer, no presente e no futuro, os mesmos erros do passado”.
(Emília Viotti da Costa, historiadora)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Christina R. Lockhart
Filhos de Dioniso
Filhos de Dioniso
avatar

Mensagens : 59
Data de inscrição : 23/03/2013
Idade : 20
Localização : CHB

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Qui 02 Maio 2013, 19:41




Em passos cuidadosos, segui até a área de treino de combate contra monstros acompanhada de minha fiel espada. Ela era "simples". Não havia nada de especial, mas eu conseguia fazer algum bom estrago com ela. Assoviava uma canção qualquer, observando a paisagem do local enquanto outros campistas estavam em suas devidas atividadades, e imaginando que monstro eu enfrentaria dessa vez. Tudo estava bem novamente, como de custume.

O dia estava lindo, também porque não estava um sol escaldante, o que o tornava perfeito para um treinamento, já que assim você não suaria como um cachorro molhado após conclui-lo. Rumei para a arena de treino com monstros, onde um campista de Apolo instruia semideuses bem mais ativos e animados do que eu. O campista, cujo qual não me lembrava o nome, pareceu um tanto quanto surpreso ao me ver, o que não era pra menos, já que eu nunca treinava. "Chris, que surpresa em ve-la. Vai se juntar a nós no treino?" ele disse sendo simpático. - Sim - respondi enquanto observava um campista deixar a arena. Adentrei a mesma examinando o local - Capricha no monstro, ok? Não precisa pegar leve - murmurei agora de costas para o mesmo, que em seguida respondeu um "Pode deixar". Em seguida, os portões da arena se abriram lentamente. Apertei com força o punho da espada em minhas mãos e semicerrei os olhos a fim de tentar indentificar o monstro que havia ali. De repente, um Cérbero se revelou das sombras. Aquilo não deveria ser problema para mim. Apertei o punho da espada novamente para me certificar de que minhas mãos não estavam suadas. Eu estava pronta.

O Cérbero vinha em minha direção e eu acreditava estar preparada, até que o mesmo abriu a boca assim revelando uma fileira de dentes pequenos e bem afiados na parte superior e inferior de sua boca. Na hora me esquivei de modo que a criatura que vinha minha direção passasse por mim e fosse direto ao nada, e por ser grande e até mesmo um pouco desajeitado, o mesmo demorou para perceber que não me atingira em cheio e demorou mais ainda para me encontrar parada como uma estátua do seu lado. Foi quando eu tive uma ideia. O Cérbero rosnou alto para minha direção, novamente exibindo seus dentes e fazendo gotejar sua saliva. Mas eu não estava mais ali.

Por ser mais ágil e rápida que a criatura, dei um longo em direção ao Cérbero, caindo assim em suas costas. “É bom que saiba o que está fazendo, Chris!”, uma parte apavorada de mim protestou. "Eu sei. Confie em mim, eu tenho um plano.”, respondeu uma parte confiante de mim, ou pelo menos uma parte que eu achava ser confiante. Quando percebeu meu peso em cima de si, o Cérbero furioso começou a se debater tentando fazer com que eu caisse, e não seria diferente. Tive que me segurar com força para não cair para trás, e acredite quando digo que não é nada parecido com montar um Pégaso... Isso estava mais para montar um touro de rodeio.

Onde estava agora, eu não conseguia atingir o Cérbero com minha espada e me segurar ao mesmo tempo. Quando a criatura deu conta que era inútil se debater, já que eu me segurava com força e não iria cair, a mesma se voltou para mim, latindo com os dentes a mostra, visivelmente tentando me morder. Foi quanto eu tive a oportunidade e levantei a espada e o atingi no rosto. Ele uivou de dor. Seu uivo seria capaz de me deixar surda e tonta de tão alto se eu não tivesse me dado conta de que agora ele estava realmente furioso e pulei de suas costas. De volta ao chão, notei que eu o atingira em um dos olhos e agora ele estava cego. Seria mais fácil acabar com ele agora.

Após se recuperar parcialmente e ainda cego de um dos olhos, o Cérbero farejou o meu cheiro e me encontrou. Novamente, tentou investir contra mim, porém desta vez eu estava preparada. Assim que o mesmo chegou, perto, desviei e atingi a lateral de seu corpo em cheio com minha espada, fazendo-o uivar de dor novamente. Aproveitei sua fraqueza naquele instante e voltei a ataca-lo. Logo, o Cérbero começou a se dissolver em areia preta, tendo em vista que o mesmo vinha do Mundo Inferior, aquilo era ou parecia ser normal.

Após tanto pular, atacar e desviar, eu estava exausta. Recolhi minha espada e deixei a arena. Decidi que agora tomaria um banho e descansaria. Eu havia treinado o suficiente por um dia e logo seria a hora do jantar.

____

Christina {Chris} Rolstroy Lockhart
sexyiest Dion's Daughter x Wine's Girl x Baixinha, Invocada & Mandona
*-*:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Apolo
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos
avatar

Mensagens : 81
Data de inscrição : 27/04/2012
Localização : No seu quarto.

MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   Sab 04 Maio 2013, 11:40

♦ Hora da avaliação - Christina ♦




♦ Ortografia: 9/10 pontos: Muito bom!

♦ Coerência, Coesão,Organização, Conteúdo e Ideias: 27/30 pontos: O post foi bem organizado e você expôs suas ideias perfeitamente. O fato que você mais pecou foi querer enfrentar um Cérbero, pois não é um monstro tão fácil de matar. Outra coisa que não entendi foi você narrar ele como tendo apenas uma cabeça, se o normal de um monstro daquele é ter três. Preste atenção!

♦ Organização da Postagem: 10/10 pontos: Perfeito!

♦ Uso Adequado de Linguagem: 15/15 pontos: Muito bom!

♦ Estratégia e Uso de Armas/Habilidades e Poderes: 08/10 pontos: Poderia ter usado mais seus poderes e armas, afinal.

♦ Capacidade Descritiva: 25/25 pontos: Sem comentários!

Experiência obtida em post: 94xp




Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics


♦ Atualizado ♦


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Treino de combate a monstros   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Treino de combate a monstros
Voltar ao Topo 
Página 4 de 5Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte
 Tópicos similares
-
» Arena para Combate contra Monstros
» [Treino 02] Combate II
» Hora do treino. A Rota 2
» — Maze Runner (Treino Trimestral: Perséfone, Hades, Melinoe, Thanatos)
» • The Prism - Treino Coletivo para filhos de Afrodite, Eos e Íris - Terceiro Trimestre de 2014 •

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Acampamento Meio-Sangue :: Arenas :: Treino de Combate à Monstros-
Ir para: