InícioInício  PortalPortal  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Atenção deuses! Há um aviso no Staff Loungue para vocês, entrem e leiam.

Important: Seu avatar é registrado? Ainda não?! Evite levantes, corra aqui: [MENINOS | MENINAS].
EM REFORMA, AGUARDEM! Novidades virão, algo que já estava mais do que na hora, não acham?!

Compartilhe | 
 

 O que aconteceu em Los Angeles? ▬ Missão narrada externa para Diego Stark

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Thanatos
Deuses Menores
Deuses Menores
avatar

Mensagens : 403
Data de inscrição : 03/05/2012

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: O que aconteceu em Los Angeles? ▬ Missão narrada externa para Diego Stark   Sex 21 Jun 2013, 13:48

O que aconteceu em Los Angeles?  


Um estranho caso de assassinato ocorreu em Los Angeles. A vítima, encontrada em um apartamento afastado do centro da cidade, morreu no início da noite. Seu corpo, porém, apenas foi encontrado na tarde do dia seguinte. A autópsia revelou que ela foi infectada por um veneno desconhecido.

Quíron soube da notícia através do porteiro do prédio, uma vez que esse era um sátiro que trabalhava como sentinela para acusar atividades suspeitas ao centauro. O quadrupede achou necessário despachar alguns semideuses para investigar. Diego, ao saber que Quíron procurava voluntários para uma missão em Los Angeles, rapidamente se apresentou juntamente com outros dois amigos.

Código:
Diretrizes da missão

•   Você terá a liberdade de escolher os progenitores dos seus dois companheiros, sendo um deles no nível 9 e o outro no nível 13
•   Apenas duas armas por personagens serão permitidas
•   Nessa narrativa, você deverá me contar como chegou em Los Angeles
•   Ao chegar a Los Angeles, o sátiro irá lhe encaminhar ao apartamento da vítima. Lá você começará a sua investigação
•   Encontre um lugar para passar a noite. O quarto da vítima não é viável, pois a polícia local irá interditá-lo

Informações importantes

•   O apartamento da vítima possui estranhas marcas nas paredes e um pequeno arranhão no chão.

Prazo

•   Poderá postar a narrativa até o dia 28 de junho.




Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Diego Stark
Filhos de Hades
Filhos de Hades
avatar

Mensagens : 83
Data de inscrição : 23/03/2013
Idade : 20
Localização : Colina meio sangue

Ficha do personagem
Vida:
140/140  (140/140)
Energia:
140/140  (140/140)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: O que aconteceu em Los Angeles? ▬ Missão narrada externa para Diego Stark   Sex 21 Jun 2013, 21:51

Winter is coming
O que aconteceu em Los Angeles #1

-Tem certeza que quer ir?- perguntou-me Quíron- Essa missão parece ser difícil para um novato.
-Já não sou mais um novato. Eu tenho certeza sim. Considere essa missão feita- disse com tom de grandeza.
 
Quíron me observou por um momento como se estivesse me inspecionando e depois disse:
 
-Esta bem. Você pode levar dois amigos com você. Já tem em mente quem?
 
-Sim. Alicia Thompson, filha de Hermes e Alex Smith, filho de Apolo.
 
-Como queira. Vocês saíram amanhã na alvorada. Boa sorte Diego- Disse-me o Centauro dando-me um sorriso bondoso e em seguida se virou e entrou na casa grande.
 
Sai da casa grande aos pulos e fui encontrar meus companheiros no refeitório, onde confirmei que iriamos para a missão e lhes informei a hora de partida. Felizmente a mãe de Alex tinha muito dinheiro e todo mês dava pra ele cem dólares, e Alex tinha dinheiro suficiente para fazer tanto a viagem de ida quanto a de volta de avião. Coloquei meu despertador para tocar de cinco da manhã e quando o alarme soou levei alguns minutos para acordar. Ao me levantar fui diretamente tomar banho frio para me acordar totalmente.
 
Quando sai do chalé 13 eu vestia um casaco preto, calça jeans azul escura, meu boné do slipknot, que na verdade era um elmo que me deixava invisível, e meus dois anéis de caveira, que eram minhas adagas gêmeas. Parecia que eu estava atrasado, pois quando cheguei à entrada do acampamento Alicia e Alex já estavam lá.
 
-Até que fim hem?-disse Alex-vamos se partimos agora podemos pegar o voo das oito horas.
 
Fomos em direção da estrada onde pegamos um taxi que era dirigido por um funcionário do acampamento. Chegamos ao aeroporto às sete horas e entramos no avião às sete e meia. O voo foi tranquilo. Fomos a viagem inteira conversando sobre a missão oque me deixou mais empolgado. Assim que desembarcamos encontramos um deficiente segurando uma placa com nossos nomes nelas.

-Ainda bem que chegaram. Não aguentava mais ficar esperando. Como foi a viagem? E a proposito sou Samuel, Sam, se preferirem- disse ele quase sem respirar.
 
-Nossa viagem foi boa, obrigado- respondeu Alicia prendendo seus cabelos ruivos em um rabo de cavalo.
 
-O local fica longe daqui?-perguntou Alex.
 
-Não, pra falar a verdade, e já que tocou no assunto temos que ir rápido, pois logo aquele lugar vai esta enfestado de policias. Sigam-me- apesar de andar de muletas ele era bastante rápido. Ele tinha um rosto severo e um enorme nariz. Por de baixo da boina negra ele tinha um cabelo castanho claro encaracolado.
 
Entramos dentro de um dos diversos taxis que estavam estacionas fora do aeroporto. Sam sentou-se na cadeira do passageiro e informou o destino para o motorista.
 
-Onde vamos passar a noite?-de repente pensei nisto e perguntei para os outros.
 
-Eu não sei- Disse-me Alex parecendo ter pensado nisso só agora como eu.
 
-Se vocês querem um lugar para passar a noite o hotel na frente de onde trabalho pode servi- Falou Sam- Eu poderia indicar o hotel onde trabalho, mas é um estabelecimento simples e não tem lugar para três.
 
-Mas é muito caro? Esse hotel?- perguntei.
 
-Ah não. Ele também é simples, mas é melhor que o meu- Sorrio Sam.
 
Fomos parar na zona “pobre” de Los Angeles, podíamos ver isso nos tipos de prédios que se encontravam no local, que eram velhos e a pintura já estava saindo. Sam apontou o hotel em que ficaríamos e para nossa surpresa não era tão ruim quanto os outros. Sam comprimento o rapas que estava na recepção do prédio em que ele trabalhava e entramos no elevador para chegar ao terceiro andar. O sátiro abriu a porta do quarto trinta lentamente e quando entramos nele vimos a situação do local. O corpo da vitima não estava mais no local, como esperado, mas a cena do crime estava intocado. A sala apresentava alguns sinais de luta, pelo fato de o sofá estava virado e uma cadeira quebrada. Não havia um pingo de sangue no local, apenas uma marca de arranhão no chão indicando que algo muito afiado tinha passado pro ali e algumas marcas estranhas nas paredes que podia ser pegadas, se olhasse com os olhos semicerrados e colocando a cabeça de lado.
 
-Pena que levaram o corpo!-disse me abaixando para ver melhor o arranhão.
 
-E que marcas estranhas são estas?- Alicia semicerrou os olhos e colocou a cabeça de lado-Parecem pegadas.
 
-Quem era a vitima? Você sabe se ela tinha algum inimigo que pudesse fazer isso com ela?- Perguntou Alex para Sam.
 
-O nome dele era Walter Brow, morava aqui a um ano e nunca o vi arrumar briga com ninguém. Ele recebia visitas de uma simpática mulher todo fim de semana. Não vejo motivos para alguém o matar.
 
-Mulher? Que mulher?-perguntei me levantando e indo em direção do sátiro.
 
Sam parou um momento e depois disse:
 
-Não sei. Nunca lhe perguntei o nome. Sei que ela era loira, de olhos verdes e era bela, tanto de corpo quando de rosto.
 
Não era nada de concreto mais pelo menos já era alguma coisa. Alicia foi dar uma olhada atrás do sofá enquanto Alex entrou no quarto de Walter que estava de portas abertas. Eu fiquei encarando as estranhas marcas na parede, e quanto mais olhava mais ficava confuso. Olhei no relógio e vi que já era quase duas horas da tarde. Alex voltou do quarto segurando um panfleto de um parque de diversões.
 
-olhem oque achei. Esta escrito: te encontro lá no domingo, perto da roda gigante. Não tem assinatura e o papel é novo. Que dia é hoje?
 
-Sábado!-disse Alicia com ar animado- Nós temos que ir lá.
 
-E vamos- Alex parecia animado com a nova informação também.
 
-Mas agora precisão sair. A policia deve estar vindo ai- Sam estava certo.
 
Agradecemos a Samuel por tudo e em seguida fomos para p hotel em que ficaríamos hospedados. A recepcionista era bastante simpática e sorria cem parar, oque já estava me irritando. Nosso quarto era o vinte e três, um lugar pequeno, onde mal cabia nossas camas, mas em compensação o colchão era macio.
Spoiler: Alicia: Nivel 9. Armas: Adaga de Bronze [Inicial] e Calçado alado.

Alex: Nivel 13.Armas: Espada solar e Raio de sol.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Thanatos
Deuses Menores
Deuses Menores
avatar

Mensagens : 403
Data de inscrição : 03/05/2012

Ficha do personagem
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: O que aconteceu em Los Angeles? ▬ Missão narrada externa para Diego Stark   Dom 23 Jun 2013, 16:52

O que aconteceu em Los Angeles?  


Martha, 27 anos, trabalhava com a perícia criminal de Los Angeles. Ela é uma semideusa, filha de Athena, que decidiu se afastar do acampamento para viver longe de problemas, mas seu espirito de aventura não permitiu. Com isso, ela estudou genética humana para trabalhar com a perícia criminal a fim de desenvolver mistérios que podessem surgir.

Agora ela estava examinando o corpo da vítima que morreu envenenada. Desconfiada, decidiu fazer um estudo da configuração genética da mulher. Quando descobrisse sua verdadeira identidade, comunicaria a Quíron.

~~~

Os três campistas dormiram no hotel sugerido pelo sátiro e, quando acordaram, uma surpresa: havia duas viaturas na frente do edifício – aparentemente, mas um caso de assassinado ocorreu. Diego ficou intrigado porque não ouviu um barulho sequer enquanto dormia.

Quando os policiais deixaram o edifício, os meio-sangues decidiram investigar. Quais as surpresas esperam por eles agora?

Código:
Diretrizes da missão

•   A porta do apartamento onde ocorreu o assassinato está trancada.
•   Desta vez, havia marcas de sangue.
•   As pegadas nas paredes estavam mais nítidas devido ao sangue, elas tinham um formato arredondado e pequeno (do tamanho de uma moeda de dez centavos)
•   Havia teias espessas na janela do apartamento
•   Acuse três possíveis assassinos
•   Comunique suas descobertas a Quíron

Prazos e normas

•   Você terá uma semana para postar;
•   Coloque armas e poderes utilizados, se utilizados, em code ou spoiler

Boa sorte :3




Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Diego Stark
Filhos de Hades
Filhos de Hades
avatar

Mensagens : 83
Data de inscrição : 23/03/2013
Idade : 20
Localização : Colina meio sangue

Ficha do personagem
Vida:
140/140  (140/140)
Energia:
140/140  (140/140)
Arsenal Arsenal:

MensagemAssunto: Re: O que aconteceu em Los Angeles? ▬ Missão narrada externa para Diego Stark   Ter 25 Jun 2013, 18:11

Winter is coming
O que aconteceu em Los Angeles #2

Acordei com o sol em meus olhos. O maldito entrava por uma brecha nas cortinas. Irritado, levantei-me e fechei por completo elas sem prestar atenção na rua. As camas de Alex e Alicia estavam vazias, o que me intrigou um pouco. “será que eles me abandonaram?” Pensei, mas, felizmente, tive minha resposta quando eles entraram pela porta do apartamento. Traziam o café da manhã, leite e cereal.
 
-Bom dia, bela adormecida!- Falou Alex depositando a sacola na pequena mesa da cozinha.
 
-Bom dia, raio de sol-disse esfregando os olhos e ele sorrio.
 
-Você já olhou lá fora?- perguntou-me Alicia e quando fiz que não com a cabeça ela começou a falar- Tem duas viaturas ai fora. Pelo visto outro assassinato. As pessoas estavam falando que também foi de envenenamento.
 
-Ninguém viu que matou a vitima? Ou oque?-perguntei.
 
-Não, até porque aconteceu tarde na noite. Encontramos Sam enquanto voltávamos. Ele disse que viria aqui daqui a...
 
Alex foi interrompido por alguém batendo à porta.  Alicia foi até ela e a abriu para que o sátiro entrasse. Ele parecia inquieto. Alex foi até a cozinha e pegou três pratos enquanto Sam se sentava em umas das cadeiras na mesa.
 
-E ai? Oque você sabe desse novo incidente?-Perguntou Alicia.
 
-Não muito, os policias ainda estão lá dentro. Mas sei quem era. Era um vizinho meu, o irritante do Bryan Grey. Tivemos alguns desentendimentos mais foi só isso. O homem era forte de mais para que pudesse fazer alguma coisa. Arrumava confusão com todo mundo- Alex agora estava entregando os pratos com cereal para a gente.
 
-Podemos entrar no quarto? Para investigar?- Perguntei e em seguida comi uma colherada de cereal.
 
-Creio que posso infiltrar vocês no prédio. Digo que são meus parentes-Disse ele pensativo e distante como se estivesse já pensado no que dizer.
 
-Ok, é só esperar nos acabarmos de comer que vamos lá dar uma olhada. Não vou a lugar nenhum sem comer-informou Alex.
 
Saímos do prédio a tempo de vermos as viaturas deixando a rua. Rapidamente entramos no prédio, que estava lotado de gente no salgam de entrada e quando o porteiro perguntou quem éramos Sam disse que éramos parentes e que tínhamos acabado de chegar. Subimos até o segundo andar e ficamos na frente do quarto vinte e cinco. Na porta havia um bilhete nada amistoso que dizia:
 
“Caro maldito Bryan, quero lhe pedir que diminua o volume de seu aparelho de som, ninguém aqui é obrigado a ouvir suas musicas de quinta categoria. Caso o incomodo prossiga serei obrigado a tomar mediadas extremas. De seu vizinho de baixo querido, John”
 
Alicia pigarreou e tentou abrir a porta e descobriu que estava trancada.
 
-Maldição!- praguejou ela-Deve haver outra forma de entrarmos.
 
-E há. Aqui no prédio existe um copeiro que tem todas as chaves de todas as portas, mais acho que ele não daria a chave pra nós- informou Sam e em seguida olhou o relógio- Desculpem-me crianças, mas tenho que ir trabalhar. Se quiserem achar o copeiro procurem por um homes de meia idade gordo, baixinho, de longa barba negra e calvo. O nome dele Robert. Boa sorte- e em seguida ele se virou e foi em bora.
 
-Como faremos para pegar essa chave?-perguntei girando a maçaneta da porta.
 
-Acho que sei como, é só vocês distraírem ele- disse Alicia com um leve sorriso.
 
Fomos encontra o maldito copeiro no quinto andar. Ele estava empurrando um carrinho cheio de lençóis e outras coisas. Ele era como Sam disse, mas era mais gordo do que imaginei. Seu rosto era parecido com o de um camundongo e seus olhos eram tão fechados que ele até parecia japonês. Quando nos aproximamos ele abriu caminho para passarmos, mas ao ver que iriamos falar com ele, ele parou.
 
Não sabia ao certo oque faria pra distrair ele, mas eu e Alex ficamos puxando conversa com ele enquanto Alicia estava atrás dele procurando as chaves. Não demorou muito e ela as achou no bolso direito da calça dele. Para Alicia era fácil tirar as chaves do bolço dele, afinal ela era filha do deus patrono dos ladrões, mas o problema e que ele estava com a mão dentro do bolso remexendo a chave.
 
-Cinema por esse lado de Los Angeles acho que não tem- ele começou a dizer- Mas lá pro centro tem muitos. Desculpem-me a indelicadeza, mas oque levou vocês a parar nesse lado de Los Angeles?- ele gostava de conversa isso era elementar e isso fazia com que Alicia tivesse mais tempo para pensar em como tirar a mão dele do bolço. inventamos uma desculpa e em seguida Alex perguntou:
 
-Mais pra que lado fica o centro? Demora pra chegar lá?- perguntou Alex marotamente.
 
-Até que não demora muito não. Acho que umas duas horas de viagem de taxi- Robert tirou a mão do bolso para gesticular e disse-O centro é pra lá-disse apontando para a esquerda e Alicia tirou a chave do bolço do velho tão rápido quanto silenciosamente- Mas acho que eles só abrem de uma da tarde hoje.
 
-Muito obrigado Robert- disse a ele estendendo a mão pra ele apertar, e ele apertou- Agora temos que encontrar nossa tia no aeroporto.
 
-Foi um prazer- disse ele apertando a mão de Alex e em seguida a de Alicia que lhe deu um leve sorriso.
 
Andamos o mais depressa que conseguimos até o quarto vinte e cinco. Alicia enfiou a chave com a numeração do quarto na fechadura, girou-a, entramos e ela voltou a trancar a porta.
 
O corpo, desta vez, ainda estava no local. A sala do apartamento estava quase que totalmente em ordem. No chão, perto do corpo do morto, se encontrava um pacote de pipoca de micro-ondas, com suas pipocas empalhadas por todo o chão. As pipocas estavam molhadas pelo sangue do defunto que fazia uma poça do lado esquerdo do corpo. Tomando todo o cuidado para não pisar na pipoca nem no sangue comecei a andar para mais perto da vitimas a fim de poder velo melhor e consegui ver de onde vinha tanto sangue. Havia estilhaços de vidro perto do pescoço de Bryan e no próprio pescoço um profundo corte, que provavelmente também cortou sua veia aorta. Alex ficou do meu lado e se agachou para ver melhor. Do nada ouvi som de passos vindos de um quarto e fiquei meio assustado. Olhei para Alex, e ele parecia não ter ouvido nada. Outra vez barulho de passos.
 
-Vocês então ouvindo sons de passos?-perguntei em um sussurro.
 
-Não- responderão os dois em uníssimo.
 
Aquilo me deixou ainda mais assustado. Depois de alguns segundos voltei a ouvir o som e decidir ir até lá para descobrir sua origem. Alicia e Alex não me seguram, apenas ficaram examinando o corpo com os olhos. Andei lentamente pelo corredor dos quartos e quando finalmente parei à frente do quarto onde se originava o som parei e escutei.
 
O som estava realmente saindo dali, mas não era tudo, pois também pude ouvir vozes. “Foi aquele velho gordo do Robert. Ele vivia me ameaçando indiretamente. Tá certo que eu ficava zoando ele todo dia, mas me matar é demais”. Eu nem soube oque pensar quando ouvi aquilo, apenas abri a porta lentamente. “Mais policias. Nenhum deles podem me ver agora que sou um espirito”. Ouvi-o dizer e ele ficou surpreso ao me ver.
 
Em pé do lado da cama se encontrava o espirito de Bryan Grey. Ele me olhou com indiferença e me virou as costas.
 
-Você é Bryan Grey? O homem que esta morto na sala?-Não sei porque perguntei isso, era obvio que era ele.
 
-Você pode me ver? Como isso é possível?- disse ele admirado.
 
-Você não entenderia se lhe contasse. O que esta fazendo aqui? Pensei que os espíritos iriam automaticamente para o submundo.
 
-Eu não sei pra onde ir, nem sei por que estou aqui. É tudo tão confuso.
 
-Você precisa me dizer quem lhe matou. Você o viu?
 
-Não, foi tudo tão rápido. Lembro-me apenas de ouvir um som estranho, como de uma aranha gigantes dos filmes, sabe?-ele paria confuso e depois de falar se sentou na cama.
 
Uma aranha? Não havia sinal algum de aranha, pelo menos não que eu tenha visto. Alice e Alex entraram no quarto de repente me fazendo tremer com o susto. Voltei a olhar Bryan, mas ele não estava mais no quarto. “Talvez tenha ido embora” pensei.
 
-Ai esta você. Venha ver oque achamos-Alex me puxou para fora do quarto tão depressa quanto ele havia entrado.
 
Ele me levou até a parede que ficava atrás do sofá onde se encontrava marcas de sangue que mais se pareciam com pegadas. Em seguida apontou para a janela onde tinha uma teia de aranha, grande de mais comparada às outras. “uma aranha gigante hein?” pensei e em seguida contei a conversa que tivera com o espirito de Bryan. Quando terminei eles me olhavam de boca aberta. Lá na rua novas viaturas chegaram e fomos obrigados a sair do apartamento às pressas. Alicia jogou as chaves perto da escada quando decidamos e cumprimentamos os policia que já subiam. Quando saímos do prédio os curiosos ainda estava presentes e nós não ficamos lá para descobrir o que ia acontecer. Fomos até um taxi, que estava estacionado na esquina e demos o endereço do parque onde a mulher misteriosa disse que encontraria Walter Brow, a vitima anterior.
 
-Não tenho a mínima ideia de quem possa ter assassinado esses homens, mas tenho um palpite-sussurrei para que o motorista não escutasse- Acho que em primeiro vem esse tal de John, ele deixou bem claro que pretendia fazer algo com Bryan naquele bilhete; segundo vem Sam, podem até discordar, mas depois do que ele disse era meio difícil não suspeitarmos dele não acham?-tanto Alicia como Alex fizeram que sim com a cabeça- E em ter terceiro o velho copeiro Robert, pois quando entrei no quando, Bryan estava resmungado que o copeiro tinha motivos para lhe fazer mal.
 
-Concordo com tudo, mas você esqueceu que os indícios são de uma aranha gigante? Como essas pessoas poderiam controlar uma aranha gigante?-indagou Alex.
 
-Não sei. Mas estou pensado sobre o assunto.
 
-E ainda tem essa mulher que escreveu para Walter. Será que vamos a encrostar nesse parque?- Todos ficamos calados com essa pergunta de Alicia.

-Alicia, entre em contato com Quíron e o informe sobre oque descobrimos. Acho que ele gostaria de saber-disse eu depois de alguns minutos. Alicia concordou com a cabeça e pegou seu telefone.


Olhei pela janela do táxi e fiquei observando a as pessoas na rua, esperando descobrir a resposta para minhas duvidas nesse parque.
Spoiler: Poderes usados: Diego Stark-Shaman; Alicia Thompson- Mãos Hábeis
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: O que aconteceu em Los Angeles? ▬ Missão narrada externa para Diego Stark   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
O que aconteceu em Los Angeles? ▬ Missão narrada externa para Diego Stark
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» ~ Sem fogueira ~ Missão narrada por player interna e fácil para Jhonn Stark
» {Missão Narrada} A fúria dos mares
» Missão OP Mediana para Eliab Hélmut - Álcool maldito
» {Missão Narrada Normal} Howl At The Moon
» Em busca de vingança | Missão narrada para Diane Cristyne

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Tártaro :: Missões Canceladas/Concluídas-
Ir para: