InícioInício  PortalPortal  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Atenção deuses! Há um aviso no Staff Loungue para vocês, entrem e leiam.

Important: Seu avatar é registrado? Ainda não?! Evite levantes, corra aqui: [MENINOS | MENINAS].
EM REFORMA, AGUARDEM! Novidades virão, algo que já estava mais do que na hora, não acham?!

Compartilhe | 
 

 LOCAL PUBLICO - Cachoeira

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3
AutorMensagem
Administração SO
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos
avatar

Mensagens : 284
Data de inscrição : 23/04/2012
Idade : 20
Localização : Troninho Sagrado do Olimpo 'o'

Ficha do personagem
Vida:
9999/9999  (9999/9999)
Energia:
9999/9999  (9999/9999)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: LOCAL PUBLICO - Cachoeira   Qui 26 Abr 2012, 21:27

Relembrando a primeira mensagem :



Cachoeira


Uma breve caminhada pelo bosque é o bastante para encontrar a cachoeira. A queda d’água de altura mediana, lançando água cristalina no riacho Zéfiro. Pedrinhas lisas e pequenas cobrem as bordas da água. À medida que se distancia da margem, as pedrinhas vão dando lugar à grama verde e macia da pequena clareira que existe em volta da queda. As águas daqui costumam abrigar náiades. Na grama, repousa um tronco de árvore velha, onde os semideuses costumam sentar para relaxar ouvindo o som da água.


Template by Chuck
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://santuarioolimpiano.forumeiros.com

AutorMensagem
Arya W. Lewins
Filhos de Hades
Filhos de Hades
avatar

Mensagens : 105
Data de inscrição : 23/09/2012
Idade : 19
Localização : Ali, aqui, lá, em todo lugar. Faz alguma diferença?

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: LOCAL PUBLICO - Cachoeira   Ter 24 Jun 2014, 15:42


Cause i'm only a crack...

IN THIS CASTLE OF GLASS

O sol ainda não havia saído quando eu me levantei e nenhuma das outras pessoas do chalé havia acordado quando eu resolvi fugir daquele lugar. Evitar pessoas seria fundamental caso meu objetivo ali fosse sobreviver por algumas semanas, então qualquer distancia era bem-vinda.

Se a minha prioridade fosse sair daquele lugar, também seria bom se eu não tivesse nenhum laço me prendendo ali.

Mesmo não prestando atenção na explicação me dada no dia anterior, eu tinha alguma ideia de como as coisas funcionavam ali só de observar. Me afastando do complexo dos chalés, pude ver várias pessoas indo em direção a algo que parecia um pavilhão a céu aberto de onde vinha um cheiro delicioso. Resolvi ir na direção oposta a multidão, eu provavelmente encontraria alguma coisa para comer mais tarde.

A proposito, eu precisava encontrar aquele cara antes de decidir alguma coisa.

Os meus pés me guiaram pelo lugar, me afastando cada vez do complexo central. Eu achei interessante a escolha do meu caminho, que me levava cada vez mais para dentro da floresta nas proximidades, longe de qualquer humano.

Após uns quinze minutos, eu parei perto de uma cachoeira meu estomago começou a se revoltar contra mim e fui forçado a interromper a minha caminhada para procurar por comida. Algum tempo atrás, eu havia visto árvores frutíferas, talvez houvessem algumas naquele ponto da floresta?

Dito e feito, eu senti o meu pé afundar em alguma coisa pegajosa. Uma tangerina.
Os meus lábios se curvaram em um sorriso. Eu havia acabado de encontrar o café da manhã.




O mundo é um lugar pequeno, ou talvez eu e ele simplesmente sejamos muito parecidos.

As cascas das tangerinas que eu havia comido estavam espalhadas por todo o chão e talvez eu pudesse adormecer a qualquer momento se continuasse entre os galhos da árvore, mas quando eu escutei os passos quebrando galhos, me alertei instantaneamente.

Alguém vinha ali embaixo. O meu cérebro paranoico começou a traçar um plano de ação: quem sabe eu poderia imobiliza-lo antes que me visse, ou será que seria melhor ficar parado para que não percebesse a minha presença...?

Eu percebi quem era o recém-chegado apenas meio segundo depois e um riso rouco escapou da minha garganta. Sem me preocupar muito, peguei a primeira tangerina que estava ao meu alcance e a joguei com toda a força no menino que havia se sentado embaixo de mim, escutando uma exclamação de dor logo em seguida.

Scott olhou para mim e eu lhe devolvi um sorriso irônico.

- Você deveria ser um pouco mais educado, já que me deve um milhão de vidas! - lhe lembrei, rindo debochado enquanto pegava a melhor tangerina ao meu alcance e pulava do galho, aterrizando de qualquer jeito devido aos meus músculos doloridos. Aparentemente, eu ainda não tinha descansado o suficiente de noite.
Desastradamente, eu acabei caindo no colo de Scott e lhe estendi a tangerina.

- Eu duvido que você tenha tomado café - lhe disse, meu rosto sem expressão - Aqui. Está bem doce.

Me levantando, espanei a sujeira das minhas roupas e encarei o rosto do menino. Será que ele havia corado com aquilo? Os cantos da minha boca se torceram em um sorriso sádico, mas então voltei a ficar sério.

- Descobriu alguma coisa sobre esse lugar? - perguntei, sem cerimonia.


OBSERVAÇÕES

Armas

Arma I Descrição.

Poderes Ativos

Poder Ativo I Descrição.

Poderes Passivos

Poder Passivo I Descrição.

Enfim, editem aqui conforme a criatividade de vocês.








____


Long time ago

I had a beautiful long black hair
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://4hana.tumblr.com/
Scott Villiers
Filhos de Melinoe
Filhos de Melinoe
avatar

Mensagens : 7
Data de inscrição : 23/06/2014
Idade : 19
Localização : Sinceramente? Eu não ligo.

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: LOCAL PUBLICO - Cachoeira   Ter 24 Jun 2014, 19:32




Those casual days


Scott não sabia o que pensar. Ou o mundo era realmente pequeno, ou ele e aquele cara tiveram os destinos interligados no dia em que saíram juntos de LA. Talvez apenas fossem parecidos demais. Ele sentiu-se particularmente lerdo por não ter percebido que se tratava de Arya ao olhar para cima, ele era o único no acampamento inteiro que tingia o cabelo para que este ficasse com uma coloração prateada, e também o único  por ali, além dele próprio, que apreciava uma bela anti-socialização.


O sorriso irônico que lhe foi lançado era muito familiar, mas moreno não retribuiu o sorriso do outro, somente o encarou. Ele e Arya haviam confiado as vidas um ao outro no caminho para aquele lugar, e isso é uma prova de confiança e tanto, porém Scott se recusava a acreditar nisso. Sua mente preferia acreditar no exato oposto, que ele e aquele garoto de cabelos prateados eram nada mais do que simples colegas, e que jamais seriam próximos o suficiente para dividir algo como confiança.


"Mas isso não é verdade, é, meu querido Scott?"


A voz ecoou na cabeça do garoto, nítida, clara, e perfeitamente reconhecível. Ele jamais esqueceria aquela voz.


"Você me esqueceu não foi? Você conheceu esse menino e me esqueceu. E você teme pela vida dele... que gentil."


Os punhos de Scott se cerraram involuntariamente. Quer dizer que até naquele lugar havia espaço para espíritos perdidos.


"Isso é porque ele é como você e eu não? É por isso que você prefere a ele?... Se bem que não importa. Ele também vai morrer, todos eles acabam morrendo por sua causa, assim como eu."


Parecia os sussurros haviam durado horas, mas o garoto sabia que tinham durado pouco mais que alguns segundos. Ele se perguntava por quanto tempo mais Ellie se divertiria às suas custas, o assombrando. Não precisava de lembrete nenhum a respeito disso, todos que chegavam perto demais morriam, e Arya não seria uma exceção se continuassem por aquele caminho.


- Você deveria ser um pouco mais educado, já que me deve um milhão de vidas! - o outro falou, fazendo com que todos os seus devaneios se dissipassem.



- Não há como eu ser mais educado do que isso - retrucou, dando levemente de ombros - Sim, eu sei que lhe devo todas as vidas que me restam. O que quer que eu faça? Me curve e o chame de "príncipe"? - falava com um tom de indiferença, embora esperasse pela oportunidade para retribuir todas as vezes que Arya o salvara.


Como esperado, Arya apenas o ignorou enquanto pulava do galho da árvore, com aquele ar de quem não liga para nada e está sempre pronto para entrar em ação. O que não era esperado foi a forma como ele desequilibrou ao pousar no chão, e caiu diretamente em seu colo, derrubando o caderno de desenhos para o lado. Scott corou, sentindo as bochechas esquentarem violentamente, tratando de desviar o olhar ligeiramente enquanto fazia uma breve careta, e pegando a tangerina que lhe era estendida distraidamente.


De fato, ele não tomara café da manhã. Dificilmente se sentia com energia suficiente para tanto, além do mais, o nascer e o pôr do sol eram os momentos que Ellie escolhia para atormentá-lo, e quando isso acontecia, era melhor que estivesse sozinho. Scott babulciou um obrigado, antes de começar a descascar a tangerina e sentir o calor do rosto se esvaindo quando o garoto ficou novamente de pé. Felizmente, quando o menino de cabelos prateados o olhou novamente, o rubor havia se extinguido.


- Descobriu alguma coisa sobre esse lugar? - ele foi bem direto.


- Nada relevante. A menos que considere algo do que aquele homem-cavalo disse - não considerava. Nem ele nem Arya haviam prestado atenção no que o centauro havia dito durante sua chegada, para eles aquele acampamento era mera ilusão. Mas também, o que se pode esperar de dois garotos com almas quebradas?


Lorem ipsum dolor sit amet.
 Bluee @ CG


____

Scott Villiers  | Spooky Duo | Scarya
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Arya W. Lewins
Filhos de Hades
Filhos de Hades
avatar

Mensagens : 105
Data de inscrição : 23/09/2012
Idade : 19
Localização : Ali, aqui, lá, em todo lugar. Faz alguma diferença?

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: LOCAL PUBLICO - Cachoeira   Qua 25 Jun 2014, 17:45


Cause i'm only a crack...

IN THIS CASTLE OF GLASS

Scott de fato havia corado um pouco. Qual é, eu só tinha caído em cima dele, não era nada vergonhoso!
Mesmo pensando assim, eu corei um pouco. Aquilo era um sinal de fraqueza e eu não podia deixar ninguém ver aquele lado meu, mas também era uma coisa que eu podia usar contra o menino.

- Nada relevante. A menos que considere algo do que aquele homem-cavalo disse - controlei o meu impulso de xingar por causa das palavras do garoto, me contentando cerrando os meus punhos.

Eu precisava socar alguma coisa, mas simplesmente me abaixei e peguei o caderno de desenhos do menino, não muito diferente do meu próprio, e lhe entreguei, com uma expressão cansada no rosto.

- Só pode ser brincadeira - murmurei para mim mesmo, irritado - Deuses gregos... sério...?

Eu me recusava a acreditar que aquilo era real. Muitas coisas estranhas haviam acontecido ali para eu usar a justificativa que tudo estava perfeitamente normal, mas deuses era uma coisa que fugia da minha imaginação.

- Uma coisa como deus não pode existir - falei, elevando a voz - E eles ainda vão usar coisas desnecessárias para a nossa sociedade como deuses gregos? Nós não precisamos mais de mitos que explicam porque chove, ou como o mundo foi cr...

Mesmo que o céu estivesse completamente limpo, um trovão ressoou a distancia. Calafrios percorreram o meu corpo e me ajoelhei ao lado de Scott. Meus olhos correram rapidamente até a sua mão e quase cheguei a estender o braço, mas desisti.
Certo, não demonstre fraqueza. Amor é um tipo de fraqueza.

- Está tudo bem pra você, Scott? Tudo aqui é tão... bizarro - disse, esfregando a minha testa no ombro do menino. Eu estava cansado de correr, cansado de me esconder, cansado da minha vida. Eu me recusava a voltar pra casa, mas também me recusava aceitar aquele lugar como minha nova casa. Aqueles sentimentos conflitantes eram suficientes para me fazer querer chorar, por mais estupido que isso parecesse - Mas mesmo assim, aqui poderíamos viver uma vida normal. Ei... o que vamos fazer?



OBSERVAÇÕES

Armas

Arma I Descrição.

Poderes Ativos

Poder Ativo I Descrição.

Poderes Passivos

Poder Passivo I Descrição.

Enfim, editem aqui conforme a criatividade de vocês.







[/quote]

____


Long time ago

I had a beautiful long black hair
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://4hana.tumblr.com/
Scott Villiers
Filhos de Melinoe
Filhos de Melinoe
avatar

Mensagens : 7
Data de inscrição : 23/06/2014
Idade : 19
Localização : Sinceramente? Eu não ligo.

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: LOCAL PUBLICO - Cachoeira   Sex 27 Jun 2014, 16:05




Those casual days


Podia ter sido só impressão, mas Scott jurava que tinha visto Arya corar, mesmo que brevemente. Não conseguia definir se isso era uma coisa boa ou não, ele dificilmente conseguia definir os significados por trás das atitudes de Arya, às vezes ele era simplesmente um completo mistério.


Fitou os olhos profundamente azuis do garoto de cabelos brancos quando este se aproximou estendendo-lhe o caderno, ele parecia particularmente cansado, como se não dormisse a dias. Uma linha de preocupação formou-se na expressão de Scott, porém, ficou calado em relação à isso. Certo de que algo como "Você devia descansar mais", não seria ouvido pelo outro.


"Você se preocupa tanto com ele... Lembra de quando você também ligava para mim, querido Scott?"


A voz de Ellie voltou a martelar seu cérebro, assombrando-o. O garoto tentou prestar atenção em outra coisa, qualquer coisa era melhor do que concentrar-se na voz. Ouviu Arya murmurar alguma coisa para si mesmo, embora não tivesse entendido as palavras com exatidão, o moreno sabia o que o outro estava pensando. Ele mesmo duvidava da veracidade de tudo aquilo. Havia passado por muitas situações... O que havia vivido, por mais horrendo e doloroso que fosse, havia sido real, aquela era a realidade: cruel e inescrupulosa, que arranca pedaço por pedaço de sua alma até que não reste nada. Nem confiança, nem vontade de amar outra vez...


Deuses gregos, aquele acampamento... Tudo era surreal demais.


- Uma coisa como deus não pode existir - Arya elevou a voz e filho de Melinoe o ouviu, encarando o vazio através das águas da cachoeira - E eles ainda vão usar coisas desnecessárias para a nossa sociedade como deuses gregos? Nós não precisamos mais de mitos que explicam porque chove, ou como o mundo foi cr...


O trovão que cortou o céu soou alto e claro, interrompendo o jovem que falava. Ele ajoelhou-se ao lado de Scott, e o moreno o observou, prestando atenção em cada linha que compunha o rosto do menor.


- Está tudo bem pra você, Scott? Tudo aqui é tão... bizarro. 



Ele sabia muito bem o que Arya estava fazendo esfregando a testa em seu ombro daquela maneira. Ele estava chorando, limpando as lágrimas e contendo os soluços. Scott esticou os braços para abraçá-lo, mas algo o conteve. "Tem certeza disso?", um eco da voz de Ellie ressoou em sua mente "Ele vai morrer, exatamente como eu", lentamente, começou a recolher os braços. Era tão difícil vê-lo daquela forma, porque Scott sabia exatamente como ele se sentia. Cansado de fugir, cansado de sofrer. Sem saber mais o que estava fazendo, ignorou qualquer coisa que sua cabeça viesse a lhe dizer e envolveu o menor em seus braços, abraçando-o.


- Mas mesmo assim, aqui poderíamos viver uma vida normal. Ei... o que vamos fazer?


- Eu não sei - admitiu, antes de o aninhar com mais delicadeza em seus braços - Nós poderíamos ficar aqui, pelo menos não teríamos mais que nos esconder ou fugir... Mas se você quiser ir, não tem problema, eu vou junto com você aonde você quiser.


Lorem ipsum dolor sit amet.
 Bluee @ CG


____

Scott Villiers  | Spooky Duo | Scarya
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Arya W. Lewins
Filhos de Hades
Filhos de Hades
avatar

Mensagens : 105
Data de inscrição : 23/09/2012
Idade : 19
Localização : Ali, aqui, lá, em todo lugar. Faz alguma diferença?

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: LOCAL PUBLICO - Cachoeira   Sex 27 Jun 2014, 23:21


Cause i'm only a crack...

IN THIS CASTLE OF GLASS

Quanto tempo fazia que eu não chorava?

Aparentar ser forte havia se tornado uma prioridade necessária para a minha sobrevivência fazia bastante tempo, mas incrivelmente, eu não havia me sentido tão incrivelmente miserável fazia anos.

A minha realidade estava ruindo lentamente. Quando fui forçado a fugir com Scott, eu estava excitado e animado: eu experimentava a liberdade que me tinham negado pela primeira vez na vida e todo dia era eletrizante, vivendo um dia de cada vez.
Agora que aquele tempo havia passado, eu estava horrorizado.

Nós havíamos encontrado um porto seguro, mas aquilo me aterrorizava. Scott, para mim, era uma planta que havia crescido em um labirinto, sem pressa de encontrar uma saída. Eu, por outro lado, era um pássaro dentro de uma jaula, que vivia com medo de ter as suas asas cortadas e nunca mais poder voar.

Para protege-lo, eu teria que desistir daquilo tudo, mas abrir mão da minha liberdade parecia estranhamente fácil.

Aquilo era o que mais me assustava: o fato que talvez eu pudesse ter me apaixonado por Scott por acidente.
Por mais desconfiado que eu fosse com o amor, cada memória que eu compartilhava com aquele rapaz era acompanhada de um sentimento quente, que nunca falhava em me fazer sorrir como um idiota todas as vezes em que eu pensava no assunto.

Quem sabe eu estivesse sorrindo naquele exato instante, percebendo a hesitação do menino quando ele estendeu a sua mão, tentando me tocar. Eu não acreditava que ele realmente fosse me abraçar, então quando Scott me envolveu em seus braços, o meu coração acelerou com a surpresa.
Mesmo assim, aquela pequena pausa me preocupava.

- Nós poderíamos ficar aqui, pelo menos não teríamos mais que nos esconder ou fugir - o garoto me disse enquanto me ajeitava para me deixar mais confortável. Eu não sabia o quão vermelho o meu rosto estava e aquilo me preocupava bastante - Mas se você quiser ir, não tem problema, eu vou junto com você aonde você quiser.

Eu mordi o meu lábio. Scott tinha um certo jeito de arrancar a minha mascara habitual, então eu estava completamente vulnerável. Seria impossível usar a minha fachada usual de confiança para me livrar daquela situação.

- E se... - murmurei baixinho no ouvido dele, para que apenas Scott pudesse ouvir os meus medos - E se eu não conseguir proteger você?

Afastei lentamente o meu rosto, encarando aqueles dois olhos verdes.
Eu e Scott já estivemos tão próximos um do outro assim?


OBSERVAÇÕES

Armas

Arma I Descrição.

Poderes Ativos

Poder Ativo I Descrição.

Poderes Passivos

Poder Passivo I Descrição.

Enfim, editem aqui conforme a criatividade de vocês.








____


Long time ago

I had a beautiful long black hair
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://4hana.tumblr.com/
Scott Villiers
Filhos de Melinoe
Filhos de Melinoe
avatar

Mensagens : 7
Data de inscrição : 23/06/2014
Idade : 19
Localização : Sinceramente? Eu não ligo.

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: LOCAL PUBLICO - Cachoeira   Dom 29 Jun 2014, 22:15

Those casual days
We're repeating... unafraid of anything





Em todo o tempo que passaram juntos, Scott nunca tinha visto Arya chorar. Ele era sempre forte, destemido, determinado... um porto seguro. Só de tê-lo por perto ele sentia como se nada fosse capaz de perturbá-los. Arya era atento, um sobrevivente nato, enquanto ele, era apenas o garoto apático que se escondia em um quarto escuro na casa da avó.


A princípio, não acreditava que a sua fuga com o garoto viesse a mudar sua visão de mundo. Ele havia devolvido algo que Scott achava ter perdido à muito tempo: a vontade de viver. Ver Arya tão entusiasmado durante a viagem que fizeram, vê-lo apreciar cada momento de liberdade... Aquilo o aquecia por dentro, de uma forma que Scott não conseguia explicar.


E aquele acampamento não combinava nem um pouco com o menino de olhos azuis, o moreno tinha certeza disso.


E se ficar longe daquele lugar fosse fazer Arya feliz, Scott iria para longe com ele. Faria qualquer coisa por ele, desde que ficassem juntos. Por quê? Ele sabia muito bem o motivo, apenas se recusava a acreditar. Não podia aceitar aquele sentimento que crescia em seu peito, sabendo que a última pessoa pela qual nutrira profundamente tal sentimento morrera horrivelmente... E até hoje o assombrava. 


Ele queria amar Arya com todas as forças que restavam em seu corpo estranhamente narcoléptico, mesmo que isso significasse assumir que tinha se apaixonado por um garoto, porém, não queria aceitar. A melhor maneira de amar Arya era manter-se afastado, mas o filho de Hades nunca o deixava, sempre aparecia... E Scott jamais deixaria de desejá-lo por perto.


Scott não olhou para o rosto do outro quando o abraçou, apenas fechou os olhos com força ao fazê-lo, ou hesitaria para sempre, e se afastaria. Ali, em seus braços, ele parecia tão vulnerável, tão gentil e dócil... Ele só havia visto aquela face do rapaz algumas vezes, quando deixava a máscara cair. O moreno acariciou as costas do garoto, procurando aquecê-lo e acalmá-lo.


- E se...  E se eu não conseguir proteger você? - a voz era pouco mais que um sussurro, ouvida com um pouco de custo apenas por Scott.


- Então eu vou proteger você - seria apenas impressão, ou os dois estavam ficando mais próximos? - Vou ficar forte o suficiente para proteger nós dois, Arya... Eu não posso te perder...


Estavam tão próximos que os narizes quase se tocavam, os olhos do moreno estavam apenas semi-abertos enquanto olhava para o rosto anguloso e belo de Arya. Scott não sabia o que estava fazendo quando se inclinou para frente, talvez estivesse apenas sendo egoísta, sentia vontade de fazer aquilo há muito tempo. Ele sabia que tais atitudes teriam consequências, mas, no momento, não conseguia pensar nas possibilidades, aquela proximidade o estava deixando louco por dentro. Roçou seus lábios nos de Arya levemente ao se inclinar para frente e, por fim, aplicou um pouco mais de pressão, capturando os lábios do menor em um beijo gentil.



Thanks, Lollipop @ Sugaravatars

____

Scott Villiers  | Spooky Duo | Scarya


Última edição por Scott Villiers em Seg 30 Jun 2014, 14:42, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Arya W. Lewins
Filhos de Hades
Filhos de Hades
avatar

Mensagens : 105
Data de inscrição : 23/09/2012
Idade : 19
Localização : Ali, aqui, lá, em todo lugar. Faz alguma diferença?

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: LOCAL PUBLICO - Cachoeira   Seg 30 Jun 2014, 14:18

Close

yet, hopefully wishing to touch


Eu não conseguia compreender completamente o que estava acontecendo naquele momento, então eu simplesmente me contentava em arregalar os olhos e encarar as feições pacificas de Scott.

Ele havia encontrado uma rachadura na armadura que havia construído ao redor da milha alma com o passar dos anos e naqueles poucos segundos, eu tentava não deixa-la ruir com todas as forças do meu ser.

Meu corpo tremia. Por que o meu corpo tremia? Eu não estava tão apavorado assim. Só... eu só não tinha ideia do que fazer e aquilo me assustava muito.

Mas que droga, Arya. Você é mesmo um gatinho assustado, ein? Medo de sangue eu já conheço bem, mas fobia de pessoas...? Dessa vez você se superou.
A culpa não era minha. Haviam um milhão de motivos para eu me sentir daquele jeito, mas nenhuma justificativa parecia boa ou convincente o suficiente.

Mesmo assim, eu não podia afastar Scott e interromper o beijo. Não era falta de coragem, era... algo mais.
Os meus temores realmente haviam se confirmado, eu havia me apaixonado por aquele garoto.

Quando os nossos lábios se separaram e os nossos rostos se afastaram, eu toquei a boca dele com dois dedos e desviei o olhar, o encarando apenas pelo canto do olho.

Eu me perguntava como ele me via naquele momento. O sentimento de miséria que havia se alojado no meu peito se tornava cada vez pior, mas eu não poderia aceitar os sentimentos de Scott.
Eu esperava que ele não me odiasse por aquilo.

- Scott, eu... eu realmente sinto muito - pousei a mão no ombro dele, o afastando ainda mais e me livrando de seu abraço, mesmo que aquilo doesse em mim. Aquele garoto não compreendia os significados de suas ações completamente nem o quanto ele ia se machucar se se aproximasse mais - Eu sou incapaz de aceitar os seus sentimentos, eu... me desculpe. Não é algo que daria certo. Nós somos ambos garotos e... você mal me conhece.

Eu não pude deixar de colocar certo rancor nas minhas últimas palavras, assim como não pude deixar de me sentir um mentiroso. A culpa não era de Scott, mas eu não me sentia a vontade contando os meus segredos mais bem guardados para ele... ainda.
Apenas me entristecia o fato que eu podia contar nos dedos as vezes que ele me chamou de amigo.



✖ Poderes passivos:
N/A

✖ Poderes ativos:
N/A

✖ Armas:
N/A

I Lollita

____


Long time ago

I had a beautiful long black hair
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://4hana.tumblr.com/
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: LOCAL PUBLICO - Cachoeira   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
LOCAL PUBLICO - Cachoeira
Voltar ao Topo 
Página 3 de 3Ir à página : Anterior  1, 2, 3
 Tópicos similares
-
» Cachoeira ♠ Local Público Oficial ♠
» Acesso invalido ao local de memória .
» Bosque ♠ Local Público Oficial ♠
» Campo de Austin ♠Local Público Oficial♠
» Vale dos ventos uivantes ♠ Local público oficial ♠

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Acampamento Meio-Sangue :: Floresta-
Ir para: